• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.5.2007.tde-10032008-153020
Documento
Autor
Nome completo
David Tayah
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2007
Orientador
Banca examinadora
Alves, Milton Ruiz (Presidente)
Betinjane, Alberto Jorge
Lui Netto, Adamo
Matayoshi, Suzana
Rehder, Jose Ricardo Carvalho Lima
Título em português
Componentes oculares em anisometropia
Palavras-chave em português
Anisometropia
Biometria/Métodos
Erros de refração.
Olho/crescimento & desenvolvimento
Olho/Ultra-sonografia
Resumo em português
Objetivo: Em anisométropes, comparar os valores médios individuais dos componentes oculares de ambos os olhos (poder da córnea, profundidade da câmara anterior, poder equivalente do cristalino e comprimento axial), correlacionar as diferenças dos componentes oculares com as diferenças de refração de ambos os olhos; verificar a contribuição total e a seqüência geral de influência das variáveis na diferença refrativa; e identificar o menor número de fatores que contenham o mesmo grau de informações expressas no conjunto de variáveis que influenciam na diferença refrativa. Métodos: Realizou-se um estudo transversal analítico em população de 77 anisométropes de duas ou mais dioptrias, atendida no ambulatório de Oftalmologia do Hospital Universitário da Faculdade de Medicina Nilton Lins, Manaus, Amazonas. Os anisométropes foram submetidos à refração estática objetiva e subjetiva, ceratometria e biometria ultra-sônica A-scan. A análise dos dados foi feita por meio dos seguintes modelos estatísticos: análise univariada, multivariada, de regressão múltipla e fatorial. Resultados: Não houve diferenças significativas na comparação dos valores médios individuais dos componentes oculares entre os olhos. Houve correlação negativa média entre a diferença refrativa e a diferença de comprimento axial (r=-0,64) (P<0,01) e correlação negativa fraca entre a diferença refrativa e a diferença de poder do cristalino (r=-0,34) (p<0,01). As variáveis analisadas responderam, no seu conjunto, por 78% da variação total para a diferença refrativa. A seqüência geral de influência das variáveis na diferença refrativa foi a seguinte: comprimento axial, poder do cristalino, poder da córnea e profundidade da câmara anterior. Foram identificados três fatores para a diferença refrativa: a) fator 1 (refração, comprimento axial); b) fator 2 (profundidade da câmera anterior, poder da córnea) e c) fator 3 (poder do cristalino). Conclusões: O estudo conduzido em 77 indivíduos com anisometropias variando de 2,00 a mais de 19,00 dioptrias, realizado para avaliar a influência dos componentes oculares, mostrou que o comprimento axial foi o principal fator causador das anisometropias, seguido pelo cristalino que contribuiu menos, depois pela córnea e profundidade da câmara anterior, com contribuições ainda menores. A investigação sugere falência no mecanismo adaptativo normal em anisometropia, o que poderia produzir não só descontrole do alongamento do comprimento axial (fator 1), mas também falência no controle do aplanamento da córnea e do aprofundamento da câmara anterior (fator 2) e no achatamento do cristalino (fator 3).
Título em inglês
The ocular components in anisometropia
Palavras-chave em inglês
Anisometropia
Biometry/methods
Eye/growth & development
Eye/ultrasound
Refractive errors.
Resumo em inglês
Purpose: To compare the individual means of ocular components of both eyes (corneal power, anterior chamber depth, crystalline lens power and axial length) in patients with anisometropia; to correlate the differences of the ocular components with refractive differences in both eyes; to verify total contribution and the sequence of influence that variables have in refractive differences, and to identify the smallest number of factors that contain the same level of information expressed in the set of variables that influence refractive difference. Methods: An analytical transversal study was carried out in 77 patients with anisometropia of two or more dioptres seen at the Ophthalmologic Clinic, University Hospital, Medical School Nilton Lins, Manaus, Amazon state. All participants were submitted to ophthalmologic exam which included objective and subjective cycloplegic refractometry, keratometry and ultrasonic biometry. Data analysis comprised the following statistical models: univariate, multivariate, multiple and factorial regression analyses. Results: There were no significant differences in the comparison of the individual means of the ocular components. There was negative correlation between refractive difference and difference of axial length (r=- 0.64; p<0.01) and weak negative correlation between refractive difference and crystalline lens power difference (r=-0.34; p< 0.01). The analyzed variables amounted to 78% of the total variation of refractive difference. The general sequence of variables influencing refractive difference was: axial length, crystalline lens power, cornea power, and anterior chamber depth. There were three factors identified for refractive differences: a) factor 1 (refraction, axial length); b) factor 2 (anterior chamber depth, cornea power), and c) factor 3 (crystalline lens power). Conclusions: Seventy-seven cases of anisometropia ranging from 2,00 to over 19,00 dioptres, examined for the individual components of refraction, showed that axial length was the major causative factor; crystalline lens have contributed less, followed by cornea and anterior chamber length. This study has suggested deficit of the normal adaptive mechanism in anisometropia that could produce not only axial elongation (factor 1), but also failure to control flattening of the cornea, deepening of the anterior chamber length (factor 2) and flattening of crystalline lens (factor 3).
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
DavidTayah.pdf (2.64 Mbytes)
Data de Publicação
2008-03-18
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.