• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
Documento
Autor
Nome completo
Michel Nasser Arakaki Mustafa
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2017
Orientador
Banca examinadora
Waizbort, Leopoldo Garcia Pinto (Presidente)
Keinert, Maurício Cardoso
Mata, Sérgio Ricardo da
Terra, Ricardo Ribeiro
Título em português
O tecelão não sabe o que tece. Sobre o sentido da ação na sociologia de Max Weber
Palavras-chave em português
Comunidades
Dominação
Filosofia prática
Sociologia clássica
Vontade
Resumo em português
A pesquisa busca apontar fundamentos da teoria da ação em Max Weber a partir da formação da vontade na filosofia prática de Immanuel Kant. Verifica-se em que medida a sociologia poderia aceitar tais elementos constitutivos, sem deixar de cumprir sua tarefa como ciência. O vínculo irrecusável entre ambas está nas relações entre a representação de uma regra e a determinação de uma ação. O interesse sociológico na regularidade permite a passagem da ação às formações sociais mais complexas. O dispositivo conceitual que oferece tal chave é o sentido da ação social. Através de sua constante referência, Weber elabora a tensão entre perspectivas subjetivas e objetivas na unidade coerente da ação: o tecelão, que não sabe o que tece. Daí se desenvolve uma profícia relação entre os domínios da realidade concreta e da validade ideal. Ao manter tal tensão, recusa-se também valores universalmente válidos à ciência o limite de seu kantismo é disputa entre valores últimos. O problema da insociável-sociabilidade apresentado por Kant, repõe esta tensão no plano da história. Na ocasião da coerência observada entre os diversos níveis teóricos dos escritos weberianos, este movimento também se mostra operante, na formação da legitimidade. Por isso, pode-se dizer que a exposição da vontade apresentará uma crítica da sociologia da dominação. A tensão atua no momento mesmo da tessitura social: o tecelão, perdoa-lhe, ele não sabe o que faz.
Título em inglês
The weaver knows not what is weaving. On the meaning of action in Max Weber's sociology
Palavras-chave em inglês
Classical sociology
Community
Domination
Pratical philosophy
Will
Resumo em inglês
This work seeks the grounds for Max Webers theory of action on Immanuel Kants pratical philosophy, since the formation of will. It enquires into the extents sociology accepts this founding elements without leaving scientific duties. A straightforward binding along with both of them is found in the link between rule representation and the determination of action. Sociological interest in regularity allows the access from action to more complex social formations. The conceptual device that provides the key: the meaning of social action. Throught out its continual reference, Weber develops the strain between subjective and objective perspectives in a coherent action unity: the weaver, that doesnt know what he weaves. From there on, he builts up a fruitful relationship for the domains of concrete reality and ideal validity. For holding this strain also means to refuse universal validity of values in science the borders of his kantianism is the struggle around the latest values. Kants expositions on the unsocial-sociability restores the strain on historical scale. Given the noted coherence, to be found on Weber, between distinct theoretical levels, this trend is also undertaken, during legitimations building. For the exposition of will presents a critic of the sociology of domination. A tension on the weaving social fabric: the weaver, forgive him, he doesnt know whats doing.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-04-04
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.