• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.5.2018.tde-30012018-113658
Documento
Autor
Nome completo
Danielle Ruiz de Lima
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2017
Orientador
Banca examinadora
Andrade, Arthur Guerra de (Presidente)
Araujo, Marcelo Ribeiro de
Brasiliano, Silvia
Serafim, Antonio de Padua
Título em português
Funcionamento cognitivo, variáveis de uso e critérios diagnósticos do transtorno por uso de cocaína: um estudo envolvendo a correlação entre diferentes medidas de gravidade e suas implicações prognósticas
Palavras-chave em português
Classificação
Cocaína
Cognição
Diagnóstico
Prognóstico
Transtornos relacionados ao uso de substâncias
Resumo em português
INTRODUÇÃO: O transtorno por uso de cocaína (TUC) está associado a alterações de funcionamento cognitivo e a taxas modestas de sucesso no tratamento. O padrão de uso da substância parece influenciar a severidade destas alterações e pode representar um indicador importante na caracterização de gravidade do transtorno. Atualmente, as diretrizes de gravidade baseiam-se na soma de critérios diagnósticos da última versão do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5), porém não se sabe quais os indicadores mais preditivos de alterações cognitivas e qual o impacto destes no prognóstico desta população. OBJETIVO: Este trabalho propôs investigar as associações entre as variáveis de uso de cocaína e a gravidade do transtorno com o funcionamento cognitivo de pacientes internados, e a relação destes indicadores com o prognóstico, três meses após a alta hospitalar. MÉTODOS: A amostra da análise inicial foi composta por 68 pacientes internados com o diagnóstico de TUC e os dados de prognóstico foram obtidos de 65 destes pacientes. As variáveis de interesse foram identificadas por meio da combinação de dados da Structured Clinical Interview (SCID), da Escala de Gravidade de Dependência, 6ª versão (ASI-6) e de prontuários, coletados no início do tratamento. A avaliação do funcionamento cognitivo foi introduzida após a negativação do teste toxicológico de urina. As análises de correlação foram investigadas através dos coeficientes de correlação de Pearson, Spearman e Kendall e para as análises de prognóstico foi utilizado o teste Wilcoxon-Mann-Whitney visando a comparação entre pacientes abstinentes e nãoabstinentes. RESULTADOS: Foram encontradas correlações significantes entre: precocidade do uso e mais erros no Stroop Color-Word Test (SCWT), parte C (P=.005); mais anos de uso de cocaína com pior pontuação em Bateria de Avaliação Frontal (FAB) (P=.017); e mais dias de uso recente com piores desempenhos nos testes Trail Making Test (TMT), parte A (P=.033), SCWT, parte C (P=.007), Dígitos Diretos (P=.034) e Dígitos Indiretos (P=.002). Não foram identificadas associações entre a soma dos critérios e aspectos do funcionamento cognitivo (P >.05). No entanto, na avaliação de prognóstico, o grupo de pacientes abstinentes apresentou menos critérios do DSM quando comparado ao grupo de pacientes não-abstinentes (P=.002). CONCLUSÕES: Uso recente de cocaína (em dias) foi a variável mais preditiva de pior desempenho cognitivo, em termos de velocidade de processamento, controle cognitivo, amplitude da atenção e memória de trabalho. Observou-se também associação entre precocidade e duração do uso com controle inibitório e funcionamento executivo, respectivamente. Por fim, pacientes com maior gravidade de sintomas (segundo o DSM-5) mostraram-se mais suscetíveis à recaída três meses após a alta hospitalar. Considerando a complexidade do fenômeno investigado e a heterogeneidade entre pacientes afetados, a integração de medidas objetivas, tais como dados de padrão de uso e de funcionamento cognitivo, à investigação dos sintomas clínicos deve contribuir para a identificação de subgrupos mais graves e vulneráveis à recaída
Título em inglês
Cognitive functioning, variables of use and diagnostic criteria for cocaine use disorder: a study involving the correlation between different measures of severity and implications for prognosis
Palavras-chave em inglês
Classification
Cocaine
Cognition
Diagnosis
Prognosis
Substance-related disorders
Resumo em inglês
INTRODUCTION: Cocaine use disorder (CUD) is associated with changes in cognitive functioning and modest success rates in treatment. Substance use pattern appears to influence the severity of these alterations and may represent an important indicator for the characterization of the severity of the disorder. Currently, severity guidelines are based on the sum of diagnostic criteria of the latest version of the Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders (DSM-5), but it is not clear which is the most predictive indicator of cognitive changes, neither how they impact the prognosis of this population. AIM: This study aimed to investigate the associations between cocaine use variables and the severity of the disorder with cognitive functioning of inpatients, as well the relationship between these indicators and the prognosis three months after hospital discharge. METHODS: The initial analysis sample consisted of 68 inpatients with a diagnosis of CUD and prognostic data were obtained from 65 of these patients. The variables of interest were identified by the combination of data from the Structured Clinical Interview (SCID), Addiction Severity Index, 6th version (ASI-6) and medical records collected at treatment´s entry. The assessment of cognitive functioning was introduced after negativation of urine toxicology test. The correlation analyzes were investigated using Pearson, Spearman and Kendall correlation coefficients, and the Wilcoxon-Mann-Whitney test was used for the prognostic analyzes to compare abstinent and non-abstinent patients. RESULTS: There were significant correlations between: lower age of onset and more errors in the Stroop Color- Word Test (SCWT), part C (P=.005); more years of cocaine use and worse scores in the Frontal Assessment Battery (FAB) (P=.017); and more days of recent use and worst performances in the Trail Making Test (TMT), part A (P=.033), SCWT, part C (P=.007), Digit Span Forward (P=.034) and Backwards (P=.002). There were no significant correlations between sum of criteria and aspects of cognitive functioning (P >.05). However, based on the prognostic evaluation, the group of abstinent patients presented less DSM criteria when compared to the group of non-abstinent patients (P=.002). CONCLUSIONS: Recent cocaine use (in days) was the most predictive variable of worst cognitive performance, in terms of processing speed, cognitive control, attention span and working memory. It was also observed associations between precocity and duration of use with inhibitory control and executive functioning, respectively. Finally, patients considered more severe (according to DSM-5) showed to be more vulnerable to relapse three months after hospital discharge. Considering the complexity of the investigated phenomenon and the heterogeneity among severely affected patients, the integration of objective measures, such as pattern of use and cognitive functioning data, to symptom investigation should favor the identification of subgroups more severe and vulnerable to relapse
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-01-30
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.