• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.8.2005.tde-10012006-220506
Documento
Autor
Nome completo
Ana Lucia Marques Camargo Ferraz
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2005
Orientador
Banca examinadora
Guimaraes, Nadya Araujo (Presidente)
Leite, Miriam Lifchitz Moreira
Lima, Jacob Carlos
Martins, Heloisa Helena Teixeira de Souza
Sato, Leny
Título em português
"Dramaturgias da autonomia"
Palavras-chave em português
autogestão
classe trabalhadora
representação
trabalho
vídeo
Resumo em português
Dramaturgias da autonomia é um estudo de grupos de trabalhadores na região metropolitana de São Paulo que vivem a experiência da disputa sobre o poder de determinar a norma nos locais de trabalho. Parte-se de uma definição de autonomia que requer enraizá-la no processo de formação da classe trabalhadora, e de uma identidade de classe que se constrói em contraposição à experiência do trabalho heterônomo. Na busca da compreensão dos sentidos de autonomia para os próprios sujeitos trabalhadores, utilizou-se uma metodologia baseada na rememoração da trajetória e na sua representação para o vídeo, o que foi realizado em cada um dos quatro grupos estudados. Os sujeitos tematizaram a questão a partir de suas formas próprias, que são, de uma só vez, categorias e instituições: “comissão de fábrica”, “cooperativa”, “autogestão”, “movimento”. Analisou-se, assim, processos de institucionalização de representações que são simbólicas e políticas.
Título em inglês
Dramaturgies of autonomy
Palavras-chave em inglês
Autonomy – working class – representation – self management – video
Resumo em inglês
Dramaturgies of autonomy is a study among workers groups in the São Paulo metropolitan region who live the power dispute experience to define the rules on the workplaces. It starts from the autonomy definition that requires to be rooted in the working class formation process and from a class identity statement that is build up in contrast to the experience of a heteronomous work. In the searching of the autonomy meanings for the workers themselves it was used a methodology based in the trajectory reminding in the four studied groups and in their performance to the video. The studied subjects describe the issue from their own concepts that are, at the same time, their categories and institutions: “shop stewards”, “cooperatives”, “self management”, “movement”. The analysis concerns the institutionalization processes, from symbolical and political representations.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Tese_Ana_Ferraz.pdf (1.65 Mbytes)
Data de Publicação
2006-02-20
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.