• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.9.2005.tde-08122008-143118
Documento
Autor
Nome completo
Cristiano Soleo de Funari
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2005
Orientador
Banca examinadora
Ferro, Vicente de Oliveira (Presidente)
Mathor, Monica Beatriz
Sudo, Lia Siguemi
Título em português
Análise de própolis da Serra do Japi, determinação de sua origem botânica e avaliação de sua contribuição em processos de cicatrização
Palavras-chave em português
Baccharis dracunculifolia D.C.
Artepillin C
Cicatrização
Fenólicos
Fibroblastos
Flavonóides
Própolis
Resumo em português
Atualmente, há uma considerável quantidade de informações relativas a aspectos químicos e biológicos da própolis, porém sua aplicação terapêutica ainda pode ser considerada incipiente. Isto se deve, principalmente, a grande variabilidade da composição química deste produto em função de sua origem geográfica/botânica, já que em diferentes ecossistemas as abelhas recorrem a distintas espécies vegetais como fontes de matérias-primas para sua elaboração. Desta forma, para se chegar a uma futura padronização, os conhecimentos da(s) fonte(s) botânica(s) e da origem geográfica da amostra são fundamentais e devem acompanhar qualquer estudo biológico, no sentido de se estabelecer quais atividades biológicas correspondem a um tipo específico de própolis. O presente trabalho objetiva contribuir para os conhecimentos da composição de própolis do estado de São Paulo (coletado na Serra do Japi) e de sua fonte botânica, bem como para a discussão dos possíveis mecanismos envolvidos em processos de cicatrização, influenciados pela aplicação tópica de própolis (um de seus usos mais difundidos mundialmente é como "cicatrizante"). Para tanto, traz análises físico-químicas, preconizadas pelo Ministério da Agricultura (teores de cinzas, cera, sólidos solúveis, flavonóides e fenóis totais, perda por dessecação a 105 ºC e massa mecânica), estudos de composição química pela técnica CLAE, análises cromatográficas comparativas entre o extrato metanólico de própolis e de sua suposta fonte botânica, quantifica a complexação de substâncias fenólicas da própolis ao pó de pele e traz estudos, in vitro, da influência deste produto sobre proliferação de fibroblastos de camundongos (células NIH 3T3). Excetuando-se a perda por dessecação a 105 ºC, todos os demais parâmetros estiveram dentro dos limites estabelecidos pelo Ministério da Agricultura, para a fixação de identidade e qualidade da própolis. Identifica os flavonóides canferol, canferida e isossacuranetina e os ácidos para-cumárico, ferúlico, clorogênico, cafeico, trans-cinâmico e Artepillin C, na própolis, e comprova ser a Baccharis dracunculifolia DC. (vassourinha) a sua fonte botânica. Mostra que a própolis foi tóxica aos fibroblastos nas concentrações de 125,00; 62,50 e 31,25 µg/mL e levemente proliferativa entre as concentrações 7,812 e 0,732 µg/mL, mas sem diferenças estatisticamente significativas em relação a seus controles. Indica que 68,12% das substâncias fenólicas presentes no extrato etanólico de própolis complexaram com pó de pele. Conclui, dentre outras coisas, que a própolis estudada apresenta grande variedade de substâncias fenólicas, adsorve fortemente a pele humana, não possui efeito proliferativo estatisticamente significativo sobre os fibroblastos de camundongo (células NIH 3T3) e, provavelmente, atua auxiliando o processo de cicatrização indiretamente, facilitando o estabelecimento das condições ideais para que a cicatrização ocorra.
Título em inglês
Analysis of propolis from Serra do Japi, determination of its botanical source and its effects on mouse fibroblasts
Palavras-chave em inglês
Baccharis dracunculifolia D.C.
Artepillin C
Cicatrization
Fibroblasts
Flavonoids
Phenolics
Propolis
Resumo em inglês
Nowadays a great amount of information relating chemical and biological aspects of propolis is available in the literature, but only a few data on its therapeutic uses are found. The major reason of this fact is due to the enormous variability of chemical composition of propolis regarding the geographiclbotanic source of the material, because bees prepare propolis using different vegetable species as raw materiais from different e cosystems in the environment. In order to increase the therapeutic use of propolis, it is important to establish which biological activity corresponds to a specific type of propolis (regarding its origin and chemical composition). Therefore, the botanical and geographic origin of propolis knowledge should follow any biological investigations with this material. This paper offers a contribution to the chemical composition knowledge of propolis from São Paulo state (Serra do Japi - Brazil) and its botanical vegetable source, as well as the discussion of possible mechanisms involved in wound healing process related to this material. For this reason, presents commended Ministry of Agricultural analysis (loss on drying at 105 ºC, determinations of extractable and non-extractable matter and determinations of ash, wax, flavonoids and total phenolic contents), chemical composition studies by HPLC, comparative chromatographic analysis between propolis and its expected vegetal source, adsorption determination of phenolic substances in skin powder and fibroblast proliferation assay (NIH 3T3 cells). Excepting the drying loss test at 105 ºC, all the parameters have been according the limits established by the Ministry of Agricultural to guarantee the identity and quality of propolis. Identification of kaempferol, kaempferide, isosakuranetin, Artepillin C, p-coumaric acid, ferulic acid, chlorogenic acid, caffeic acid and t-cinnamic acid in propolis was possible. The specie Baccharis dracunculifolia DC was identified as the vegetable source of the propolis. About 68% of phenolic substances present in the original extract adsorbed to the skin powder. Propolis was toxic to the fibroblasts at 125,0, 62,5, and 31,25 µg/mL and slightly proliferative between concentrations of 7,812 and 0,732 µg/mL but with no significant statistic differences relating the controls. It is conclusive that the propolis under study presents a great variety of phenolic substances, adheres strongly to the human skin, presents no proliferative effect to the mouse fibroblasts (NIH 3T3 cells) and probably helps to esta blish good conditions to the wound healing process.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2008-12-09
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.