• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.59.2002.tde-27082004-145234
Documento
Autor
Nome completo
Gisele Machado da Silva Moreira
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2002
Orientador
Banca examinadora
Valle, Elizabeth Ranier Martins do (Presidente)
Guzzo, Raquel Souza Lobo
Santos, Manoel Antonio dos
Título em português
"A criança com câncer vivenciando a reinserção escolar: estratégia de atuação do psicólogo".
Palavras-chave em português
criança com câncer
escola
informação
Resumo em português
Dentro da perspectiva de integrar a criança com câncer à escola para a manutenção de seu desenvolvimento psicossocial, este estudo se propõe a ouvir crianças sobre sua vivência de voltar à escola durante seu tratamento oncológico, após um trabalho informativo realizado com seus colegas e professores. Seguindo todas as normas éticas atuais recomendadas, foram identificadas, no Setor de Pediatria e Puericultura do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo (HCFMRP-USP), oito crianças, de cinco a onze anos, participantes do estudo. Foi proposto a elas e a suas mães o desenvolvimento desta pesquisa, que se deu através da realização de um trabalho informativo sobre o câncer infantil a partir da apresentação do desenho animado pela Turma do Snoopy “Não tem choro”, a fim de proporcionar esclarecimentos sobre a doença e tratamento aos colegas e professores. Aproximadamente trinta dias após sua volta às aulas, em um de seus retornos hospitalares, foi feita uma entrevista com as crianças no HCFMRP-USP, a partir da seguinte questão: “Gostaria que você me contasse como está sendo voltar para a escola depois deste tempo que você passou afastado para se tratar”. As entrevistas foram gravadas, transcritas e analisadas qualitativamente de acordo com os referenciais da psicologia fenomenológica. Esta análise revelou que a reinserção escolar é estressante para as crianças com câncer por envolver aspectos emocionais e questões relativas à aceitação social. Antes do trabalho informativo a falta de esclarecimento sobre o câncer propiciou o estabelecimento do “mistério” em torno da aparência física das crianças doentes na escola, configurando um clima hostil e agressivo para elas. Todavia, mantiveram sua posição em continuar freqüentando a escola, esforçando-se para apresentarem bom desempenho acadêmico e comportamental, além de criarem alternativas para “burlarem” a rejeição dos colegas. Segundo as crianças, o trabalho informativo constituiu-se em um importante apoio no momento da reinserção escolar, contribuindo para a compreensão dos colegas a respeito do câncer, dando-lhes, assim, a tranqüilidade necessária para o desempenho das atividades acadêmicas e sociais pertinentes à sua faixa etária. As limitações físicas impostas pela doença e/ou pelo tratamento foram sentidas na escola, possibilitando às crianças o contato com a realidade de serem-alunos-em-tratamento de câncer. Apesar das dificuldades encontradas, foram unânimes em revelar simpatia para com o ambiente escolar e desejo pelo aprendizado e convívio social próprios dele. Este estudo vem corroborar os resultados de outros estudos na área e vem confirmar a importância de atividades informativas e de comunicação entre hospital e escola na facilitação da reinserção escolar da criança com câncer.
Título em inglês
The child with cancer living deeply the pertaining to school reinsection: strategy of performance of the psychologist
Palavras-chave em inglês
childhood cancer
information
school
Resumo em inglês
In the perspective of integrating the child with cancer to the school for the maintenance of her psycho-social development , this study proposes to listen to the children about their experience of returning to school during oncological treatment, after an informative work performed with their colleagues and teachers. Following all the current ethical norms recommended, eight children of this study, from five to eleven years old, were identified by the Pediatric and Puericulture Sector of the Clinical Hospital at the Medicine School of Ribeirão Preto, University of São Paulo (HCFMRP-USP). The development of this research was proposed to them and their mothers through the accomplishment of an informative work about the childhood cancer presented by the Snoopy cartoon "Why Charlie Brown, Why?", in order to clearly inform about disease and treatment to the colleagues and teachers. About 30 days after the children’s return to classes, in one of their hospital returns, after the informative work, an interview was made with the children at HCFMRP-USP, from the following question: “I would like that you tell me how you feel about returning to school after the time you were absent for treatment”. The interviews were recorded, transcribed and analyzed qualitatively according to the phenomenological psychology references. This analysis revealed that the school reinsertion is stressful for the children with cancer for involving emotional aspects and social acceptance matters. Before the informative work the lack of information about cancer established the "mystery" around the physical appearance of the sick children in the school, providing a hostile and aggressive climate for them. However, they kept their position to continue attending the school, making efforts to introduce a good academical and behavioral performance, besides creating options to “fake” colleagues' rejection. According to the children, the informative work constituted an important support at the school reinsertion moment, contributing to the colleagues' comprehension about the cancer, giving them the necessary tranquillity to perform academic and social activities pertinent to their age group. The physical limitations imposed by the disease and/or by the treatment were felt at school, enabling the children to have contact with the reality of being-students-in-cancer treatment. Although the difficulties found, they were unanimous in revealing sympathy to the school environment and showed the wish of learning and proper social living. This study comes to corroborate the results of other studies in this field and comes to confirm the importance of the informative activities and communication between hospital and school in order to make the school reinsertion easier for the child with cancer.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
mestrado.pdf (369.15 Kbytes)
Data de Publicação
2004-08-31
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.