• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Livre Docencia
Documento
Autor
Nome completo
Andrés Eduardo Aguirre Antúnez
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2012
Banca examinadora
Safra, Gilberto (Presidente)
Migliavacca, Eva Maria
Ramos, Aidyl Macedo de Queiroz e Perez
Vaz, Cícero Emídio
Yazigi, Latife
Título em português
Perspectivas fenomenológicas em atendimentos clínicos: humanologia
Palavras-chave em português
Afetividade
Fenomenologia
Intersubjetividade
Psicologia clínica
Resumo em português
A partir de estudos de caso busca-se compreender a relação intersubjetiva na psicologia clínica por meio de três escolas da fenomenologia: a psicopatologia fenômeno-estrutural de Eugene Minkowski, a fenomenologia de Edith Stein, e a fenomenologia da vida de Michel Henry. As três modalidades clínicas apresentadas: atendimento clínico em grupo em ateliê de pintura de livre-expressão, acompanhamento terapêutico e psicoterapia, são refletidas e reposicionadas por essas vertentes fenomenológicas. O objetivo deste estudo é mostrar as potencialidades do estudo do humano em psicologia clínica, o que denomino humanologia. Observamos que o ateliê de desenho revela, no momento da verbalização, os segredos não revelados pelas imagens, indo de encontro aos fundamentos da criação e de facetas essenciais que o paciente busca comunicar por esse meio plástico e verbal; no acompanhamento terapêutico há a possibilidade de uma relação humana em movimento, próximo à vida como ela é e se apresenta, de modo que o acompanhante terapêutico observa e se relaciona no real e não no imaginário, mas no campo da afetividade. Na psicoterapia captamos a essência do sentido de existência, a potencialidade comunitária que pode ser desenvolvida na relação terapêutica, de modo que não mais nos dirigimos ao psíquico, mas ao humano. Assim, observamos que tanto no trabalho em grupo, nas ruas e na psicoterapia tradicional a relação humana se revela em primeiro plano e está na base de sua própria evolução. O encontro entre psicologia clínica e a fenomenologia pode contribuir com rico embasamento metodológico interdisciplinar, entre uma ciência qualitativa e prática e uma ciência eidética e teórica, de modo que ambas se enriquecem mutuamente
Título em inglês
Phenomenological Perspectives in Clinical Attendance: Humanology
Palavras-chave em inglês
Affectivity
Clinical psychology
Humanology
Inter-subjectivity
Phenomenology
Resumo em inglês
Using case studies, the aim is to understand the intersubjective relationship in clinical psychology through three phenomenological schools: Eugene Minkowski’s phenomeno-structural psychopathology; the phenomenology of Edith Stein; and Michel Henry’s phenomenology of life. The three clinical modalities presented here— group therapy in a free-expression painting studio; therapeutic accompaniment; and psychotherapy—are reflected upon and repositioned in relation to these phenomenological lines. The goal of the study is to show the potentialities of what I call humanology, i.e., the study of the human being in clinical psychology. We observe that, in the drawing studio, secrets not revealed in the images themselves are disclosed during verbalization, which meets halfway the fundaments of creation and the essential facets which the patient hopes to communicate through this visual/verbal medium. In therapeutic accompaniment there is the possibility of a human relationship in movement that is closer to life as it is and as it presents itself, such that the therapeutic companion can observe and relate to the subject in the real emotional world, rather than in an imaginary one. In psychotherapy, we capture the essence of the meaning of existence, the communitarian potentiality that can be developed in the therapeutic relationship, such that we cease to address the psychic and turn to the human. As such, we observe that in work in groups, in the street and in traditional psychotherapeutic settings the human relationship reveals itself in the foreground and at the base of its own evolution. The encounter between clinical psychology and phenomenology can provide rich interdisciplinary methodological grounds for a mutually enriching relationship between a qualitative, practical science and an eidetic, theoretical one
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
antunez_ld.pdf (1.41 Mbytes)
Data de Publicação
2013-07-02
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2014. Todos os direitos reservados.