• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.8.2014.tde-18032015-174310
Documento
Autor
Nome completo
Ednalvo Apostolo Campos
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2014
Orientador
Banca examinadora
Oliveira, Márcia Santos Duarte de (Presidente)
Baxter, Alan Norman
Galves, Charlotte Marie Chambelland
Petter, Margarida Maria Taddoni
Sousa, Maria Clara Paixao de
Título em português
A sintaxe pronominal na variedade afro-indígena de Jurussaca: uma contribuição para o quadro da pronominalização do português falado do Brasil
Palavras-chave em português
Português afro-indígena
Português brasileiro
Sintaxe pronominal
Teoria sintática
Resumo em português
Esta pesquisa aborda a sintaxe pronominal pessoal da comunidade quilombola de Jurussaca/PA, sob os pressupostos da teoria gerativa, nas versões de Princípios e Parâmetros (Chomsky, 1986) e Minimalista (Chomsky, 1995, 2001). Dentro desse quadro, destacam-se os estudos sobre a categoria pronominal desenvolvidos por Zwicky (1977), Kayne (1975, 1991), Borer (1981), Bonet (1991), Cardinaletti & Starke (1999), Ewerett (1994), Duarte & Matos (2000), Duarte, Matos & Gonçalves (2005), Galves (2001a,b), Galves & Abaurre (2002), Déchaine & Wiltchko (2002), entre outros. Parte-se, inicialmente, da expressão do português brasileiro a partir do viés dicotômico existente entre suas variedades: o PB e o PVB. Essa dicotomia tem sido denominda de polarização sociolinguística do Brasil (LUCCHESI, 2008, 2009). Assume-se (cf. Oliveira et alii, no prelo) o conceito de Português Afro-indígena, relativo às variedades de português popular faladas no Brasil em comunidades rurais que conservam especificidades etnolinguísticas. Propõe-se que essas variedades localizam-se dentro de um continuum de variedades de português brasileiro [+marcadas] (como o português afro-brasileiro e o indígena). Analisa-se, a partir da sócio-história, e das construções sintáticas da expressão da comunidade: pronomes clíticos e tônicos atemáticos; o pronome de 1ª. pessoa nós [ns] em posição pré verbal ou proclítica, entre outras, como parte de fatores sintáticos (e etnolinguísticos) que sugerem uma provável reestruração em certos aspectos da sintaxe pronominal de Jurussaca; apontam para a existência prévia de um forte contato linguístico e são tomados como suporte para as hipóteses assumidas
Título em inglês
The pronominal syntax in the afro-indigenous variety of Jurussaca: a contribution to the framework of the pronominalization of the portuguese spoken in Brazil
Palavras-chave em inglês
Afro-indigenous portuguese
Brazilian portuguese
Pronominal syntax
Syntactic theory
Resumo em inglês
This research addresses the syntax of the personal pronoun system of the maroon community of Jurussaca/Pa, under the assumptions of generative theory, in its Principles & Parameters (Chomsky, 1986) and Minimalist (Chomsky, 1995, 2001) versions. Within this theoretical framework, the studies of pronominal category developed by Zwicky (1977), Kayne (1975, 1991), Borer (1981), Bonet (1991), Cardinaletti & Starke (1999), Ewerett (1994), Duarte & Matos (2000), Duarte, Matos and Gonçalves (2005), Galves (2001a, b) Galves & Abaurre (2002) Dechaine & Wiltchko (2002), among others, are highlited. The study departs from a consideration of the bias in dichotomy existing between the varieties known as Brazilian Portuguese (BP) and Brazilian Vernacular Portuguese (BVP). This dichotomy has been refered to as the "sociolinguistics polarization of Brazil" (LUCCHESI, 2008, 2009). The study assumes the classification Afro-Indigenous Portuguese (cf. Oliveira at al, in press) in relation to to the popular varieties of Portuguese spoken in Brazilian rural communities that preserve ethno-linguistic specificities. It is then proposed that these varieties are located on a continuum of [+ marked] Brazilian Portuguese varieties (such as Afro-Brazilian and Indigenous Portuguese). As from the socio-history of the community it is analyzed syntactic constructions with clitic pronouns and athematic tonic pronouns devoid of thematic role; the 1st person pronoun nós [ns] (we) in the pre-verbal or proclitic positions, among others, are syntactic constructions that suggest 'grammatical restructuring' and point to the prior existence of a strong language contact and are taken as support for the hypotheses here assumed
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2015-03-18
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.