• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.59.2004.tde-25042006-155158
Documento
Autor
Nome completo
Adriana do Vale Ferreira Bacci
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2004
Orientador
Banca examinadora
Fukusima, Sergio Sheiji (Presidente)
Mazzetto, Marcelo Oliveira
Silva, Jose Aparecido da
Título em português
"Comparação da escala CR10 de Borg com a escala analógica visual (VAS) na avaliação da dor em pacientes com disfunções temporomandibulares".
Palavras-chave em português
dor
escala analógica visual (VAS)
escala de categoria e razão (CR10)
Resumo em português
A Visual Analogue Scale (VAS) e a escala Category-Ratio (CR10) foram aplicadas para mensurar a dor em pacientes com Disfunções Temporomandibulares (DTMs) em dois estudos. No primeiro estudo, em 35 pacientes (Grupo I) foram aplicadas uma versão modificada da escala CR10 em português e a VAS para mensurar a dor espontânea, durante função orofacial e durante palpação antes e após tratamento odontológico. A modificação na CR10 consistiu em um desmembramento das categorias verbais e da escala numérica apresentadas cada uma delas em única coluna em mesma folha. Os coeficientes de correlação de Pearson entre as pontuações da VAS e da CR10 foram 0,85 antes do tratamento odontológico e 0,9 após o tratamento, indicando alta validade de critério. A associação entre os valores numéricos e as categorias verbais da Escala CR10 Modificada mostrou diferenças em relação ao que é proposto na escala original. As categorias: “Moderado”, “Forte” e “Muito Forte” foram associadas a valores superiores aos originais. O segundo estudo foi planejado para investigar se essas discrepâncias nas associações das categorias com os seus valores numéricos eram replicáveis e verificar se não dependiam da forma de apresentação da escala CR10 modificada. Para isso, as escalas foram aplicadas para medir dor em duas novas amostras de pacientes com DTMs antes do tratamento odontológico. A CR10 com nova modificação e a VAS foram aplicadas à primeira amostra (Grupo II , n=23 pacientes). A modificação na CR10 consistiu na apresentação primeiro da escala numérica em uma coluna seguida pela apresentação das categorias verbais em três colunas. A CR10 original e a VAS foram aplicadas à segunda amostra (Grupo III, n=17 pacientes). Os coeficientes de correlação de Pearson foram 0,9 para o Grupo II e 0,8 para o Grupo III, indicando também alta validade de critério. Assim como no primeiro estudo, na escala CR10, as categorias verbais: “Moderado”, “Forte” e “Muito Forte” foram associadas na escala numérica a valores superiores aos propostos na escala original Em ambos estudos, a escala CR10 foi a mais bem avaliada pelos pacientes, segundo a facilidade de compreensão das instruções e a adequação para o registro da dor. Evidencia-se a necessidade de mais estudos para validar a escala CR10 para a língua portuguesa para determinar com precisão a associação das categorias verbais aos valores numéricos.
Título em inglês
Comparison of CR10 Borg’s Scale with Visual Analogue Scale (VAS) to assess pain in patients with Temporomandibular Disorders
Palavras-chave em inglês
Category Ratio Scale (CR10)
Pain
Visual Analogue Scale (VAS)
Resumo em inglês
Visual Analogue Scale (VAS) and Category-Ratio Scale (CR10) were applied to measure pain in patients with Temporomandibular Disorders (TMDs). In the first study, a modified version of CR10 translated to Portuguese and VAS were applied to measure spontaneous pain, functional pain and pain by touch after and before dentistry treatment in 35 patients (Group I). The CR10 modification consisted of presenting the verbal categories and the numerical scale in separated columns in a sheet. Coefficients of Pearson’s correlation between VAS and CR10 scores were .85 and .90 respectively before and after treatment, indicating a high criterion validation. The association of numerical values and verbal categories of Modified CR10 scale were different from the original CR10. The verbal expressions “moderate”, “strong” and “very strong” were attached to higher values. In the second study we investigated if these discrepancies in attaching the verbal categories to the numerical scale were replicable and if they were not an artifact of the way of presenting the modified CR10 scale. To check these topics, the scales were applied to measure pain in two new samples of patients with TMD before dentistry treatment. A new modified version of the CR10 scale and the VAS were applied to the first sample (Group II, n=23 patients). This modification in CR10 scale consisted of presenting first the numerical scale in separate column, and then the verbal categories distributed in three columns. The original CR10 and VAS were applied to the second sample (Group III, n=17 patients). Coefficients of Pearsons correlation between CR10 and VAS were .9 for Group II and .8 for Group III, indicating also high criterion validation. As indicated in the first study, some verbal categories were attached to the numerical scale at higher values than those ones in the original scale. In both studies,, most patients judged the CR10 easier to be understood and more adequate to measure pain than VAS. There is evidence of the necessity of more studies to validate CR10 to Portuguese to determine with precision the association of the verbal categories to the numeric values.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Mestrado-BACCI_AVF.pdf (526.75 Kbytes)
Data de Publicação
2006-05-02
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.