• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
https://doi.org/10.11606/T.8.2022.tde-06102022-201107
Documento
Autor
Nome completo
Manuela Lunati
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2022
Orientador
Banca examinadora
Santoro, Elisabetta Antonietta Rita Maria Carmela (Presidente)
Cabral, Jadirlete Lopes
Giunchi, Paola Maria
Meo, Anna de
Olmo, Francisco Javier Calvo Del
Putta, Paolo Antonio Della
Título em italino
I pronomi clitici nelle produzioni scritte di apprendenti brasiliani di italiano L2: analisi degli errori e descrizione dell'interlingua
Palavras-chave em italino
Analisi dell\'errore
Didattica dell\'italiano L2/LS
interlingua
Manuali di italiano L2/LS
Pronomi clitici
Strategie anaforiche
Resumo em italino
Lo studio indaga la competenza degli apprendenti brasiliani di italiano L2 nelluso dei pronomi clitici, un sistema che in ragione dellalta complessità sintattica, morfologica e pragmatica rappresenta una sfida acquisizionale per qualsiasi discente. Nel caso dei brasiliani, la sfida è accentuata dal diverso valore marcato dal portoghese brasiliano (PB) rispetto allitaliano (IT) sul parametro dellespressione delloggetto anaforico, obbligatoria solo in IT. Ai fini di una più ampia comprensione del fenomeno si è fatto ricorso a un ventaglio di metodologie: per lidentificazione nelloutput degli errori ricorrenti e la loro classificazione (omissioni, sostituzioni tra forme, problemi di collocazione sintattica, strategie di evitamento) si è ricorso agli strumenti dellanalisi dellerrore (CORDER, 1967); per la descrizione delle produzioni in termini di forme presenti/assenti ci si è ispirati alle tecniche elaborate dai teorici dellinterlingua (SELINKER, 1972). Ci si è concentrati, in particolare, sui pronomi clitici di 3a persona accusativi e dativi (e sulla loro combinazione in nessi), nel cui uso si registra in PB un progressivo declino a favore di altre varianti di realizzazione delloggetto anaforico, come il pronome zero o il pronome tonico non enfatico (DUARTE, 1986; BERLINCK, 1997; CYRINO, 1994, 1998). I dati per lo studio sono stati raccolti da un campione di 34 apprendenti brasiliani del Centro di Cultura Italiana di Santa Catarina e Paraná (CCI SC/PR) attraverso due compiti di produzione scritta, di cui uno di elaborazione di risposte brevi a domande su una serie di immagini e laltro di redazione di un testo narrativo basato su uno storyboard. Nellelaborare i giudizi di grammaticalità e appropriatezza pragmatica delle strategie interlinguistiche di referenziazione anaforica si è tenuto conto dei dati registrati nel gruppo di controllo, composto da 28 parlanti nativi. Lanalisi delle produzioni degli apprendenti brasiliani ha evidenziato: un progresso nella padronanza della cliticizzazione allaumentare della proficiency; una stabilizzazione a un livello non-nativelike nelle interlingue dei soggetti più competenti; unelevata frequenza degli errori morfosintattici di omissione e di quelli pragmatici consistenti nella selezione di una strategia anaforica (sintagma nominale o pronome tonico) diversa da quella attesa (pronome clitico); una maggiore esitazione nelluso delle forme dative. Tali risultati sono stati confrontati con gli esiti di unanalisi parallelamente condotta su un campione di manuali per linsegnamento dellitaliano L2 con lobiettivo di indagarne le scelte didattiche relative al trattamento dei clitici. Dal confronto è emerso un parziale scollamento tra le proposte delle case editrici e le difficoltà di acquisizione evidenziate dalloutput, a partire dal quale sono state elaborate proposte per una didattica di tipo acquisizionale (VEDOVELLI, 2002, 2003; VEDOVELLI e VILLARINI, 2003) dei pronomi clitici, nella forma di indicazioni per un rinforzo del noticing su alcuni aspetti della ripresa anaforica e per linclusione nel percorso di insegnamento/apprendimento delle modalità esercitative che nei manuali risultano non contemplate o sottorappresentate
Título em português
Os pronomes clíticos nas produções escritas de aprendizes brasileiros de italiano L2: análise dos erros e descrição da interlíngua
Palavras-chave em português
Análise de erros
Didática do italiano L2/LE
Estratégias anafóricas
Interlíngua
Livros didáticos para o ensino de italiano L2/LE
Pronomes clíticos
Resumo em português
O estudo investiga a competência dos aprendizes brasileiros de italiano L2 no uso dos pronomes clíticos, um sistema que em razão de sua elevada complexidade sintática, morfológica e pragmática representa um desafio aquisicional para qualquer aprendiz. No caso dos brasileiros, esse desafio é acentuado pelo diferente valor atribuído em português brasileiro (PB) e italiano (IT) ao parâmetro da expressão fonológica do objeto anafórico, obrigatória apenas em IT. Visando a uma ampla compreensão do fenômeno, recorreu-se a diversas metodologias: por um lado, instrumentos da Análise dos Erros (CORDER, 1967) foram usados para identificar e classificar erros frequentes na produção dos aprendizes (omissões, substituições entre formas, problemas de colocação sintática, estratégias de evitamento); por outro lado, técnicas elaboradas pelos teóricos da Interlíngua (SELINKER, 1972) orientaram a descrição das mesmas produções em termos de formas presentes/ausentes. O trabalho concentrou-se, em particular, nos pronomes clíticos acusativos e dativos de terceira pessoa (e suas combinações em nexos), cujo emprego em PB registra um progressivo declínio em favor de outras variantes de realização do objeto anafórico, como, por exemplo, o pronome nulo ou o pronome tônico não-enfático (DUARTE, 1986; BERLINCK, 1997; CYRINO, 1994, 1998). Os dados utilizados no estudo foram coletados por meio de duas tarefas de produção escrita, realizadas por uma amostra de 34 aprendizes brasileiros do Centro de Cultura Italiana de Santa Catarina/Paraná. A primeira tarefa consistia na elaboração de respostas breves a perguntas relativas a uma série de imagens e a segunda na redação de um texto narrativo baseado em um storyboard. A avaliação da gramaticalidade e adequação pragmática das estratégias interlinguísticas de referenciação anafórica foi realizada comparando os dados dos aprendizes com os de um grupo de controle, composto por 28 falantes nativos. A análise da produção dos aprendizes brasileiros evidenciou: progresso no domínio da cliticização com o aumento da proficiência linguística; estabilização em torno de um nível non-nativelike nas interlínguas dos sujeitos mais competentes; elevada frequência de erros morfossintáticos de omissão e erros pragmáticos, consistindo na seleção de uma estratégia anafórica (sintagma nominal ou pronome tônico) distinta daquela esperada (pronome clítico); maior hesitação no uso das formas dativas. Tais resultados foram comparados com os achados de uma investigação, realizada em paralelo, com uma seleção de livros didáticos para o ensino de italiano L2, cujo objetivo era verificar as escolhas didáticas quanto ao tratamento dos pronomes clíticos. Constatou-se um descolamento parcial entre as propostas das editoras e as dificuldades evidenciadas nas produções, a partir do qual foram elaboradas propostas para uma didática dos pronomes clíticos que se relacione com a aquisição das línguas (VEDOVELLI, 2002, 2003; VEDOVELLI e VILLARINI, 2003) e consistiria em indicações para um reforço do noticing de alguns aspectos da referenciação anafórica e para a inclusão, no percurso de ensino/aprendizagem, de modalidades de exercícios atualmente não contempladas ou sub-representadas nos manuais
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2022-10-07
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2023. Todos os direitos reservados.