• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.7.2006.tde-15012007-122326
Documento
Autor
Nome completo
Isabel Yovana Quispe Mendoza
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2006
Orientador
Banca examinadora
Peniche, Aparecida de Cassia Giani (Presidente)
Ceolim, Maria Filomena
Leite, Rita de Cássia Burgos de Oliveira
Título em português
Paciente idoso cirúrgico: complicações no período de recuperação pós-anestésica
Palavras-chave em português
Complicações pós-operatórias
Enfermagem perioperatória
Idoso
Período da recuperação da anestesia
Resumo em português
Este estudo tem como objetivos, identificar os fatores de risco de maior incidência no paciente idoso cirúrgico nos períodos pré-operatório e intra-operatório, identificar as complicações mais freqüentes no paciente idoso cirúrgico no período de recuperação pós-anestésica e relacionar as complicações mais freqüentes do paciente idoso cirúrgico no período de recuperação pós-anestésica aos fatores de risco de maior incidência do paciente idoso cirúrgico nos períodos pré-operatório e intra-operatório. A amostra foi constituído por 110 prontuários de pacientes idosos submetidos a cirurgia durante o ano 2004, que obedeciam os seguintes critérios de inclusão: idosos de ambos sexos, idosos submetidos a cirurgias eletivas, de emergência e urgência. Procedeu-se à coleta de dados, utilizando-se um formulário, a fim de contemplar os objetivos deste estudo. Os resultados mostraram que, 62 (56,4%) eram do sexo masculino; 63 (57,3%) pacientes estavam na faixa etária de 70 a 79 anos; 36 (32,7%) com hipertensão arterial sistêmica; 66 (60%) classificados como ASA II. Referente a fatores de risco relacionado ao período intraoperatório, em 69 (62,7%) pacientes o tempo de cirurgia foi inferior a três horas; 90 pacientes (81,8%) foram posicionados em decúbito dorsal horizontal na mesa cirúrgica; 59 pacientes (53,6%) foram submetidos à cirurgia abdominal e 56 (50,9%) idosos foram submetidos à anestesia geral. Quanto às complicações na sala de recuperação pós-anestésica: (55,5%) apresentaram hipotermia, 48 (43,6%) dor e 40 (36,4%) desenvolveram hipertensão arterial no período pós-operatório. De acordo com os resultados da análise de regressão logística, o sexo masculino e feminino apresentou associação estatisticamente significante com todas as complicações na sala recuperação pós-anestésica, evidenciou-se, maior associação entre os idosos de 70 a 79 anos com a apresentação de dispnéia (OR= 2,78) e idosos de 80 a 89 anos apresentou maior associação com taquicardia (OR= 1,40). Não se obteve associação entre os idosos com idade acima de 90 anos com as complicações investigadas. Quanto à hipertensão arterial, o estágio II obteve maior associação com bradicardia (OR= 8,01); assim como o escore ASA categorias II e III incrementam a possibilidade de apresentar hipertensão arterial no período de recuperação pós-anestésica (OR= 4,79; 10,71) respectivamente,. Em relação à associação entre as complicações mais freqüentes na recuperação pós-anestésica com os fatores de risco relacionados ao paciente cirúrgico idoso no período intra-operatório, o tempo de cirurgia superior a cinco horas teve maior associação com hipertensão arterial (OR = 6,49) quando comparado às cirurgias com duração entre 3 a 5 horas e inferior a 3 horas. A posição decúbito lateral apresentou maior associação com hipotermia, náusea, vômito e dor (OR = 6,68; 5,79; 3,12), respectivamente, quando comparado às posições decúbito dorsal horizontal e litotômica. Dentre os tipos de cirurgia, a artroplastia teve maior associação com náusea e vômito (OR = 7,64) seguida de redução de fratura com taquicardia e dor (OR = 3,71 e 2,05), respectivamente. Quando realizada a associação entre o tipo de anestesia e complicações na recuperação pós-anestésica ,a anestesia raquidiana apresentou maior associação com taquicardia (OR = 4,24), quando comparada à anestesia geral e peridural. Sendo assim, os pacientes idosos constituem-se em um desafio para a equipe de saúde em sala de recuperação pós-anestésica, os quais devem levar em conta a alta prevalência de doenças associadas e as alterações funcionais decorrentes do processo de envelhecimento
Título em inglês
Aging surgical patient: complications in the post-anesthetic recovery
Palavras-chave em inglês
Aged
Anesthesia recovery period
Perioperative nursing
Post-operatory complications
Resumo em inglês
This study has as its goals to identify the most common risk factors for aging surgical patients in the pre-operatory and intra-operatory periods; to identify the most frequent complications in aging surgical patients in the post-anesthetic period; and make the relation between the most frequent complications in the post-anesthetic period for aging surgical patients with the most common risk factors in the pre-operatory and intra-operatory periods. The sample was comprised of 110 records of aging patients submitted to surgery during 2004, which complied with the following inclusion criteria: aging of both sex; aging submitted to elective, emergency and urgency. Data was gathered through a form that includes socio-demographic data, aspects related to the patient, aspects related to the intra-operatory period, and aspects related to the complications in the post-anesthetic recovery. The results showed that 62 (56.4%) patients were male; 63 (57.3%) were in the age group from 70 to 79 years old; 36 (32.7%) suffered from systemic artery hypertension; 66 (60%) classified as ASA II. Concerning the risk factors related to the intra-operatory period, in 69 (62.7%) patients surgery time was under three hours; 90 patients (81.8%) were positioned lying on the side on the operation table; 59 patients (53.6%) underwent abdominal surgery; and 56 (50.9%) patients had general anesthesia. In regards to complications in the post-anesthetic recovery room: (55.5%) experienced hypothermia, 48 (43.6%), pain, and 40 (36.4%) developed artery hypertension in the post-operatory period. According to the result of the logistics regression analysis, males and females showed statistically significant association with all the complications in the post-anesthetic recovery room; it was evidenced more association among the aged from 70 to 79 years old with dyspnea (OR= 2.78), while patients from 80 to 89 years old had more association with tachycardia (OR= 1.40). There was no association among patients older than 90 with the researched complications. Regarding artery hypertension, stage II got more association with bradycardia (OR= 8.01); as the ASA score categories II and III increase the possibility of presenting artery hypertension in the post-anesthetic recovery period (OR= 4.79; 10.71) respectively. Regarding the association between the most frequent complications in the post-anesthetic recovery with the risk factors related to aging surgery patients in the intra-operatory period, surgery time exceeding five hours had more association with artery hypertension (OR = 6.49) when compared with 3 to 5 hour-surgeries and less than 3-hour surgeries. The lateral decubitus position showed more association with hypothermia, nausea, vomiting and pain (OR = 6.68; 5.79; 3.12), respectively, when compared with the lying horizontally on the side and lithotomic positions. Among the types of surgeries, arthroplasty had more association with nausea and vomit (OR = 7.64), followed by fracture reduction with tachycardia and pain (OR = 3.71 and 2.05), respectively. When the association between the kind of anesthesia and complications in the post-anesthetic recovery is made, rachidian showed more association with tachycardia (OR = 4.24), when compared with general anesthesia and peridural. Thus aging patients in the post-anesthetic recovery period are a challenge for the health team, which must take into account the high prevalence of associated diseases and the functional alterations resulting from the aging process
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Isabel_Yovana.pdf (323.63 Kbytes)
Data de Publicação
2007-02-01
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.