• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
Documento
Autor
Nome completo
Claudia Ribeiro Campos Gradim
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2019
Orientador
Banca examinadora
Porto, Vagner Carvalheiro (Presidente)
Santos, Irmina Doneux
Duarte, Cássio de Araújo
Título em português
Práticas balneárias no Egito Romano: tradição grega, inovação romana e originalidade egípcia
Palavras-chave em português
Egito Romano; Banhos públicos; Termas; Trocas culturais; Identidades locais
Resumo em português
Este trabalho tem por objetivo investigar os banhos e as práticas balneárias públicas no Egito do século I a.C. ao século VI d.C., procurando detectar que modificações foram introduzidas pelo conquistador romano. Este contingente trouxe consigo hábitos culturais consolidados durante séculos em que estabelecera suas próprias práticas e desenvolvera técnicas construtivas e inovações tecnológicas, fruto de influências variadas e iniciativas locais resultantes de sua expansão colonial. Ao se estabelecerem no Egito anexado como província, os romanos encontraram uma cultura balneária solidamente enraizada, tão ou mais antiga que a sua, em consequência da conquista macedônica trezentos anos antes. O que vemos nos séculos seguintes é um movimento contínuo de manutenções e rupturas, em que uma população crescentemente "romanizada" adotou e descartou seletivamente práticas, feições e inovações técnicas, enquanto manteve hábitos tradicionais. Os edifícios balneários no Egito revelam que algumas destas práticas perduraram em seu território por mais tempo do que em qualquer outra província, e materializam escolhas feitas a nível local. Pretendemos demonstrar como, em sua arquitetura e em suas formas de banhar-se, os numerosos banhos públicos no Egito configuram uma prática cotidiana generalizada, amplamente adotada por uma população multiétnica e socialmente heterogênea, que contribuiu para lhes dar as feições híbridas que os distinguem, e que culminaram na geração de um modelo regional original e único.
Título em inglês
Bathing Practices in Roman Egypt: Greek tradition, Roman innovation and Egyptian originality
Palavras-chave em inglês
Roman Egypt; Public baths; Thermae; Cultural exchange; Local identities
Resumo em inglês
This dissertation aims to investigate baths and bathing practices in Egypt from the 1st century BC to the 6th century AD, in order to determine which changes were introduced by the Roman conquerors. The Romans brought with them cultural habits formed over centuries, during which time they developed their own practices, building techniques and technological innovations, developed further during their colonial expansion. When they annexed Egypt, they encountered a solidly rooted bathing culture of similar or greater antiquity to their own, established following the Macedonian conquest three hundred years earlier. The picture which emerges over the following centuries is one of a constant movement of continuity and rupture, whereby the increasingly "Romanised" population selectively adopted and discarded practices, features and technical improvements, while retaining traditional habits. Egyptian baths show that some of these practices were kept alive on that territory far longer than on any other province, embodying choices made locally. We propose to demonstrate how - in their architecture and bathing forms - the numerous public baths of Egypt translate a generalised everyday practice, amply adopted by a multi-ethnical and socially heterogeneous population, who contributed towards the hybrid features which distinguish them, and which ultimately generated an original and unique regional model.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Liberação
2021-05-01
Data de Publicação
2019-05-03
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.