• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.91.2010.tde-21062010-080227
Documento
Autor
Nome completo
Laura De Biase
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Piracicaba, 2010
Orientador
Banca examinadora
Garavello, Maria Elisa de Paula Eduardo (Presidente)
Caporal, Francisco Roberto
Marcos, Valeria de
Título em português
Agroecologia, campesinidade e os espaços femininos na unidade familiar de produção
Palavras-chave em português
Agricultura sustentavel
Campesinato
Ecologia agricola -aspectos sociais - aspectos culturais
Mulheres
Relações de generos
Resumo em português
O objetivo desta pesquisa foi refletir sobre a dimensão feminina na campesinidade e a importância de sua valorização para a incorporação dos aspectos sócio-culturais na prática agroecológica. A agroecologia pode ser definida como um campo de estudos de caráter multidisciplinar, que tem como objetivo articular o saber-fazer científico ao saber-fazer das comunidades rurais, como forma de potencializar práticas sustentáveis de agricultura. Como movimento de oposição ao processo de modernização da agricultura, busca recuperar as condições socioambientais perturbadas por este e viabilizar a construção de uma realidade sustentável. Contudo, tem-se constatado atualmente que a prática agroecológica brasileira tem sido realizada de maneira restrita, limitando-se principalmente a aspectos técnicos, insuficiente à realização da transformação pretendida teoricamente. Neste trabalho analisou-se, portanto, as possibilidades da campesinidade, e particularmente a valorização da sua dimensão feminina, contribuir para efetivar o projeto agroecológico de construção da sustentabilidade. Para tanto, realizou-se: (1) um estudo sobre as diferentes concepções teóricas da agroecologia e suas possibilidades de articulação para construção de uma proposta de agroecologia plena; (2) uma análise teórica sobre o campesinato e as características da campesinidade, de uma perspectiva de gênero, como fundamentação para a pesquisa de campo; (3) análises empíricas sobre campesinidade, relações de gênero na unidade familiar de produção e prática agroecológica, em duas realidades distintas: a região do Vale do Ribeira/SP e o município de Joanópolis/SP; e finalmente, (4) uma reflexão sobre as potencialidades de contribuição da dimensão feminina e da campesinidade para a construção da agroecologia plena. A pesquisa de campo foi realizada através de observação participante e realização de entrevistas abertas, buscando diversas formas de reduzir a distância existente entre pesquisadores e pesquisados. Como conclusão, constatou-se que (1) o processo de modernização da agricultura causou efeitos perturbadores à campesinidade e às relações de gênero, mas que, ainda assim, (2) é possível encontrar elementos de campesinidade nas realidades transformadas por esse processo. No entanto, (3) as iniciativas agroecológicas estudadas não alcançaram as condições necessárias para transcender os efeitos desta modernização sobre a organização sócio-cultural camponesa, especialmente no que se refere à masculinização dos processos familiares de produção. Finalmente, sugeriu-se que, quanto ao procedimento metodológico, a antropologia tem muito a contribuir com a construção de uma agroecologia plena.
Título em inglês
Agroecology, rural communities and feminine epaces inside family production units
Palavras-chave em inglês
Agricultural ecology - Socio aspects - Cultural aspects
Gender relations
Rural Communities
Sustainable Agriculture
Women
Resumo em inglês
The aim of this research was to reflect about the feminine dimension inside rural communities and the importance of feminine valorization looking to incorporate socio cultural aspects in agroecological practice. Agroecology can be defined as a multidisciplinary field of study that aims to articulate the scientific know-how with the rural communities know-how, as a way to strengthen sustainable practices in agriculture. As an opposition movement against the agricultural modernization process, it seeks to recover socio environmental conditions disturbed by it and facilitate the construction of a sustainable reality. However, it has been confirmed that agroecolgy has been practiced in a restricted way, limiting it to technical aspects that are not enough to reach the aimed theoretical transformation. Therefore, the contribution of rural communities, especially regarding feminine valorization was analyzed looking to see its contributions to the execution of an agroecological project for the construction of sustainability. Looking to achieve the objectives of this research, the following analysis were made: (1) a study about the different theoretical conceptions about agroecolgy and its articulation possibilities to construct a full agroecological proposal; (2) a theoretical analysis about rural communities and its characteristics from a gender perspective, as the basis for the field study; (3) empirical analysis about rural communities, gender relations inside the family production unit and agroecological practice in two different realities: Vale do Ribeira region SP, Brazil and Joanópolis municipality SP, Brazil; finally, (4) a reflection about the potentialities of feminine dimension contribution and of rural communities for the construction of a full agroecolgy. Field research was carried out by means of participant observation and open interviews, looking to reduce the distance between the researcher and the researched in several ways. To conclude it can be stated that (1) the agriculture modernization process caused disturbing effects to rural communities and to gender relations, but, even so (2) it is possible to find rural elements in the realities modified by this process. However, (3) the analyzed agroecological initiatives did not achieve the necessary conditions to transcend the effects of this modernization inside the rural socio cultural organization, especially regarding the masculinization of family production processes. Finally, it is suggested that anthropology can make a great contribution to the construction of a full agroecolgy, regarding the methodological procedure.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Laura_de_Biase.pdf (1.63 Mbytes)
Data de Publicação
2010-06-21
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.