• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.7.2018.tde-24092018-155916
Documento
Autor
Nome completo
Veridiana Barreto do Nascimento
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2017
Orientador
Banca examinadora
Ciosak, Suely Itsuko (Presidente)
Alencar, Rúbia de Aguiar
Nichiata, Lucia Yasuko Izumi
Silva Neto, Nirson Medeiros da
Título em português
Vulnerabilidade de mulheres quilombolas do Rio Trombetas (PA) às infecções sexualmente transmissíveis HIV/AIDS
Palavras-chave em português
Enfermagem
IST/HIV/aids
Mulheres
Quilombo
Vulnerabilidade
Resumo em português
As Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) ainda constituem um grave problema de saúde pública que assola cada vez mais o público feminino, sendo acentuada pela vulnerabilidade individual, social e programática. Assim, este estudo teve como objetivo identificar e analisar as vulnerabilidades de mulheres quilombolas do Rio Trombetas (PA) para as IST/HIV/aids. Trata-se de um estudo exploratório, descritivo, prospectivo, transversal com abordagem quantitativa. A coleta de dados deu-se por meio de entrevista individual realizada no domicílio, a partir de um questionário semiestruturado, após aprovação do Comitê de Ética da Escola de Enfermagem da USP, sob o parecer: 1.667.309. Para a análise dos resultados foi adotado como referencial o conceito de vulnerabilidade. Esta pesquisa foi realizada em oito comunidades quilombolas do alto Trombetas, localizadas no município de Oriximiná, região Oeste do Estado do Pará, com a participação de 139 mulheres. A média de idade foi de 30 anos e as cores autodeclaradas prevalentes foram a negra e a parda. A maioria das mulheres possuía o ensino fundamental completo e intitulou-se casada. Quanto à história pregressa de IST, 56,8% citaram apresentar em algum momento sinais e sintomas de IST, porém, apenas 25,2% informaram sempre fazer uso do preservativo masculino nas relações sexuais e 12,6% do preservativo feminino. Em relação aos motivos para o não uso do preservativo feminino, 52,5% das mulheres justificaram a sua indisponibilidade. Quanto ao conhecimento sobre as IST, 69,1% já haviam recebido algumas informações, verificou-se que pouco mais da metade, 55,4%, respondeu sobre a forma correta de transmissão e que a prevenção é feita através do uso da camisinha (80,6%). Apenas 44,6% das mulheres consideram a existência de risco para contrair uma IST/HIV/aids e que este risco é acentuado pela infidelidade do parceiro (45,2%). Apesar de se considerarem em risco, as mesmas classificam o grau de exposição individual a possível infecção em baixo risco (64,6%) e apenas 8,1% classificam em alto risco. Verificou-se a inexistência de serviços de saúde na comunidade e quanto a atividade de prevenção para as IST/HIV/aids apenas 48,9% das pesquisadas participaram de alguma atividade educativa. Os resultados evidenciam fragilidades de conhecimento, das mulheres frente à prevenção das IST/HIV/aids, potencializado pela ausência de serviços de saúde e ações nas comunidades. Pelo exposto, foi possível identificar que as mulheres quilombolas são vulneráveis nas três dimensões: individual, social e programática para as IST/HIV/aids. Neste contexto é de extrema importância a efetivação dos serviços e ações de saúde nessas localidades, através de políticas públicas responsáveis e comprometidas, com a participação da enfermagem, o principal agente do cuidado comunitário dentro do elo de promoção e prevenção da saúde.
Título em inglês
Vulnerability of Trombetas River (PA) Quilombola Women to Sexually Transmitted Infections /HIV/AIDS
Palavras-chave em inglês
IST/HIV/AIDS
Nursing
Quilombo
Vulnerability
Women
Resumo em inglês
Sexually Transmitted Infections (STIs) still constitute a serious public health problem that increasingly plaguing the female audience, and is accentuated by the individual, social and programmatic vulnerability. Thus, this study aimed to identify and analyze the vulnerabilities of Quilombolas women from the Trombetas River (PA) for STI/ HIV/ AIDS. This is an exploratory, descriptive, prospective, cross-sectional study with a quantitative approach. Data collection was done by means of an individual interview conducted at home, using a semi-structured questionnaire, after approval by the Ethics Committee of the School Nursing of USP, on opinion No. 1.667.309. For the analysis of the results, the vulnerability concept was adopted as reference. This research was carried out in eight quilombola communities of Alto Trombetas, located in the municipality of Oriximiná, western region of the State of Pará, with the participation of 139 women. The mean age was 30 years and the prevalent self-declared colors were black and brown. Most of the women had completed elementary education and titled married. Regarding the previous history of ISTs, 56.8% mentioned that they presented signs and symptoms of STI, but only 25.2% reported using the male condom in sexual intercourse and 12.6% of the female condom. Regarding the reasons for not using the female condom, 52.5% of the women justified their unavailability. As to knowledge about STIs, 69.1% had already received some information, it was found than slightly more than half, 55.4%, answered on the correct form of transmission and that prevention is done through the use of condoms (80.6%). Only 44.6% of women consider the risk of contracting STI /HIV/AIDS and that this risk is accentuated by partner infidelity (45.2%). Although considered at risk, they classify the degree of individual exposure to possible low-risk contamination (64.6%) and only 8.1% rank at high risk. The lack of health services in the community and the prevention activity for STI /HIV/AIDS, only 48.9% of those surveyed participated in some educational activity. The results show weaknesses in women's knowledge regarding STI /HIV/AIDS prevention, which is enhanced by the absence of health services and community actions. From the foregoing, it was possible to identify that quilombola women are vulnerable in three dimensions: individual, social and programmatic for STI /HIV/AIDS. In this context, it is extremely important to carry out health services and actions in these localities through responsible and committed public policies, with the participation of nursing, the main agent of community care within the link of promotion and prevention of health.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
VERIDIANA_BARRETO.pdf (6.63 Mbytes)
Data de Publicação
2018-10-30
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.