• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
Documento
Autor
Nome completo
Geisa Colebrusco de Souza Gonçalves
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2017
Orientador
Banca examinadora
Leite, Maria Madalena Januario (Presidente)
Leonello, Valéria Marli
Meireles, Everson Cristiano de Abreu
Mira, Vera Lucia
Oliveira, Alfredo Almeida Pina de
Título em português
Motivação e autonomia dos estudantes de graduação em enfermagem à luz da teoria da autodeterminação
Palavras-chave em português
Autonomia Pessoal
Autonomia Profissional
Bacharelado em enfermagem
Estudantes de enfermagem
Motivação
Resumo em português
Introdução: Autonomia é tema recorrente na educação em enfermagem e referida como necessária para florescer a motivação intrínseca. Objetivos: avaliar as evidências de validade da Escala de Motivação Acadêmica EMA, identificar os tipos de motivação dos estudantes, identificar e comparar os tipos de motivação acadêmica em função das variáveis de caracterização da amostra; identificar e interpretar a concepção de autonomia, a escolha pela graduação em enfermagem e a permanência no curso relacionadas aos tipos de motivação. Método: pesquisa de método misto, quantitativa-qualitativa, explanatória sequencial, realizada em instituição de ensino de graduação em enfermagem, com 205 estudantes na etapa quantitativa, por meio da aplicação da Escala de Motivação Acadêmica, e com 31 estudantes na etapa qualitativa, por meio de entrevista individual. Resultados: Acerca da dimensionalidade da escala, os resultados indicaram a extração de três fatores/tipos de motivação: intrínseca, extrínseca e desmotivação. Na descrição dos tipos de motivação, os estudantes apresentaram maior média na motivação extrínseca comparada às médias de motivação intrínseca e desmotivação. Na comparação dos fatores/tipos de motivação com as características da amostra, diferenças significativas foram encontradas no fator desmotivação em função do ano corrente do curso, na satisfação em cursar a graduação e orientação dos elementos citados pelos estudantes para cursar a enfermagem. No fator/tipo motivação extrínseca, diferenças significativas foram encontradas na comparação com a idade. E em relação ao fator/tipo motivação intrínseca diferenças significativas foram encontradas na comparação com ter realizado curso preparatório para vestibular e ter cursado graduação anterior à enfermagem. Nas demais características, sexo, local onde cursou ensino médio, formação prévia em curso técnico, enfermagem como primeira opção e apoio familiar, não foram verificadas diferenças significativas em nenhum dos fatores/tipos de motivação. Os resultados da etapa qualitativa permitiram a construção de cinco categorias: Reflexões sobre o conceito de autonomia, como construção gradativa, como tomada de decisão e referida a partir da prática profissional; Reflexões sobre o exercício da autonomia, vivenciadas na ação prática do estudante, na relação estudante-docente e momentos de ausência de autonomia; Motivação para a escolha da graduação em enfermagem, motivação mais autônoma e motivação extrínseca; Motivação para permanecer na graduação em enfermagem, motivação autônoma, motivação ligada a elementos externos e desmotivação; Estratégias de ensino e autonomia do estudante relacionadas à postura do docente, estratégias que estimulam e as que não estimulam a autonomia do estudante, com construção de quadro comparativo sobre as percepções dos estudantes acerca das estratégias de ensino citadas. Conclusões: O estudo confirmou a estrutura da EMA a partir de três fatores, considerada alternativa parcimoniosa à sua versão original. O perfil dos estudantes é de motivado extrinsecamente e autodeterminado, com baixa média de desmotivação. Algumas diferenças estatísticas entre grupos encontradas demonstrou congruência com o postulado pela teoria. Os estudantes apresentaram concepção de autonomia por meio de experiências vivenciadas na graduação, seja na sua ocorrência positiva ou a partir da ausência de autonomia. A motivação para cursar e permanecer na graduação em enfermagem foi referida tanto acerca de formas mais autônomas como nas formas extrínsecas, além de desmotivação para permanecer no curso. Acerca do apoio à autonomia e estratégias de ensino, os estudantes referiram que a interferência maior se relacionou à postura do docente.
Título em inglês
Motivation and autonomy of nursing undergraduate students in the light of Self-Determination Theory
Palavras-chave em inglês
Education; Nursing; Baccalaureate
Motivation
Personal autonomy
Professional autonomy
Students; Nursing
Resumo em inglês
Introduction: Autonomy is a recurring theme in nursing education, being raised as essential for the intrinsic motivation. Objectives: to evaluate the validity of the Academic Motivation Scale (EMA), to identify the types of motivation from the students, to identify and compare the types of academic motivation in relation to the categorizing variables of the sample; Identify and interpret the conception of autonomy, the decision for a nursing undergraduate and the stability in the course related to the types of motivation. Methods: a mixed-method research, quantitative-qualitative, explanatory sequential, carried out in an undergraduate nursing teaching institution, with 205 students in the quantitative stage through the Academic Motivation Scale, and with 31 students in the qualitative stage through individual interviews. Results: Regarding the dimensionality of the scale, the results indicated the extraction of three factors/types of motivation: intrinsic, extrinsic and demotivation. In the description of the types of motivation, the students presented a higher average in the extrinsic motivation compared to the averages of intrinsic motivation and demotivation. In the comparison of factors/types of motivation and characteristics of the sample, significant differences were found in the demotivation factor in function of the current year of the course, in the satisfaction of attending the graduation and in orientation of the elements mentioned by the students to attend the nursing course. In the factor/type extrinsic motivation, significant differences were found when ages were compared. And in relation to the factor/type intrinsic motivation significant differences were found in the comparison of individuals who attended a preparatory course for university and individuals with a previous graduation course. In the other characteristics such as gender, place of high school attendance, previous training in technical course, nursing as a first option and family support, no significant differences were verified in any of the factors/types of motivation. The results of the qualitative step allowed the construction of five categories: Reflections on the concept of autonomy, as gradual construction, as decision making and referenced on the professional practice; Reflections on the exercise of autonomy, experienced in the student's practical settings, student-teacher relationship and moments of absence of autonomy; Motivation for selecting the nursing graduation course, autonomous motivation and extrinsic motivation; Motivation to remain in the nursing graduation course, autonomous motivation, motivation linked to external elements and demotivation; Education strategies and student autonomy related to the teacher's attitude, strategies that stimulate and those that do not stimulate the student's autonomy, with the construction of a comparative table around students' perceptions about the teaching strategies named. Conclusions: The study confirmed the EMA structure based on three factors, considered a parsimonious alternative to its original version. The students' profile is extrinsically motivated and self-determined, with a low average of demotivation. Some statistical differences between groups found to be congruent with theory. The students presented a conception of autonomy based on experiences undertaken in the course, either in its positive occurrence or from the absence of autonomy. The motivation to attend and the motivation to continue in the nursing graduation was referred as much about autonomous forms as in the extrinsic forms, besides the demotivation are related to remain in the course. Regarding support for autonomy and teaching strategies, students reported that the major interference was related to the teacher's support.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Tese_Geisa.pdf (3.20 Mbytes)
Data de Publicação
2018-09-20
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.