• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.5.2008.tde-02062008-092416
Documento
Autor
Nome completo
Alan Diego Negretto
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2008
Orientador
Banca examinadora
Nakashima, Yoshitaka (Presidente)
Aihara, Teruo
Casella, Antonio Marcelo Barbante
Monteiro, Mario Luiz Ribeiro
Takahashi, Walter Yukihiko
Título em português
Avaliação de um novo índice prognóstico para a cirurgia do buraco macular idiopático
Palavras-chave em português
Macula Lútea
Prognóstico
Tomografia de coerência óptica
Vitrectomia
Resumo em português
Objetivo: A partir das medidas anatômicas isoladas (altura, diâmetro externo e interno) do BMI construir um novo índice prognóstico para a cirurgia de correção do Buraco Macular Idiopático (IPBM). Tipo de estudo: intervencional, série de casos. Pacientes e Métodos: Estudo realizado no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e no Instituto Suel Abujamra, São Paulo-SP, entre outubro de 2005 e outubro de 2007. Foram incluídos 36 olhos de 36 pacientes com BMI, que foram avaliados segundo as medidas apresentadas ao exame de TCO (Stratus - Zeiss, versão 4.01) antes da cirurgia do BMI. Utilizando o compasso do TCO, obteve-se a medida dos maiores diâmetros externo e interno e da altura dos BMI. Por meio dessas medidas, foi criado o IPBM. Após vitrectomia posterior com retirada de Membrana Limitante Interna (MLI), sem utilização de corantes, os pacientes foram acompanhados por seis meses. Após a cirurgia, os pacientes foram avaliados no primeiro e sétimo dias, duas semanas, um, três e seis meses. Ao final do seguimento, o IBPM e outras variáveis (sexo, idade, raça, estádio do BMI pela classificação biomicroscópica de Gass, tempo decorrido desde a piora da acuidade visual informada pelo paciente e a acuidade visual pré-operatória), foram correlacionadas com o resultado anatômico e a acuidade visual pós-operatória. Resultados: Vinte e nove (80,6%) dos 36 olhos com BMI obtiveram fechamento anatômico ao final de seis meses de acompanhamento (8,86 ± 4,23 meses). Dezenove (52,7%) dos BMI eram do estádio IV de Gass, com tempo de duração maior que um ano em 21 pacientes (58,3%). A AV LogMAR corrigida pré-operatória média foi de 1,10 (0,60 a 1,62) e a pós-operatória média foi de 0,69 (0,0 a 1,60). A média de melhora da AV foi de 3,94 linhas. Em relação ao fechamento anatômico, não houve significância em relação ao tempo de história da doença entre os grupos aberto (grupo 1) e fechado (grupo 2) (Teste t-Student, p=0,072). O diâmetro da base interna foi maior no grupo 1 em relação ao grupo 2 (Teste t-Student, p=0,007). Na análise do índice IPBM, houve diferença significativa entre o grupo 1 (média 0,49) e o grupo 2 (média 0,91). (Teste t-Student, p< 0,001) A análise de regressão logística apontou que BMIs com IPBM maior que 0,53 apresentam chance de fechamento anatômico 9,6 vezes maior (Odds Ratio= 9,6, p = 0,018). Pacientes com IPBM > 0,53 apresentaram AV pós-operatória ao final do sexto mês significativamente melhor do que pacientes com IPBM < 0,53 (Mann-Whitney, p=0,005). O ganho percentual da AV foi de 41,93% nos pacientes com IBPM>0,53, quando comparado com os 7,14% do grupo com IPBM <0,53 (p=0,002). No que diz respeito à AV final LogMAR, todas as variáveis estudadas anteriormente foram submetidas ao teste de correlação de Pearson. Observou-se que o IPBM tem uma correlação negativa significante com a AV, e foi selecionado juntamente com a AV pré-operatória através de regressão linear como os melhores preditores de AV final (p<0,001 e p=0,005, respectivamente). O modelo aponta que 58,4% da AV pós-operatória está sendo explicada pelo IPBM e AV pré-operatória. Conclusões: Foi construído um novo índice Prognóstico do Buraco Macular Idiopático (IPBM) representado pela razão altura / diâmetro interno do BMI. Verificou-se que o IPBM pode ser utilizado como fator prognóstico de fechamento anatômico do BMI. O IPBM e a AV pré-operatória foram os fatores prognósticos com melhor relação para a AV no sexto mês após o tratamento cirúrgico do BMI.
Título em inglês
Evaluation of a new prognostic index for the idiopatic macular hole surgery
Palavras-chave em inglês
Macula lutea
Prognosis
Tomography optical coherence
Vitrectomy
Resumo em inglês
Purpose: To create a new prognostic index for IMH surgery based on anatomical values of IMH height, external and internal diameters (MHPI). Type of Study: Prospective, interventional, case of series. Patients and Methods: 36 eyes with IMH of 36 patients followed at Hospital das Clinicas, University of São Paulo Medical School (HC-FMUSP) and Suel Abujamra Institute (ISA), São Paulo-SP, between October 2006 and October 2007, were included. IMH OCT measurements were obtained before surgery (Stratus - Zeiss version 4.01) Values of the larger external and internal diameters, and the IMH height were obtained using the OCT compass. The prognostic index of IMH (MHPI) was defined as the index height / internal base. MHPI was defined by using those OCT measurements. Patients underwent pars plana vitrectomy with ILM peeling without dye and were followed by 6 months. Patients were seen at days 1, 7, 14, and months 1, 2, 3, and 6 after surgery. At the end of the follow-up period, MHPI and, other variables (sex, age, ethnic group, stage of IMH following the biomicroscopic classification of Gass, the time of visual loss reported by the patient, and pre surgical visual acuity) were correlated with anatomical results and post-surgical visual acuity. Results: Twenty nine eyes (80.6%) of thirty six patients with IMH had anatomical closure at the end of the six-month follow-up (8.86 ± 4.23 months). Nineteen (52.7%) IMH were stage IV of Gass with more than one year duration in twenty one patients. Pre-surgical medium LogMAR VA was 1.10 (0.60 to 1.62) and post-surgical was 0.69 (0.0 to 1.60). Medium VA improvement was 3.94 lines. The internal base diameter (BINT) was larger in group 1 than in group 2 (t-Student Test, p=0.373). MHPI analisys showed significant difference between group 1 (average 0.49) and group 2 (average 0.91) (t-Student Test, p> 0.001). Logistical regression showed that IMH with MHPI higher than 0.53 present 9.6 times more risk of failure than those with MHPI lower than 0.53 (Mann-Whitney, p=0.005). The percentage gain of VA was 41.93% in patients with MHPI > 0.53, and 7.14% in patients with MHPI lower than 0.53 (p=0.002). In regards to the final LogMAR VA, all studied variables above submitted to Pearson correlation test. MHPI is inversely correlated with VA by linear regression with gradient procedure as best predictor of final VA (p< 0.001 and p= 0.005 respectively). The sample shows that 58.4% of post-surgery VA is being explained by the MHPI and pre-surgery VA. Conclusions: A new prognostic index for IMH surgery was defined as IMH height/internal diameter. We concluded that MHPI may be used as a prognostic factor for IMH anatomical closure after surgical treatment. MHPI and preoperatory VA were the best correlated prognostic factors for 6-month VA.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
AlanDiegoNegretto.pdf (2.54 Mbytes)
Data de Publicação
2008-06-11
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.