• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.8.2011.tde-29052012-155722
Documento
Autor
Nome completo
Amir El Hakim de Paula
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2011
Orientador
Banca examinadora
Francesconi, Lea (Presidente)
Carvalhal, Marcelo Dornelis
Heidemann, Heinz Dieter
Martin, Andre Roberto
Toledo, Carlos de Almeida
Título em português
A relação entre o Estado e os sindicatos sob uma perspectiva territorial
Palavras-chave em português
Brasil
Estado
Geografia
Sindicatos
Território
Resumo em português
A tese refletiu sobre a relação entre o Estado e os sindicatos no Brasil por meio de uma análise geográfica. Para tal êxito, nos pautamos em apreender como eram as territorialidades dos sindicatos-revolucionários sob a vigência de um Estado Liberal que, por meio de uma legislação sindical menos coercitiva, possibilitava uma organização dos trabalhadores sem restrição territorial, embora, em contrapartida, agisse de forma violenta, ao prender os principais militantes operários, fechar os jornais e as sedes dos sindicatos. Procuramos também compreender o que significou, principalmente na vigência do Estado Liberal, a presença de um sindicalismo mais combativo, o sindicalismo-revolucionário, que tinha entre suas premissas a autogestão, o federalismo e a ação direta, propiciando várias formas de territorialidades seja, entre os sindicatos de uma mesma categoria ou quando várias entidades de diversas categorias se uniam na organização daquilo que à época eram conhecidas pelos operários como "greves de solidariedade". Posteriormente, nossa análise volta-se a compreensão dessa relação entre o Estado e os sindicatos quando da formação de um Estado Corporativo no Brasil, com o predomínio de uma legislação sindical mais limitante, obrigando essas entidades a realizarem uma ação territorial menos plural, restrita quase que, exclusivamente, à área municipal. Percebemos que as ações territoriais dos sindicatos tiveram grande alteração na passagem de um Estado Liberal para outro de tipo Corporativista, graças ao forte controle estatal sobre essas entidades. Entendemos que essas análises possibilitam outra compreensão acerca da relação entre o Estado e os sindicatos no Brasil, evidenciando o papel que as ações territoriais tiveram na luta cotidiana desses trabalhadores.
Título em inglês
The relantionship between the State and the unions through a territorial analysis
Palavras-chave em inglês
Brazil
Geography
State
Territory
Unions
Resumo em inglês
The thesis reflected upon the relationship between the state (government) and the unions in Brazil through a geographical analysis perspective. To achieve a successful outcome, the research was based on comprehending how the territorialities of the revolutionary trade unions were under a liberal state, which, through a less coercive union legislation, enabled an organization of workers without territorial restrictions. On the other hand, however, the liberal state, also acted in a violent manner, while holding the main militant workers, closing down newspapers and the unions headquarters. We also seek to understand what meant, mainly under the liberal state, the presence of a greater militant unionism, the revolutionary unionism. The revolutionary unionism had self-management, federalism, and direct action under its premises, providing various forms of territoriality, not only among the unions of the same category but also when several entities of various categories were united in organizing an activity known at that time among the workers as solidarity strikes. Subsequently, our analysis focused on understanding this relationship between the state and the trade unions during the formation of a Corporate State in Brazil, with the predominance of a more limiting union legislation, forcing these entities to carry out a less plural territorial action, restricted almost exclusively to the municipality area. We realized that the territorial actions of the unions suffered great changes when the government shifted from a liberal state to a corporativist one, due to the rigid control over these entities. We understand that these analyses allow another perception of the relationship between government and the unions in Brazil, highlighting the role that territorial actions had on the daily struggle of these workers.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2012-05-29
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.