• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
Documento
Autor
Nome completo
Gabriel Peixoto Leão Almeida
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2018
Orientador
Banca examinadora
Marques, Amelia Pasqual (Presidente)
João, Silvia Maria Amado
Lucareli, Paulo Roberto Garcia
Silva, Maria Stella Peccin da
Título em português
Efeito do fortalecimento dos músculos abdutores e adutores do quadril em pacientes com osteoartrite de joelho: um ensaio clínico aleatorizado
Palavras-chave em português
Dor crônica
Dor musculoesquelética
Modalidades de fisioterapia
Osteoartrite do joelho
Terapia por exercício
Treinamento de resistência
Resumo em português
Introdução: A osteoartrite de joelho (OAJ) é uma doença prevalente, associada a significante morbidade, caracterizada por sua cronicidade, evolução lenta e progressiva. Os principais objetivos das intervenções em pacientes com OAJ são redução da dor e melhora da capacidade funcional e dentre as intervenções os exercícios são amplamente recomendados. A literatura aponta carência de ensaios clínicos que verifique o efeito do fortalecimento dos músculos do quadril em pacientes com osteoartrite de joelho. Dessa forma, o objetivo da presente pesquisa foi analisar os efeitos da adição do fortalecimento dos músculos abdutores versus adutores do quadril a um programa de fortalecimento, terapia manual e alongamento dos membros inferiores na intensidade da dor e capacidade funcional em pacientes com osteoartrite sintomática de joelho. Métodos: Foi realizado um ensaio clínico aleatorizado, grupo paralelo, distribuição equilibrada e avaliador cego. Sessenta e seis participantes foram distribuídos aleatoriamente em dois grupos: Grupo Abdutores do Quadril (GABQ, n = 33) e Grupo Adutores do Quadril (GADQ, n = 33). Os participantes foram submetidos a um programa de tratamento fisioterapêutico por seis semanas consecutivas (12 atendimentos). Ambos os grupos realizaram aquecimento sistêmico em bicicleta ergométrica, alongamento de isquiotibiais, quadríceps femoral, tríceps sural, abdutores e adutores do quadril, terapia manual articular e miofascial para o joelho, fortalecimento de quadríceps femoral, isquiotibiais e tríceps sural. Além disso, o GABQ realizou mais três exercícios para abdutores do quadril e o GADQ realizou mais três exercícios para os adutores do quadril. Os desfechos clínicos avaliados foram: intensidade da dor avaliada pela Escala Numérica de Dor (END), capacidade funcional subjetiva pela Knee Injury and Osteoarthritis Outcome Score (KOOS) e Questionário de Lequesne, percepção da evolução clínica pela Escala de Percepção do Efeito Global e, avaliação da mobilidade funcional pelo Teste de Levantar e Caminhar Cronometrado e Teste Sentar-Levantar. Resultados: A comparação entre os grupos nos desfechos primários após seis semanas de intervenção não apresentou diferença significativa na intensidade da dor (diferença média = -1,15, IC 95% -2,44 - 0,12, TE = -0,40), domínio dor no KOOS (diferença média = 1,64, IC 95% -6,79 - 10,07, TE = 0,23) e domínio função nas atividades diárias no KOOS (diferença média = -0,12, IC 95% -8,78 - 8,54, TE = 0,05). Não houve diferença nos desfechos secundários em seis semanas e seis meses entre os grupos com pequeno tamanho do efeito. Na análise isolada de cada grupo, foi encontrada melhora significativa em todos os desfechos clínicos em seis semanas e seis meses, apenas o grupo GABQ não apresentou melhora no TGUG após intervenção. Conclusão: A adição do fortalecimento dos músculos abdutores e adutores do quadril a um programa geral de fortalecimento de membros inferiores em pacientes com osteoartrite de joelho, trouxe melhora significativa na intensidade da dor e capacidade funcional, porém, não houve diferença entre os grupos. Frente esses achados, o fisioterapeuta poderá tomar decisão clínica para fortalecimento do grupo muscular do quadril mediante sua avaliação e necessidade dos pacientes
Título em inglês
The effect of strengthening hip abductor and adductor muscles in patients with knee osteoarthritis: a randomized clinical trial
Palavras-chave em inglês
Chronic pain
Exercise therapy
Musculoskeletal pain
Osteoarthritis knee
Physical therapy modalities
Resistance training
Resumo em inglês
Introduction: Knee osteoarthritis (KOA) is a prevalent disease associated with pain and functional incapacity and is characterized by chronicity and a slow, progressive evolution. The main objectives of KOA interventions are pain reduction and functional capacity improvement, and exercise is one of the most widely recommended of these interventions. The literature points to a lack of clinical trials to verify the effectiveness of hip muscle strengthening in patients with KOA. The present study aimed to compare the effects of adding hip abductor and adductor muscle exercises to a program of strengthening, manual therapy, and lower limb stretching on pain intensity and functional capacity in patients with symptomatic KOA. Methods: A randomized, parallel-group clinical trial was performed. Sixty-six participants were randomly assigned to either the hip abductor group (HABG, n = 33) or the hip adductor group (HADG, n = 33). All participants underwent standard physiotherapeutic treatment for six consecutive weeks (12 visits) that included 1) systemic warm-up on a stationary bicycle, 2) stretching of the hamstring, quadríceps femoris, sural triceps, and hip abductors and adductors, 3) manual joint and myofascial therapy for the knee, and 4) strengthening of the quadriceps femoris, hamstrings, and triceps sural. Participants in HABG performed three additional exercises for hip abductors and participants in HADG performed three additional exercises for hip adductors. A blinded evaluator collected the following clinical endpoint data: pain intensity assessed by the Numerical Pain Scale (NPS), subjective functional capacity assessed by the Knee Injury and Osteoarthritis Outcome Score (KOOS) and Lequesne's Algofunctional Index, perception of clinical evolution assessed by the Global Effect Perception Scale, and functional mobility evaluated by the Timed Up and Go (TUG) Test and Sit-to-Stand Test. Evaluations were performed at six weeks post baseline assessment and six month followup. Results: There were no between-group differences after six weeks of intervention for pain intensity to the NPS (mean difference = -1.15, 95% CI [-2.44, 0.12], ES = -0.40), KOOS-Pain (mean difference = 1.64, 95% CI [-6.79, 10.07], ES = 0.23) and KOOSFunction (mean difference = -0.12, 95% CI [-8.78, 8.54], ES = 0.05). There were nobetween-group differences in secondary outcomes at either six weeks post baseline assessment and six month follow-up, and effect sizes were small. In an isolated analysis of each group, a significant improvement was found for all clinical outcomes at six weeks and six months, and only HABG did not show improvement in the TUG Test after intervention. Conclusion: The addition of hip abductor and adductor muscle strengthening to a general lower limb strengthening program in patients with KOA significantly improved pain intensity and functional capacity, but there was no difference between the groups. Faced with these findings, physiotherapists should make clinical decisions to strengthen hip muscles based on individual evaluation and patient needs
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2019-05-08
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.