• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.5.2015.tde-12082015-154446
Documento
Autor
Nome completo
Ana Manhani Cáceres Assenço
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2015
Orientador
Banca examinadora
Lopes, Debora Maria Befi (Presidente)
Andrade, Claudia Regina Furquim de
Pompéia, Sabine
Carnio, Maria Silvia
Takiuchi, Noemi
Título em português
Memória verbal e visuoespacial de crianças com alteração primária de fala e linguagem
Palavras-chave em português
Desenvolvimento da linguagem
Distúrbios da fala
Fonoaudiologia
Linguagem
Linguagem infantil
Memória
Memória de curto prazo
Transtornos da linguagem
Transtornos do desenvolvimento da linguagem
Resumo em português
Introdução: O presente estudo comparou o desempenho de crianças brasileiras com distúrbio específico de linguagem (DEL), transtorno fonológico (TF) e desenvolvimento típico de linguagem (DTL) em memória de curto prazo e operacional nas modalidades verbal e visuoespacial. A hipótese central do estudo era de que o grupo com distúrbio específico de linguagem teria um desempenho aquém do observado nos demais grupos, nos dois tipos de memória e nas duas modalidades, enquanto o grupo com transtorno fonológico teria prejuízos apenas na modalidade verbal. Métodos: Participaram do estudo 60 crianças de ambos os gêneros e com faixa etária entre 5 anos e 6 anos e 11 meses, divididas igualmente em três grupos, com base em seu desenvolvimento de fala e linguagem. Todas apresentavam audição normal e rendimento intelectual não verbal adequado. Para a caracterização dos sujeitos, foram avaliados vocabulário expressivo, fonologia, discriminação auditiva para fonemas e nível socioeconômico. A avaliação experimental foi composta pelo teste de memória de curto prazo fonológica e por oito tarefas do Automated Working Memory Assessment, que avalia a combinação dos dois tipos de memória e suas duas modalidades (curto prazo verbal, operacional verbal, curto prazo visuoespacial e operacional visuoespacial). Resultados: A comparação entre os tipos e as modalidades de memória revelou que os três grupos apresentaram o mesmo padrão. Na modalidade verbal, o melhor desempenho ocorreu na memória de curto prazo, enquanto na modalidade visuoespacial, ocorreu na memória operacional. Já na memória de curto prazo, o melhor desempenho ocorreu nas tarefas verbais, enquanto na memória operacional, ocorreu nas tarefas visuoespaciais. A comparação entre os grupos revelou que os sujeitos com DEL tiveram desempenho inferior aos dois outros grupos em todas as combinações de tipos e modalidades de memória, com exceção da memória de curto prazo verbal e operacional visuoespacial, nas quais obtiveram desempenho similar ao grupo com TF. Já os sujeitos com TF tiveram desempenho inferior ao grupo com DTL apenas na modalidade verbal. A idade e o nível socioeconômico não demonstraram influenciar tal desempenho, porém, o rendimento intelectual não verbal, o vocabulário expressivo, a fonologia e a discriminação auditiva foram identificados como variáveis mediadoras. Por fim, a análise discriminante evidenciou que essas medidas foram capazes de discriminar corretamente 78,3% dos sujeitos, sendo que 75% foram corretamente classificados como DEL, 65% como TF e 95% como DTL. Conclusões: Ainda que os três grupos tenham demonstrado padrão semelhante de desempenho quanto ao tipo e modalidade de memória, o grupo com DEL apresentou um prejuízo que não se restringe à modalidade verbal, enquanto o grupo com TF demonstrou prejuízo exclusivamente na modalidade verbal. Tais achados confirmam a hipótese central formulada e contribuem para a compreensão da extensão e dos possíveis mediadores do comprometimento da memória de indivíduos com DEL. Descritores: memória; memória de curto prazo; linguagem infantil; linguagem; desenvolvimento da linguagem; transtornos do desenvolvimento da linguagem; transtornos da linguagem; fonoaudiologia; distúrbios da fala
Título em inglês
Verbal and visuospatial memory of children with primary speech and language impairment
Palavras-chave em inglês
Child language
Joint diseases
Language
Language development
Language development disorders
Language disorders
Memory short-term
Speech disorders
Speech Language and hearing sciences
Resumo em inglês
Introduction: The present study compared the performances of Brazilian children with specific language impairment (SLI), speech sound disorder (SSD) and typical language development (TLD) on verbal and visuospatial measures of short-term (STM) and working memory (WM). The central hypothesis of the study was that children with SLI would present poorer performances on both types and domains of memory when compared to the other groups, while children with SSD would present deficits restricted to the verbal domain. Methods: Participants were sixty children aged 5- to 6-years of both genders. Participants were divided into three groups based on their speech and language development. All children presented hearing thresholds within normal limits and presented appropriate nonverbal intellectual performance. In order to characterize the children, we assessed expressive vocabulary, phonology, auditory phoneme discrimination and socioeconomic status. The experimental assessment was composed by a phonological short-term memory test and by eight tasks based on the Automated Working Memory Assessment. This battery assesses both types and domains of memory (verbal STM, verbal WM, visuospatial STM and visuospatial WM). Results: The comparison between types and domains of memory revealed that groups exhibited the same pattern: on verbal domain they performed better on STM while on visuospatial domain they performed better on WM; on STM they performed better on verbal tasks while on WM they performed better on visuospatial tasks. Intergroup comparison revealed that children with SLI performed worse than their peers on both types and domains of memory, except on verbal STM and visuospatial WM in which they performed similarly to children with SSD. In contrast, children with SSD performed worse than children with TLD only on verbal domain. Age and socioeconomic status showed no influence on children`s performance, but nonverbal intellectual performance, expressive vocabulary, phonology and auditory phoneme discrimination were identified as covariates. Finally, discriminant analysis indicated that these measures of memory were able to significantly discriminate between 79.3% of the all children, correctly classifying 75% of children with SLI, 65% of SSD and 95% of TLD. Conclusion: Although all groups presented a similar pattern in performance regarding types and memory domains, children with SLI exhibited deficits that were not restricted to the verbal domain, while children with SSD showed deficits restricted to this domain exclusively. These findings support the central hypothesis formulated for this study and contribute to the better understanding of comprehensiveness and of factors that might mediate memory impairment of children with SLI
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2015-08-12
 
AVISO: O material descrito abaixo refere-se a trabalhos decorrentes desta tese ou dissertação. O conteúdo desses trabalhos é de inteira responsabilidade do autor da tese ou dissertação.
  • CÁCERES, Ana Manhani, PUGLISI, Marina Leite, e BEFI-LOPES, Debora Maria. A evolução da linguagem favorece a memória verbal nas crianças com distúrbio específico de linguagem?. In 20º Congresso Brasileiro de Fonoaudiologia, Brasília, 2012. Anais do 20º Congresso Brasileiro de Fonoaudiologia.São Paulo : Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, 2012. Resumo.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.