• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.8.2014.tde-19052015-161518
Documento
Autor
Nome completo
Daniela Dias Marinho
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2014
Orientador
Banca examinadora
Damiani, Amelia Luisa (Presidente)
Alves, Gloria da Anunciacao
Baggio, Ulysses da Cunha
Título em português
Educação para viver: contra a reprodução da sobrevivência nas escolas. Elementos dos fundamentos sociais da escola e da educação
Palavras-chave em português
Cotidiano
Escola e educação
Reprodução das relações sociais de produção
Tempo-espaço urbano
Vida e Sob(re)vida
Resumo em português
educação com o objetivo de compreender a re-produção das relações sociais de produção que se generalizam até o cotidiano e produzem e são produzidas por um espaço e tempo separados. Falamos em fundamentos sociais porque seria impossível pensar em qualquer mudança qualitativa da educação sem pensarmos numa mudança social. Este é um estudo desenvolvido através da Teoria da Implicação, utilizada por Remi Hess em suas análises de instituições e teve como base teórica-metodológica as obras de Henri Lefebvre, Karl Marx e os Situacionistas, principalmente Guy Debord e Raoul Vaneigem, sendo a dialética essencial para que se priorizasse o movimento conflituoso de uma totalidade. A linguagem dessa pesquisa é definida pelos conceitos lefebvrianos e situacionistas, daí conceitos como o de re-produção das relações sociais de produção, possívelimpossível, tempo-espaço do vivido, sob(re)vida são de extrema importância no desenvolvimento da dissertação. A escola, como objetividade que re-produz as relações sociais, na lógica da economia, tem como sujeito a educação, que torna-se sinônimo de escola e sua contradição, deteriorando a educação. Na realidade urbana atual, lutarmos por uma boa escola é lutar por mais desigualdade transvestida de igualdade formal, por divisão do trabalho, por uma sociedade de classes, enfim, é lutar pela reificação. A escola urbana cada vez mais faz parte do cotidiano, que é um nível do fenômeno urbano, e nessa repetição do cotidiano a escola e a educação tem as suas rupturas. Este é um momento em que se torna necessário discutir os limites da escola e da educação numa conjuntura em que a alienação social permite a re-produção de uma sociedade onde seu meio e seu fim é a economia e não a felicidade das pessoas. Apenas sob(re)viver, que no conceito apresentado por Raoul Vaneigem significa a negação da vida, não é aceitável e por isso queremos uma educação que seja para a vida.
Título em inglês
Education for life: against survival at schools. Elements of social foundations of the school and education
Palavras-chave em inglês
Everyday
Life and survival
Re-production of social relations of production
School and education
Urban space-time
Resumo em inglês
This research establishes elements of the social foundations of the school and education in order to understand the re-production of social relations of production which generalizes to everyday life and produces and is produced by a separated space and time. We talk about social foundations because it would be impossible to think of any qualitative change in education without thinking about social change. This is a study developed based on the Theory of Implication, used by Remi Hess in his analysis of institutions. The study was theoretically and methodologically directed by the studies of Henri Lefebvre, Karl Marx and the Situationists, especially Guy Debord and Raoul Vaneigem, being dialectic the most essential basis so the conflicting movement of totality would arise. The language of this study is defined by concepts by Lefebvre and the Situationists, so concepts such as re-production of social relations of production, possible-impossible, lived space-time, survival, are of utmost importance in the development of this dissertation. The school as an objectivity that re-produces social relations, in the logic of the economy, has the education as a subject that becomes synonymous with school and in this movement its its contradiction and deterioration. In the current urban reality, fight for the right of a good school is fight for more inequality disguised as formal equality, division of labor, class society, in short, it is fighting for reification. The urban school is increasingly becoming a part of everyday life, which is a level of the urban phenomenon, and this repetition in school and education have rupture moments. This is the moment when it becomes necessary to discuss the limits of school and education in an environment where social alienation enables the re-production of a society where economy is its means and its end and not people's happiness. Survival is a concept developed by Raoul Vaneigem meaning the negation of life. Survival is not acceptable, we want education for life.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2015-05-19
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.