• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
Documento
Autor
Nome completo
Clodoaldo Tentes Côrtes
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2017
Orientador
Banca examinadora
Oliveira, Sonia Maria Junqueira Vasconcellos de (Presidente)
Bellini, Maria Luiza Gonzalez Riesco
Caroci, Adriana de Souza
Francisco, Adriana Amorim
Shimoda, Gilcéria Tochika
Título em português
Implementação das práticas baseadas em evidências na assistência ao parto normal
Palavras-chave em português
Enfermagem Obstétrica.
Parto Normal
Prática Clínica Baseada em Evidências
Resumo em português
Introdução: o modelo predominante de assistência ao parto no Brasil caracteriza-se pelo uso abusivo ou inadequado de intervenções e cerceamento dos direitos da parturiente (restrição à presença de acompanhante de escolha da mulher, realização de amniotomia de rotina durante o trabalho de parto, posição litotômica de rotina, infusão intravenosa de ocitocina de rotina, puxo dirigido e pressão no fundo uterino da parturiente durante a expulsão fetal) em todos os períodos clínicos do parto. Sabe-se que esse modelo pode ser modificado com a adoção das boas práticas de assistência ao parto normal preconizadas pela Organização Mundial da Saúde. Embora as melhores práticas no parto e nascimento estejam fundamentadas em evidências científicas, faltam pesquisas sobre sua implementação na prática clínica. Objetivo geral: avaliar o impacto da implementação das práticas baseadas em evidências na assistência ao parto normal. Método: estudo de intervenção quase experimental, tipo antes e depois, baseado na metodologia de implementação de evidências científicas na prática clínica do Instituto Joanna Briggs. Foi conduzido no Hospital da Mulher Mãe Luzia, maternidade pública de referência para a assistência obstétrica em Macapá, Amapá. Foram entrevistados 42 profissionais (enfermeiros e médicos obstetras e residentes das duas categorias) e 280 mulheres atendidas no trabalho de parto e parto. Também foram analisados dados de 555 prontuários de puérperas. A pesquisa foi desenvolvida em três fases: auditoria de base (fase 1), intervenção educativa (fase 2) e auditoria pós-intervenção (fase 3). A intervenção educativa consistiu em um seminário denominado Seminário de práticas baseadas em evidências científicas na assistência ao parto normal, oferecido para os profissionais. A coleta de dados ocorreu entre julho de 2015 e março de 2016. Os achados foram analisados comparando-se os dados das fases 1 e 3, adotando-se o nível de significância de 5%. Este estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo. Resultados: após a intervenção educativa, houve incremento de 8,3 p.p. na taxa de parto normal. Na entrevista com as mulheres, constatou-se aumento de 10,0 p.p. (p=0,002) da presença do acompanhante durante o trabalho de parto e de 31,4 p.p. (p<0,001) no uso da posição vertical ou cócoras. A realização de amniotomia foi reduzida em 16,8 p.p. (p=0,005), o uso de posição litotômica em 24,3 p.p. (p<0,001), a utilização de ocitocina em 17,1 p.p. (p=0,004), os puxos dirigidos em 29,3 p.p. (p<0,001) e a manobra de Kristeller em 10,7 p.p. (p=0,013). Na perspectiva dos profissionais, houve redução da prescrição ou administração de ocitocina de 29,6 p.p. (p=0,005). Na análise dos dados dos prontuários, observou-se redução significativa da taxa de amniotomia em 29,5 p.p. (p<0,001) e de posição litotômica em 1,5 p.p. (p=0,013), enquanto a taxa de posição vertical ou cócoras apresentou incremento de 2,2 p.p. (p=0,013). Conclusões: a intervenção educativa revelou impacto positivo na melhora da assistência à mulher durante o trabalho de parto e parto, com aumento da taxa de parto normal e, também, na visão das mulheres, que alegaram ter mais acompanhantes de sua escolha, poder adotar mais posições verticalizadas no período expulsivo, utilizar menos ocitocina, puxos dirigidos e manobra de Kristeller. Esses resultados conferem em parte com o dos profissionais, que citaram realizar menos orientação de puxos dirigidos e prescreverem menos ocitocina. Também coincidem parcialmente com as anotações dos prontuários, que incluem aumento das posições verticais e redução da posição litotômica e da prática de amniotomia. No entanto, verificou-se que os profissionais continuam empregando práticas como posição litotômica de rotina, puxos dirigidos e manobra de Kristeller, no período expulsivo. Conclui-se que houve um impacto positivo na proposta conduzida, mas mostra que o processo de implementação de evidências científicas na assistência ao parto normal adotado não foi capaz de obter sucesso completo na mudança das práticas obstétricas dos profissionais participantes.
Título em inglês
Implementation of evidence-based practices in normal birth care
Palavras-chave em inglês
Evidence-Based Practice
Obstetric Nursing.
Parturition
Resumo em inglês
Background: the predominant model of childbirth care in Brazil is characterized by abusive or inappropriate use of interventions and parturient's rights disrespect (such as restriction of presence of the chosen companion of the woman, routine amniotomy, routine lithotomy position, routine oxytocin intravenous infusion, directed pushing, and fundal pressure during second stage of labour) in all clinical periods of the childbirth. This model of care could be modified adopting good practices on maternal health recommended by World Health Organization. Despite the evidence-based best practices in childbirth, there is a lack of research on its implementation into clinical practice. Aim: to evaluate the impact of the implementation of evidence-based practices on normal birth. Method: before and after quasi-experimental study based on Joanna Briggs Institute Evidence Implementation method. It was conducted at Mãe Luzia Women's Hospital, a reference maternity hospital for maternity care in Macapá, Amapá, Brazil. Interview of 42 professionals (nurses, obstetricians and residents of both categories) and 280 women who were attended during labour and birth. Data from 555 puerperium records were also analysed. The research was developed in three phases: baseline audit (phase 1), educational intervention (phase 2) and post-intervention audit (phase 3).The educational intervention was a seminar named "Scientific evidence-based practices on normal childbirth seminar", attended by the professionals. Data were collected from July 2015 to March 2016. The findings were analysed comparing the data from phases 1 and 3, adopting a level of significance of 5%. There search was approved by the Research Ethics Committee from School of Nursing of University of Sao Paulo. Results: after the educational intervention, there was an increase of 8.3 p.p. in normal birth rate. According to the interviewed women, there was an increase of 10.0 p.p. (p = 0.002) in the presence of companion during labour and of 31.4 p.p. (p <0.001) in the adoption of vertical or squatting position to give birth. The amniotomy was reduced by 16.8 p.p. (p = 0.005), lithotomy position by 24.3 p.p. (p<0.001), oxytocin infusion by 17.1 p.p. (p = 0.004), directed pushing by 29.3 p.p. (p <0.001) and Kristeller maneuver by 10.7 p.p. (p = 0.013). In the professionals' perspective, it was found a reduction in oxytocin prescription (29.6 p.p.; p = 0.005). In medical records data analysis there was a reduction on amniotomy rate (29.5 p.p.; p<0.001) and lithotomy position (1.5 p.p.; p = 0.013), while vertical or squatting position had increased in 2.2 p.p. (p = 0.013). Conclusions: the educational intervention showed a positive impact improving women´s care during labour and birth, increasing normal birth rate. Also in the women´s view, having more companions of their choice, they were able to adopt vertical positions in the second stage of labour and had less oxytocin infusion, directed pushing and Kristeller maneuver. These results confer in part with these of the interviews with professionals, who have cited performing less direct pushing and prescribed less oxytocin infusion. These results are also similar with the medical records, which include increase in the adoption of vertical positions and the reduction of lithotomic position and amniotomy. However, it was verified that professionals still practice lithotomic position, directed pushing and Kristeller maneuver in the second stage of labour. The educational intervention had a positive impact, but did not have complete success in changing professional practices.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Tese.pdf (1.01 Mbytes)
Data de Publicação
2017-11-14
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2014. Todos os direitos reservados.