• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.9.1992.tde-10022015-150223
Documento
Autor
Nome completo
Mitsuko Taba Ohara
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 1992
Orientador
Banca examinadora
Saito, Takako (Presidente)
Alterthum, Flavio
Fonseca, Maria Jose Vieira
Franco, Bernadette Dora Gombossy de Melo
Kedor, Erika Rosa Maria
Título em português
Aplicação do cloreto de trifeniltetrazólio no teste de limite microbiano em medicamentos e cosméticos
Palavras-chave em português
Cloreto de trifeniltetrazólio
Contaminação microbiana
Controle de qualidade
Cosmetologia
Farmacotécnica
Medicamento
Qualidade microbiológica
Teste de limite microbiano
Resumo em português
O cloreto de trifeniltetrazólio (TTC) foi empregado neste trabalho visando padronização de método alternativo para o teste de limite microbiano em medicamentos e cosméticos, com redução no tempo de análise, além de possibilitar a aplicação da técnica de semeadura em profundidade em amostras hidroinsolúveis com opacidade e carga contaminante menor que 102 UFC/g (mL).Na técnica de tubos múltiplos, a aplicação do corante não possibilitou a redução do tempo de incubação, pois a sensibilidade para detecção de suspensão bacteriana por meio de coloração do trifenilformazano foi de 108 UFC/mL após 1 hora de reação e 107 UFC/mL após 4 horas, suspensões estas visivelmente turvas. A adição de glicose e ácido glutâmico no meio de caseina-sola, nas concentrações de 0,5% e 0,1%, respectivamente, não aumentou a sensibilidade da reação. O polissorbato 20, adicionado ao meio de cultura, líquido ou sólido, promoveu a difusão do trifenilformazano das células para o meio, fator que não favorece a visualização da massa celular no meio líquido e nem das colônias. A concentração mínima de TTC que resultou em coloração máxima no meio líquido foi de 500 e 1000 µg/mL, dependendo da espécie bacteriana. Entretanto, suspensões bacterianas com 102, 10 e 1 UFC/mL testadas, pela técnica de tubos multiplos, com adição do corante na forma de solução após 20 horas em meio de caseina-soja, forneceram resultados equivalentes, quanto ao número de tubos positivos e negativos frente às duas concentrações. A comparação desta técnica alternativa com a da subcultura demonstrou ser o tempo de 20 horas de incubação insuficientes para detecção pelo TTC, quando inoculadas alíquotas de 1 mL de suspensão com número da ordem de 1 UFC/mL Na técnica de semeadura em profundidade, após incubação de 48 horas, a coloração das colônias bacterianas foi efetuada cobrindo-se a superfície do meio de cultura com 5 mL de ágar a 1,0% contendo TTC. A concentração de 0,025% do corante promoveu a coloração das colônias após 1 hora. Entretanto, na presença de suspensão de hidróxido de alumínio a 6% a concentração mínima eficaz de TTC foi de 0,1%. Para leveduras em meio líquido essa concentração foi de 2.500 µ/mL no meio neutralizado. Em meio sólido, na presença de material opalescente, a concentração eficaz foi de 2,0%, com o TTC adicionado na dispersão de ágar em tampão pH 7,5. Amostras de produtos comercializados com característica opalescente foram submetidas à análise pelo método de tubos múltiplos com sub-cultura e pela revelação com TTC. Simultaneamente as mesmas foram testadas pelo método de semeadura em profundidade, inoculando-se 2 mL das diluições 1:4 e 1:10 com revelação das colônias com o corante. O tempo para obtenção dos resultados foi de 72 horas pelo método oficial e de 50 horas pelo método com TTC, tanto em meio líquido como em sólido. A comparação dos dados obtidos pelos 3 métodos não resultou em diferença significativa para a maioria das amostras testadas. Entretanto, os coeficientes de variação foram sempre menores para o método de semeadura em profundidade com a amostra diluída de 1:4, indicando maior precisão deste sobre os outros, principalmente em relação ao número mais provável.
Título em inglês
Triphenyltetrazolium chloride application in microbial limit test for medicines and cosmetics
Palavras-chave em inglês
Cosmetology
Drugs
Microbial contamination
Microbial limit testing
Microbiological quality
Pharmaceutical technology
Quality control
Triphenyltetrazolium chloride
Resumo em inglês
The conventional methods for bioburden assessment are restrictive when applied to evaluate microbiological quality of pharmaceuticals and cosmetics. Triphenyltetrazolium chloride (TTC) was applied in this standartization study as alternative method for microbial limit test of pharmaceuticals and cosmetics. This method aimed at to reduce the assay time by conciliating the pour-plate technique analysis low bioburden of samples containing opacifiers. The application of this dye in the multiple tubes technique did not reduce incubation time, because the bacterial suspension sensitivity to triphenylformazan colour was 108 CUF/mL to 1 hour reaction and 107 CUF/mL to 4 hours. Suspensions with these bioburden are clearly turbid. The addition of 0.5% glicose and 0.1% glutamic acid to soybean-casein digest medium did not increase the reaction sensitivity. The addition of polissorbate 20 to solid ar liquid media promotted the difusion of triphenylformazan trom the cells to media; it rendered difficult of cellular mass detection in liquid medium and as much as colonies. The minimum concentration of TTC that produced maximum colour in liquid medium was 500 and 1,000 µg/mL, depending on the bacteria. However, bacterial suspensions with 102 CUF/mL tested by multiple tubes technique with 20 hours of incubation and by microbial growth detection after TTC addition provided equivalent numbers of positive and negative tubes with both concentrations. The comparison of this alternative method with that of sub-culture proved that 20 hours of microbial growth is not enough to be detected by TTC, when 1 mL of 1 CUF/mL suspension was planted. The dying of bacterial colonies was performed by covering the medium surface with 5 mL of 1% agar with TTC, molten at 48 C. The concentration of TTC that colored colonies in 1 hour was 0.025%. However, in presence of 6% aluminium hidroxide suspension the minimum effective concentration was 0.1%. The concentration required to detect yeasts in liquid media was 2,500 µg/mL in neutral pH condition. To detect yeast colonies in opalescent solid medium effective TTC concentration was 2%; in this case the dye was added to agar dispersed in 7.5 phosfate buffer. Samples of marketed produtcts were analysed through multiple tubes method with sub-culture and by TTC addition. Same samples were tested through pour-plate technique by inoculating 2 mL of 1:4 and 1:10 dilutions. The time required for resutts was 72 hours by the official method and 50 hours by alternative proposed method in liquid or solid medium. When the 3 method results were compared no significant differences were observed in almost all of the samples. However, the coefficient of variation related to pour-plate method results from 1:4 sample dilution was always lower than the others, mainly when compared with those obtained trom multiple tubes method. Therefore, the alternative pour-plate method is the most accurate one.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2015-02-10
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.