• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.8.2012.tde-13122012-103208
Documento
Autor
Nome completo
Daniel Douek
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2012
Orientador
Banca examinadora
Topel, Marta Francisca (Presidente)
Cytrynowicz, Roney
Rozenchan, Nancy
Título em português
Próximos e distantes: um estudo sobre as percepções e atitudes da comunidade judaica paulista em relação ao Estado de Israel (2006-2010)
Palavras-chave em português
Comunidade religiosa
Diáspora
Estado de Israel
Judeus
Resumo em português
Contradizendo os pressupostos iniciais do sionismo, após pouco mais de 60 anos da fundação do Estado de Israel, a vida judaica na diáspora não findou, e foram desenvolvidos novos padrões de relacionamento entre as comunidades judaicas e o Estado de Israel. O presente trabalho analisa percepções e atitudes da comunidade judaica de São Paulo. Buscou-se verificar o modo como esta comunidade elabora, confere significado simbólico e prático e mantém o vínculo à distância com Israel por meio de suas principais instituições. Para isso, foram analisadas notícias, editoriais e artigos do jornal Tribuna Judaica ao logo de um período de cinco anos de janeiro de 2006 a dezembro de 2010. Também foram realizadas entrevistas semiestruturadas com dirigentes das entidades judaicas mais importantes e com representantes do Estado de Israel. Verificamos que os vínculos entre a comunidade judaica de São Paulo e o Estado de Israel são organizados e mantidos por um núcleo institucional relativamente pequeno, e reforçados por representantes do governo israelense que, periodicamente, visitam o Brasil. Para a comunidade judaica de São Paulo, viagens a Israel de curta ou longa duração também são importantes na aproximação com o país. Constatamos ainda que o vínculo com o Estado de Israel tornou-se parte indissociável da identidade da maioria dos judeus. Porém, verificamos que a percepção comunitária sobre o Estado de Israel é marcadamente idealizada, mítica, e anacrônica. Idealizada e mítica, pois está distante da realidade empírica apresentada em pesquisas desenvolvidas por historiadores, sociólogos, antropólogos, cientistas políticos e jornalistas daquele país. Anacrônico, pois a sociedade israelense é concebida como aquela de outrora, pré-quebra de consensos do sionismo hegemônico, formulado e cristalizado pelas elites ashkenazitas até a década de 1990. Disputas e conflitos internos, notadamente étnicos e religiosos, cada vez mais acirrados, são minimizados, assim como a herança dos judeus de origem oriental, de outros imigrantes judeus e não judeus e da população árabe nativa na formação da identidade israelense atual. Podemos destacar também que, apesar de o Brasil não apresentar tradição antissemita, o fato de grande parte dos membros da comunidade judaica brasileira atual serem refugiados ou descendentes de refugiados, isto é, marcados por memórias de perseguição e fuga no passado, como o é também a própria história judaica, faz com que o presente seja encarado com desconfiança e incerteza. O Estado de Israel é visto como um porto seguro contra o antissemitismo e, portanto, sua defesa nos fóruns políticos e diplomáticos locais adquire contornos de uma luta pela sobrevivência individual (de cada judeu) e coletiva (do povo judeu), não importando se os judeus estão na diáspora ou no Estado de Israel. Finalmente, percebemos que se, por um lado, a comunidade judaica possui laços fraternos com o Estado de Israel, por outro, não deixa de desenvolver sentimentos nacionalistas em relação ao Brasil ou de se integrar no sistema de poder local.
Título em inglês
Near or far: a study on perceptions and attitudes of the Jewish community of São Paulo regarding the state is Israel (2006-2010)
Palavras-chave em inglês
Diaspora
Jews
Religious community
State of Israel
Resumo em inglês
Contradicting the initial assumptions of Zionism, after more than 60 years since the founding of the State of Israel, Jewish life in the Diaspora has not ended, and new patterns of relationship between the Jewish communities and the State of Israel has been developed. This study examines perceptions and attitudes of the Jewish community of São Paulo. We sought to ascertain how this community develops, provides practical and symbolic significance and keeps the long-distance bond with Israel through its main institutions. To achieve this aim, we analyzed news, editorials and articles of the newspaper Tribuna Judaica during a period of five years from January 2006 to December 2010. We also conducted semi-structured interviews with leaders of major Jewish organizations and representatives of the State of Israel. Weve found that the ties between the Jewish community of São Paulo and the State of Israel are organized and maintained by a relatively small institutional core, and reinforced by representatives of the Israeli government that periodically visit Brazil. For the Jewish community of São Paulo, short- or long-term trips to Israel are also important in approaching the country. Weve also acknowledged that the bond with the State of Israel has become an integral part of the identity of most Jews. However, we noticed that the community perception of the State of Israel is remarkably idealized, mythical, and anachronistic. Idealized and mythical, as it is far from the reality presented in empirical research by historians, sociologists, anthropologists, political scientists and journalists from that country. Anachronistic, because Israeli society is conceived as that of yore, pre-breakdown of hegemonic Zionism consensus, which was crystallized and formulated by the Ashkenazi elites till the 1990s. Disputes and internal conflicts, especially ethnic and religious, increasingly fierce, are minimized, as well as the heritage of the Jews of Eastern origin, other Jewish and non-Jewish immigrants and the native Arab population in the shaping of Israeli identity. It can also be pointed out that, although Brazil does not have an anti-Semitic tradition, the fact that much of the members of the Brazilian Jewish community are refugees or descendants of refugees, in other words, are marked by memories of persecution and escape in the past, as Jewish history itself, makes them face the present with uncertainty and mistrust. The State of Israel is seen as a safe haven against anti-Semitism, and thus its defense in the local political and diplomatic forums acquires contours of a struggle for individual survival (of each Jew) and collective (of the Jewish people), regardless of whether these Jews are living in the diaspora or in State of Israel. Ultimately, we notice that if on the one hand, the Jewish community has fraternal ties with the State of Israel, on the other, it does not fail to develop nationalistic feelings towards Brazil or to integrate into the local system of power.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
2012_DanielDouek.pdf (1.92 Mbytes)
Data de Publicação
2012-12-13
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2014. Todos os direitos reservados.