• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.61.2014.tde-03112014-094626
Documento
Autor
Nome completo
Flavia Ferlin
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Bauru, 2014
Orientador
Banca examinadora
Fukushiro, Ana Paula (Presidente)
Silverio, Kelly Cristina Alves
Yamashita, Renata Paciello
Título em português
Influência das consoantes de alta e baixa pressão intraoral sobre a nasalidade e nasalância da fala
Palavras-chave em português
Fala
fissura palatina
insuficiência velofaríngea e nasometria.
Resumo em português
Objetivo: Verificar a nasalidade e a nasalância da fala entre estímulos de alta e baixa pressão intraoral, em indivíduos com fissura labiopalatina reparada. Material e Método: Foram avaliados 44 indivíduos com fissura de palato±lábio previamente reparada, ambos os sexos e idades entre 6 e 59 anos, regularmente matriculados na instituição. Os participantes foram submetidos à nasometria e à gravação de fala em sistema de áudio, simultaneamente. As amostras de fala foram compostas por dois conjuntos de cinco sentenças, sendo um com predomínio de consoantes de alta pressão intraoral (AP) e outro, composto exclusivamente por consoantes de baixa pressão intraoral (BP). A nasalância, expressa em porcentagem, foi determinada para as amostras AP e BP. Três examinadores experientes classificaram as amostras AP e BP quanto ao aspecto da nasalidade, de acordo com uma escala de 4 pontos (1=hipernasalidade ausente, 2=hipernasalidade leve, 3=hipernasalidade moderada, 4=hipernasalidade grave). A significância entre os escores de nasalância AP e BP foi verificada por meio do teste t pareado e entre o grau de nasalidade, o teste de Wilcoxon, adotando-se o nível de significância de 5%. A concordância intra e interexaminadores foi determinada pelo coeficiente de Kappa e suas proporções para as amostras AP e BP interexaminadores foram comparadas por meio do Teste Z. Adicionalmente, a correlação entre os dois métodos foi verificada pelo coeficiente de correlação de Spearman. Resultados: Os escores de nasalância médios±DP obtidos para as amostras AP e BP foram, respectivamente, 31±15% e 31±12%, não havendo diferença significante entre as duas amostras (p=1,0). A concordância interexaminadores foi maior para as amostras AP. A diferença da nasalidade média entre as duas amostras mostrou-se significante (p=0,05). A correlação entre os escores de nasalância e hipernasalidade mostrou-se forte para a amostra AP e substancial para a amostra BP. Conclusão: A amostra de fala com consoantes de alta pressão intraoral mostrou-se mais eficiente na identificação da hipernasalidade, uma vez que proporcionou maior concordância entre os examinadores na análise perceptiva da nasalidade, apresentou resultados de forte correlação entre os dois métodos de avaliação utilizados e permitiu o diagnóstico da hipernasalidade em maior número de indivíduos.
Título em inglês
Influence of high and low intraoral pressure consonants on the speech nasality and nasalance
Palavras-chave em inglês
Cleft palate
nasometry
speech
velopharyngeal insufficiency.
Resumo em inglês
Objective: To verify speech nasality and nasalance between high and low intraoral pressure stimuli in repaired cleft lip and palate subjects. Material and Method: Forty-four subjects with repaired cleft palate±lip, both genders, aged 6 to 59 years were evaluated. Participants were submitted to nasometry and audio speech sample recording, simultaneously. Speech samples were composed of two sets of five sentences, one with predominance of high intraoral pressure consonants (HP) and another comprised exclusively of low intraoral pressure consonants (LP). Nasalance scores, expressed in percentage, were determined for both HP and LP samples. Three experienced examiners classified speech nasality in HP and LP samples according to a 4-point scale (1=absent hypernasality, 2=mild hypernasality, 3=moderate hypernasality, 4=severe hypernasality). Significance level between HP and LP nasalance scores was verified by paired t-test. For nasality rates, Wilcoxon test was used with a significance level of 5%. Intra and inter rater agreement was determined using the Kappa coefficient and their proportions for HP and LP samples were compared by Z-test. Additionally, the correlation between nasalance and nasality was verified by Spearman correlation coefficient. Results: Nasalance scores±SD obtained for HP and LP samples were 31±15% and 31±12%, respectively, with no significant difference (p=1.0). The inter rater agreement was higher for HP samples. The average rate nasality between both samples showed significant difference (p=0.05). HP samples presented strong correlation between nasalance scores and hypernasality and LP samples presented substantial correlation. Conclusion: The speech sample composed by high intraoral pressure consonants showed more effectiveness in identifying hypernasality as it provided greater agreement among examiners in perceptual analysis of nasality, presented strong correlation between the two methods used and allowed diagnosis of hypernasality in a larger number of individuals.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2014-11-03
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2014. Todos os direitos reservados.