• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
Documento
Autor
Nome completo
Fagno da Silva Soares
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2017
Orientador
Banca examinadora
Suzuki, Julio Cesar (Presidente)
Alves, Vicente Eudes Lemos
Lopes, Alberto Pereira
Silva, André Eduardo Ribeiro da
Toledo, Carlos de Almeida
Título em português
Escravos na Amazônia: geografando histórias de trabalhadores rurais do Maranhão no Pará
Palavras-chave em português
Amazônia
Escravidão por dívida
Geografia oral
Territorialidade migratória
Resumo em português
Este estudo doutoral enseja a contribuição com o avanço das reflexões acerca da migração e escravidão por dívida na Amazônia Paraense, no amplo espectro conceitual da geografia humana, perscrutando as narrativas de trabalhadores rurais do Maranhão submetidos à condição análoga a de escravo no Estado do Pará, através da metodologia da história oral entrecruzada com a geografia humana e geografia social, no que chamamos de geografia oral, amealhada a outras fontes documentais como hemerográficas, judiciárias e relatórios técnico-institucionais, com o intento de geografar as memórias e identidades forjadas por estes trabalhadores e suas intrínsecas relações com o território e a migração temporária, enquanto categorias geográficas para compreender o processo de escravidão por dívida, escopo de nosso trabalho. Defendemos, pois, a noção de trabalho escravo, enquanto escolha político-militante, por entender que nossos narradores assim são tratados na Amazônia. O universo pesquisado foi composto por uma cuidada análise entrevistas realizadas com trabalhadores de 19 a 84 anos de idade, no município de Açailândia/MA, localizado na Amazônia Maranhense, fronteira entre os Estados do Tocantins, Maranhão e Pará, palco de pujantes conflitos e impactos que tem sua origem na implantação do Programa Grande Carajás em meados dos anos 80, favorecendo a formação de um cenário de contradições sociais, econômicas e ambientais. Neste contexto, consubstanciamos uma discussão histórico-geográfica da noção de territorialidade migratória, acessada através das narrativas construídas pelos protagonistas deste estudo e as dimensões identitárias que emergem da análise de seu processo de [des/re]territorialização. Outrossim, discutimos filigranadamente os conceitos de território e migração à luz da ciência geográfica, cotejando-os. Nestes termos, pretende-se lançar novas perspectivas de análise e reflexão a este candente objeto de estudo.
Título em inglês
Slaves in the Amazon: geographing stories of rural workers from Maranhão in Pará
Palavras-chave em inglês
Amazon
Migrate territoriality
Oral geography
Slavery by debt
Resumo em inglês
This doctoral study expects to contribute with the advance of the reflections about immigration and slavery by debt in the Paraense Amazon, in the broad conceptual spectrum of human geography, peering the narratives of Maranhão rural workers submitted to the analogous condition of slave in the state of Pará, through the methodology of oral history, intertwined with human geography and social geography, in what we call oral geography, gathered to other documentary sources, such as hemerographic, judiciary and technical-institutional reports, itains to map the memories and identities forged by those workers and their intrinsic relations with the territory and the temporary migration, as geographical categories, to understand the process of slavery by debt, the scope of our research work. We defend, therefore, the notion of slave labor as a political militant choice, by understanding that our narrators are treated like that in the Amazon. The universe researched was composed by a prudent analysis of interviews, conducted with workers between 19 and 84 years old, in the county of Açailândia/Maranhão, localized in the Pre-Maranhense Amazon, border among the states of Tocantins, Maranhão and Pará, stage of thriving conflicts and impacts whose origins the implantation of Grande Carajás Program, mid 80s, favoring the formation of this scenery with social, economic and environmental contradictions. In this context, we consubstantiate a historical-geographic discussion about the notion of migratory territoriality, accessed through narratives built by the protagonists of this study and the identity dimensions that emerge from the analyses of deterritorialization, reterritorialization and territorialization processes. Furthermore, we filigreed discuss the concepts of territory and migration under the light of geographic science, collating them. In these terms, we intend to approach new perspectives of analyses and discussion to this ardent object of study.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2017-10-25
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2014. Todos os direitos reservados.