• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.8.2019.tde-01032019-101731
Documento
Autor
Nome completo
Karin Camolese Vivanco
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2018
Orientador
Banca examinadora
Storto, Luciana Raccanello (Presidente)
Lima, Suzi Oliveira de
Muller, Ana Lucia de Paula
Sandalo, Maria Filomena Spatti
Título em português
Perguntas QU-, orações subordinadas e ordem de palavras em Karitiana
Palavras-chave em português
Karitiana
Nominalização
Orações subordinadas
Perguntas QU-
Voz inversa
Resumo em português
Este trabalho descreve diversos aspectos da formação de perguntas complexas, orações subordinadas e ordem de palavras no Karitiana, uma língua Tupi da família Arikém. Primeiramente, descrevemos a formação de perguntas bi-oracionais como perguntas indiretas e perguntas de longa-distância. No primeiro caso, argumentamos que perguntas indiretas strictu sensu não existem em Karitiana, pois pronomes interrogativos não são em geral permitidos dentro de orações subordinadas. Já perguntas de longa-distância são possíveis na língua, mas sua formação inclui uma estratégia conhecida como pied-piping de larga-escala, na qual a oração subordinada inteira contendo o pronome interrogativo é movida para a posição inicial da sentença. Argumentamos que estes dois fatos podem ser capturados se assumirmos uma estrutura para orações subordinadas (1) que não contém certos núcleos oracionais, como C; e (2) que é a projeção de um núcleo nominalizador n. Essas propriedades seriam capazes de explicar o comportamento ambíguo destas construções, que ora se comportam como orações, ora como sintagmas nominais. Além disso, essa proposta também explica outros fenômenos aparentemente não relacionadas, como a ausência de tough-constructions, a extração com verbos factivos, a cliticização em subordinadas e a presença de relativas de núcleo interno. Propomos ainda que este núcleo n de caráter nominal teria como uma possível realização fonética um sufixo -a, que pode ser detectado em diversos ambientes nominais da língua e que possivelmente teria conexões históricas com o nominalizador -a presente em outras línguas Tupi. Na segunda parte deste trabalho, discutimos ainda construções com o morfema de voz inversa ti-, reanalisadas aqui como configurações de redobro de clítico. Essa proposta é capaz de explicar diversas propriedades deste morfema, como sua emergência em diferentes construções, o padrão de concordância excêntrica disparado por ele, a distribuição complementar com a passiva e a leitura pressuposicional do tema nestes ambientes. Por fim, discutimos ainda dois fenômenos prosódicos - o sufixo -o e a intonação de relativas de objeto com ti- - que poderiam constituir argumentos adicionais para as análises desenvolvidas neste trabalho.
Título em inglês
WH- questions, embedded clauses, and word order in Karitiana
Palavras-chave em inglês
Embedded clauses
Inverse voice
Karitiana
Nominalization
WH- questions
Resumo em inglês
This dissertation investigates aspects of question formation, embedded clauses, and word order in Karitiana, a Tupi-Arikém language spoken in Brazil. Firstly, the formation of bi-clausal questions such as indirect questions and long-distance questions is described. Regarding indirect questions, our claim is that there are no indirect questions in Karitiana, as interrogative pronouns are usually disallowed inside embedded clauses. On the other hand, the language has long-distance questions, but they obligatorily involve a strategy known as clausal/large-scale pied-piping - i.e., fronting of the whole embedded clause containing the interrogative pronoun. These two facts can be explained if one assumes a structure for embedded clauses that does not contain certain clausal projections, such as CP, and that includes a nominalizing head n. These properties also account for the mixed behavior of these constructions, which exhibit a clausal template while manifesting several nominal features. Moreover, the proposed analysis also explains other apparently non-related properties of the language, such as the lack of tough-constructions, extraction with factive verbs, obligatory cliticization, and internally-headed relative clauses. Additionally, we claim that this nominal head has a phonetic realization as a suffix -a, detected in several nominal phrases and which is possibly linked to a Tupian nominalizer of the same form. In part II, we discuss constructions with the inverse voice morpheme ti-, claiming that these can be reanalyzed as cases of clitic-doubling. This analysis accounts for several properties of this preffix, such as its presence in cases of WHmovement, the eccentric pattern of agreement that it triggers, the complementary distribution with the passive, and the pressupositional reading of the theme in these constructions. Finally, two prosodic phenomena - the suffix -o and the intonational pattern of object relative clauses with ti- - are describedin detail and it will be shown how these provide additional evidence for the analyses developed in this dissertation.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2019-03-01
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.