• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.8.2014.tde-28052014-125108
Documento
Autor
Nome completo
Talita Ewald Wuerges
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2014
Orientador
Banca examinadora
Grolla, Elaine Bicudo (Presidente)
Lopes, Ruth Elisabeth Vasconcellos
Scher, Ana Paula
Título em português
A aquisição da morfologia verbal por crianças falantes de português brasileiro e o uso de formas variantes
Palavras-chave em português
Aquisições da linguagem
Flexão verbal
Português do Brasil
Resumo em português
Este trabalho se dedica à aquisição de morfologia verbal (flexão verbal) porcrianças monolíngues adquirindo português brasileiro. O objetivo desta pesquisa é investigar o comportamento de crianças e para isso analisamos a produção verbal espontânea de cinco crianças entre 1;6 e 4;0 anos de idade, falantes nativas de português brasileiro, analisando especialmente o papel da frequência na aquisição dos verbos. No que diz respeito à influência da frequência na aquisição, adotaremos o modelo Rules and Competition(YANG, 2002), elaborado para prever o comportamento de crianças adquirindo o sistema verbal do inglês através da frequência das classes no inputda criança. As classes são determinadas por suas regras de formação e quanto maior a classe e o uso da regra regular ou irregular, maior será a taxa de uso correto. O corpus da pesquisa corresponde a 156 sessões de fala espontânea de crianças, gerando um total de 16490 formas verbais produzidas. As formas verbais foram classificadas entre regulares e irregulares e entre formas produzidas de acordo com a norma padrão e formas morfologicamente variantes. A partir dessa classificação, analisamos os dados, destacando os padrões que emergem e a frequência com que as formas verbais são produzidas. Encontramos em nossos dados um baixo número de produções inesperadas: apenas 0,5% das ocorrências, sendo que dessas apenas 0,1% correspondem a formas morfologicamente variantes. Isso significa que, apesar de a linguagem estar em desenvolvimento, as crianças possuem uma excelente performance linguística e são, desde muito novas, capazes de flexionar os verbos de forma satisfatória. Através de nossos dados obtivemos indícios de que não existe uma classe verbal defaultno português brasileiro infantil e podemos concluir que a frequência das classes parece estar diretamente relacionada à aquisição da forma verbal e ao bom desempenho das crianças adquirindo português brasileiro.
Título em inglês
The acquisition of verbal morphology by children speakers of Brazilian Portuguese and the use of variant forms
Palavras-chave em inglês
Acquisition of language
Portuguese of Brazil
Verbal inflection
Resumo em inglês
This work is dedicated to the acquisition of verbal morphology (verbal inflection) by monolingual children acquiring Brazilian Portuguese. The aim of this study is to describe the acquisition of verbal morphology in Brazilian Portuguese, using data from 5 children acquiring Brazilian Portuguese between the ages of 1; 6 and 4;0, especially analyzing the role of frequency in the acquisition of verbs. Regarding to the influence of frequency in the acquisition, we will adopt the Rules and Competition (YANG, 2002) model, designed to predict the behavior of children acquiring the verbal system of English through the frequency of the verbal classes in the input of the child. The verbal classes are determined by their rules and the bigger the class and the use of a specific regular or irregular pattern, the bigger will be the correct usage rate. The data is comprised of 156 sessions and 16490 inflected verbs. We classified the verbal forms between regular and irregular forms and between verbal forms produced according to the standard norm and morphologically variant verbal forms. From this classification, we analyzed data, pointing out the patterns that emerge, and the frequency with which the verb forms were produced. Our data showed a small number of unexpected productions: only 0,5% of children's total production, and, from these, only 0.1% were morphologically variant forms. This means that, although the language is in development, children have an excellent linguistic performance and are, from very young, able to flex verbs satisfactorily. Through our data we got evidence that there is no default verbal class in Brazilian Portuguese children's speech and we can conclude that the frequency of the classes seems to be directly related to the acquisition of verbal and to the performance of children acquiring Brazilian Portuguese.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2014-05-28
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2014. Todos os direitos reservados.