• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.8.2012.tde-14092012-115057
Documento
Autor
Nome completo
Reinaldo Oliveira Hening
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2012
Orientador
Banca examinadora
Mazzari, Marcus Vinicius (Presidente)
Bolle, Stefan Wilhelm
Soethe, Paulo Astor
Título em português
A transfiguração do espaço: um olhar oblíquo sobre o sertão
Palavras-chave em português
Espaço
Ética
João Guimarães Rosa
Teoria do romance
Resumo em português
Antonio Candido, na Formação da Literatura Brasileira, disse que a vocação ecológica de nosso romance, nossa fome tão característica de espaços, em boa medida foi a forma que nossos primeiros romancistas teriam encontrado para substituir complexidade e variedade sociais supostamente inexistentes no Brasil àquela altura, que seriam, segundo ele, a própria carne da ficção de alto nível. Numa sociedade recém emancipada, com poucos nichos de urbanização, caracterizada por uma rede pouco vária de relações sociais em que os conflitos entre ato e norma seriam menos frequentes, o caráter paisagístico e investigativo de nosso primeiro romance teria sido a um só tempo muleta e solução privilegiada. Esse pensamento se alinha à tendência mais geral da teoria do romance de considerar como elementos fundamentais do gênero a ascensão da burguesia capitalista e a consolidação do realismo individualista. Os heróis do romance passam a ser então os heróis do individualismo econômico, o que demonstraria a coerência entre o gênero e os rumos filosóficos e econômicos da sociedade moderna. Concorda com ele, por exemplo, Lúcia Miguel-Pereira, para quem, sendo o gênero literário que mais diretamente se nutre da vida de relação, dificilmente poderia o romance atingir a culminâncias numa sociedade sem estratificações profundas, de fraca densidade espiritual. Pois bem, se o romance não pode lidar com os elementos essenciais da vida de modo geral e abstrato, mas tal como se revela através de determinado grupo humano, ou seja, socialmente verossímil como prega a mesma Lúcia Miguel-Pereira, então como explicar a complexidade e a modernidade de um narrador como Riobaldo e a qualidade de um romance como Grande Sertão: Veredas, se alocados no suposto isolamento de um sertão patriarcal? Partindo desse problema central, busca-se nesta pesquisa fundamentalmente a partir das relações entre a figuração espacial do romance e o ethos desse narrador sertanejo, entender como o espaço e o contexto social periféricos podem ter interferido na forma do romance, já que, como coloca Franco Moretti: Um novo espaço encoraja mudanças de paradigma [...] porque coloca novos problemas e dessa forma pede novas respostas. Força escritores a assumir riscos e tentar combinações inauditas.
Título em inglês
The transfiguration of space: an oblique view over the sertão
Palavras-chave em inglês
Ethics
João Guimarães Rosa
Space
Theory of the novel
Resumo em inglês
Antonio Candido, in Formação da Literatura Brasileira, said that the ecological vocation of our novel, our so peculiar hunger for spaces, was in a measure the way our first authors would have found to replace social complexity and variety allegedly inexistent in Brazil by that time which would be, according to him, the own flesh of high level fiction. In a newly emancipated society, with few civilization niches, characterized by a not so varied network of social relations in which the conflicts between act and norm would be less frequent, the landscape and investigative character of our first novel would have been, at the same time, privileged solution and prop. This thought is aligned with the broader trend of the theory of the novel, which considers as fundamental elements of genre the capitalist bourgeois ascension and the individualist realism consolidation. The novel heroes come to be the economical individualism ones, therefore demonstrating the coherence among the genre and the economical and philosophical courses of modern society. Lúcia Miguel-Pereira agrees with him, being the literary genre the one that more directly nurtures from the relationships life, the novel could hardly reach heights in a society without deep stratification, of a weak spiritual density. This said, if the novel cannot deal with life essential elements in an abstract and general manner, but in the way it reveals itself through a certain human group, that is, socially credible as the same Lúcia Miguel-Pereira states then how to explain the complexity and modernity of a narrator such as Riobaldo and the quality of a novel such as Grande Sertão: Veredas, if placed in a supposed isolation of a patriarchal sertão? From this central problem, this research seeks fundamentally from the relations between the novel spatial figuring and this sertão narrators ethos to understand how the space and the peripheral social context could have interfered in the novel form, since Franco Moretti also states: a new space encourages paradigm shifts [] because it presents new problems and in this way it asks for new answers. It compels writers to put up with risks and try unprecedented combinations.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2012-09-14
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.