• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.7.2018.tde-20092018-164125
Documento
Autor
Nome completo
Claudia Carolina Flores Espinoza
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2017
Orientador
Banca examinadora
Santos, Vera Lucia Conceicao de Gouveia (Presidente)
Bellini, Maria Luiza Gonzalez Riesco
Boronat, Olatz Garin
Gutierrez, Alejandra Ximena Araya
Lopes, Maria Helena Baena de Moraes
Título em português
Qualidade de vida das mulheres com prolapso de órgão pélvico após tratamento cirúrgico
Palavras-chave em português
Enfermagem
Fatores epidemiológicos
Imagem corporal
Prolapso de órgão pélvico
Qualidade de vida
Saúde da mulher
Resumo em português
Introdução: A prevalência do prolapso de órgão pélvico (POP) aumenta com a idade, estimando-se que quase 30% das mulheres têm algum grau de POP. As pesquisas sobre qualidade de vida relacionada à saúde (QVRS) nesta patologia tornaram-se importantes. A QVRS das mulheres com POP é grandemente afetada; incluindo a alteração dos aspectos físicos e das áreas psicológica e social. Há pouca evidencia sobre os fatores que alteram a QVRS destas mulheres, e que poderiam predizer mudanças após do tratamento. O objetivo desta pesquisa é avaliar a QVRS das mulheres submetidas a cirurgia de correção de POP e conhecer os fatores preditores das mudanças. Método: Estudo longitudinal com desenho analítico, correlacional preditivo em 95 mulheres adultas Chilenas da Região Metropolitana, com diagnóstico de POP e com indicação de cirurgia. Realizou-se avaliação da QVRS em três momentos (basal pré-operatório, um e seis meses após a cirurgia para correção do POP), empregando-se o instrumento Prolapse Quality of Life (PQOL), em sua versão chilena, composto de nove dimensões: percepção geral de saúde (PGS), impacto do prolapso (IP), limitações de papel (LR), físicas (LF), sociais (LS) e relações pessoais (RP), emoções (E), sono/energia (SE) e medidas de gravidade (MS); Os fatores preditores da QVRS foram colhidos utilizando-se os seguintes instrumentos: dados demográficos e clínicos, Pelvic Organ Prolapse/Urinary Incontinence Sexual Function Questionnaire-12 versão Chilena (função sexual), Menopause Rating Scale versão Chilena (sintomas menopáusicos), Questionário Geral de Saúde de Golberg (sintomas depressivos) e Modified Body Image Scale (imagem corporal). Os dados foram submetidos às análises descritivas univariadas; análises de medidas repetidas com comparação de médias 2 a 2, usando-se o teste t-Student para comparação de grupos; e análise multivariada utilizando-se o Modelo Linear de Efeitos Mistos, para explicar as variáveis preditoras da QVRS. Além dessas, a Mínima Diferença Importante (MID) e o tamanho do efeito foram utilizados para determinar a magnitude das mudanças na QVRS após o tratamento cirúrgico, utilizando-se o Patient Global Impression of Improvement Index. Resultados: A idade média foi 60 anos (DP=10,3); 76% apresentaram nível educacional básico ou médio, com companheiro (61%), com atividade sexual (40%), com menopausa (74,5%); 2,5 procedimentos cirúrgicos para correção do POP em média. A QVRS melhorou após o tratamento cirúrgico, em ambos os seguimentos (p<0,001), e em todas as dimensões. A imagem corporal apresentou diferença significativa (p<0,05) em todos os momentos de avaliação: para cada ponto de piora da imagen corporal, menor mudança na QVRS após a cirurgia. Os sintomas menopáusicos impactaram em menores mudanças na QVRS nas dimensões PGS e E, em todos os tempos, embora a QVRS nas dimensões IP, LF, LS e SE tenha apresentado leve porém significativa melhora após a cirurgia (p<0,05). As mulheres com doença neurológica mostraram menores mudanças na QVRS no pós-operatório comparativamente àquelas sem essa doença nas dimensões LF, E e SE (p<0,05). Outras variáveis preditoras de QVRS foram a atividade sexual, nível educacional, idade e diabetes mellitus. Obteve-se um efeito de grande magnitude em todas as dimensões e estabeleceu-se MID entre -1,19 e -15 pontos para todas as dimensões de PQOL. Conclusão: A QVRS melhorou após o tratamento cirúrgico, em todas as dimensões, e as variáveis preditoras mais importantes foram a imagen corporal, os sintomas menopáusicos e as doenças neurológicas. O estudo contribui para corroborar a necessidade de avaliação integral das mulheres no pré-operatório visando a conhecer as tendências de sua QVRS posteriormente atuando nos fatores modificáveis que podem influir negativamente em sua recuperação pós-operatória.
Título em inglês
Quality of life in women with pelvic organ prolapse after surgical treatment
Palavras-chave em inglês
Body image
Epidemiological factors
Nursing
Pelvic organ prolapse
Quality of life
Resumo em inglês
Introduction: Prevalence of pelvic organ prolapse (POP) increase with age, estimating that almost 30% of women has some POP degree. Research about health related quality of life (HRQL) in this pathology it have gained relevance. HRQL of women with POP is highly affected; including physical impaired, and psychological and social spheres. There is little evidence about factors influence HRQL of these women. The aim of this research was to evaluate HRQL of women submitted to surgical correction of POP and predictors factors of changes. Methods: Llongitudinal study with analytical, correlational, predictive design in 95 Chilean women, of the Metropolitan Area, with POP diagnosis and surgical indication. An evaluation was performed of HRQL in three times (baseline before surgery, and follow up at first and six month after surgery) Instruments applied were Prolapse Quality of Life (PQOL) Chilean version which nine dimensions: General health perception (GHP), prolapse impact (PI), role (RL), physical (LF), socials (LS) and personal limitations, emotions (E), sleep/energy (SE) and, severity measurement (SM); predictors factors of HRQL were obtained using demographic and clinical data, Pelvic Organ Prolapse/Urinary Incontinence Sexual Function Questionnaire-12 Chilean version (sexual function), Menopause Rating Scale Chilean version (menopause symptoms), Goldbergs General Health Questionnaire (depressive symptoms) and Modified Body Image Scale (Body image). Data analysis included univariate descriptive analysis, repeated measures analysis with media comparison 2 to 2 for group and multivariate analysis with linear mixed effects models to explain predictors variables of HRQL. Also, the minimum important difference (MID) and effect size were used to determine magnitude of change in HRQL after surgical treatment, anchor used was Patient Global Impression of Improvement Index. Results: age average was 60 years (SD: 10.3), 76% primary or secondary educational level, 61% have couple, 40% was active sexually, most of women had menopause (74.5%), average of procedures of POP correction was 2.5. HRQL improved after surgical treatment, in both follow up (p<0.001) in every dimension. Body image had significant difference (p<0.05) without time interaction, every point for worse body image, HRQL get worse. Menopause symptoms had a positive impact on GHP and E, showed fewer score in every time, meanwhile PI, FL, SL and SE had a little but statistical significant improved after surgical treatment (p<0.05). Women with neurological disease showed less change in HRQL after surgery than without disease in FL, E and SE dimension (p<0.05). Other predictive variables after surgery (p<0.05) were sexual activity, educational level, age and diabetes. MID it determined among -1.19 y -15 points for all dimensions of HRQL, considering an large in all dimensions too. Conclusion: HRQL improved after surgery, most important predictive variables were body image, menopause symptoms and neurological disease, therefore integral assessment of women before surgery is important to know HRQL trend after treatment, to support them and improve or maintain modify factors that could have negative impact.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-09-25
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.