• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
Documento
Autor
Nome completo
Ingrid Kandler
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2017
Orientador
Banca examinadora
Diniz, Edna Maria de Albuquerque (Presidente)
Cianciarullo, Marco Antonio
Odone Filho, Vicente
Título em português
Morbidade e mortalidade de recém-nascido pré-termo de mães portadoreas de corioamnionite histológica
Palavras-chave em português
Corioamnionite
Recém-nascido pré-termo
Sepse neonatal precoce
Resumo em português
Introdução: A infecção amniótica e a corioamnionite (CAM) são determinantes de infecções materna e do recém-nascido, parturição e nascimento prematuro, morbidade e mortalidade pós-natal. Embora métodos clínicos, histopatológicos, microbiológicos, bioquímicos e moleculares possam diagnosticar CAM, muitos serviços hospitalares não examinam as placentas das parturientes, permanecendo muitos casos sem diagnóstico. O presente estudo utiliza o exame extemporâneo do cório placentário (EECP) proposto por Blanc em 1959 para o diagnóstico de CAM em mães que tiveram Recém-Nascido Pré- Termo (RNPT) e avaliou a morbidade e mortalidade nesse grupo de pacientes. Objetivo: Verificar a relação entre a CAM histológica e o prognóstico do RNPT nascidos no ano de 2012 no Hospital Universitário Cassiano Antônio de Moraes (HUCAM) em Vitória - ES. Justificativa: A maioria dos óbitos do período neonatal continua sendo por sepse, e esta também leva muitas sequelas no RNPT, assim exames que possam auxiliar no diagnóstico precoce da sepse neonatal ajudarão na instituição rápida do tratamento e consequentemente redução das sequelas, da mortalidade neonatal e redução dos índices de mortalidade neonatal e mortalidade infantil. Hipótese: RNPT filhos de mães com CAM terão mais complicações pós-parto, tais como: sepse neonatal, insuficiência respiratória, asfixia perinatal e óbito do que aqueles cujas mães não tiveram CAM. Metodologia: Estudo transversal, onde todas as placentas examinadas e laudadas no ano de 2012, no laboratório de Patologia do HUCAM em Vitória, ES, foram analisadas em conjunto com a evolução dos RNPT. Os casos foram categorizados por idade gestacional, desfecho perinatal e presença ou ausência de CAM. Resultados: No presente estudo foram selecionados 274 RNPT, desses 61 (22,2%) as placentas foram positivas para CAM e 213 (77,8%) as placentas foram negativas CAM. Quanto ao sexo (51,5%) eram masculinos (48,5%) eram femininos e não houve diferença estatiscamente significante.Quanto ao Apgar 5', 14 (5,1%) tiveram Apgar menor ou igual a 5 e 260 (94,9%) tiveram Apgar maior do que 5.Quanto ao peso, nos RNPT selecionados 82 (29,9%) foram classificados como PIG, 184 (67,2%) foram classificados como AIG e 8 (2,9%) foram classificados como GIG.Quanto a necessidade de oxigenioterapia 154 (56,2%) necessitaram de suporte ventilatório e oxigênio nas primeiras 72 horas de vida e 116 (42,4%) ficaram em ar ambiente, sem necessidade de oxigênio nas primeiras 72 hs de vida. Quanto a sepse neonatal 140 (51%) tiveram hemograma classificado pelo Escore de Rodwell menor ou igual a 3, ou seja, sem risco para sepse neonatal precoce e 16 (5,9%) tiveram Escore Rodwell maior ou igual a 3, com risco para sepse neonatal precoce. Quanto o desfecho do RNPT, 169 (61,7%) dos casos receberam alta, 78 (28,5%) foram transferidos para outras Unidade de Terapia intensiva Neonatal (UTIN) devido superlotação do HUCAM e 27 (9,9%) dos casos foram a óbito.Teste t para médias e Teste de Mann-Whitney, foi encontrada diferença estatisticamente significante nas variáveis: Idade gestacional, Peso ao nascer, Estatura ao nascimento (EM), Pressão Arterial Média (PAM), número total de leucócitos (LEUCO) e proteína C reativa (PCR), já as variáveis frequência cardíaca (FC), temperatura axilar (TAX), leucócitos imaturos (IMAT), leucócitos segmentados (SEG) e plaquetas (PLAQ) não houve diferença estatística significante entre os grupos com CAM e sem CAM. Discussão: O estudo demonstrou que os RNPT nascidos de mães com CAM são mais graves, pois tem mais chances de nascerem asfixiados, ter insuficiência respiratória grave com necessidade de VPM, sepse neonatal precoce e vão mais a óbito do que os RNPT de mães sem CAM. Conclusão: Se a gestante apresentar sinais clínicos de infecção no trabalho de parto, deve-se ficar atento ao suporte que será dado ao RNPT, pois ele tem mais chances de apresentar complicações ao nascimento tais como, asfixia e insuficiência respiratória. Assim o EECP deve ser feito o mais rápido possível e o resultado entregue a equipe de Neonatologia do serviço para que a terapêutica antimicrobiana seja instituída precocemente e não precise aguardar alterações no hemograma e PCR e/ou na clínica do paciente para ter o início do tratamento da infecção
Título em inglês
Morbidity and Mortality of Preterm Newborns of mothers with histological Chorioamnionitis
Palavras-chave em inglês
Chorioamnionitis
Early neonatal sepsis
Preterm newborn
Resumo em inglês
Introduction: Amniotic infection and chorioamnionitis (CAM) are determinants of maternal and newborn infections, parturition and preterm birth, postnatal morbidity and mortality. Although clinical, histopathological, microbiological, biochemical and molecular methods can diagnose CAM, many hospital services do not examine the placenta of the parturients, many cases remain undiagnosed. The present study utilizes extemporaneous placental laryngoscopy (ECC) proposed by Blanc in 1959 for the diagnosis of CAM in mothers who had Preterm Newborn (PTNB) and evaluated morbidity and mortality in this group of patients. Objective: To verify the relationship between the histological CAM and the prognosis of the PTNB born in 2012 at the Cassiano Antônio de Moraes University Hospital (HUCAM) in Vitória - ES. Rationale: Most neonatal deaths continue to be sepsis, and this also leads to many sequels in PTNB, so tests that may help in the early diagnosis of neonatal sepsis will aid in the rapid institution of treatment and consequently reduction of sequelae, neonatal mortality, and Reduction of neonatal mortality rates and infant mortality. Hypothesis: Children born to mothers with CAM will have more postpartum complications such as: neonatal sepsis, respiratory failure, perinatal asphyxia and death than those whose mothers did not have CAM. Methodology: Cross-sectional study, in which all the placentas examined and lauded in 2012, in the HUCAM pathology laboratory in Vitória, ES, were analyzed together with the evolution of the PTNBs. The cases were categorized by gestational age, perinatal outcome and presence or absence of CAM. Results: In the present study, 274 PTNBs were selected, of which 61 (22.2%) placentas were positive for CAM and 213 (77.8%) placentas were CAM negative. As for the gender (51.5%) were male (48.5%) were female and there was no statistically significant difference. As for Apgar 5 ', 14 (5.1%) had Apgar less than or equal to 5 and 260 9%) had Apgar greater than 5. Regarding weight, 82 (29.9%) were classified as PIG, 184 (67.2%) were classified as AIG, and 8 (2.9%) were (56.2%) required ventilatory support and oxygen in the first 72 hours of life, and 116 (42.4%) remained in ambient air, with no need for oxygen in the first 72 hours of life. life. As for neonatal sepsis, 140 (51%) had a hemogram classified by Rodwell score less than or equal to 3, that is, without risk for early neonatal sepsis, and 16 (5.9%) had Rodwell score greater than or equal to 3, with risk For early neonatal sepsis. Regarding the outcome of the PTNB, 169 (61.7%) of the cases were discharged, 78 (28.5%) were transferred to other NICUs due to overcrowding of HUCAM and 27 (9.9%) of the cases died. For mean and Mann-Whitney tests, a statistically significant difference was found in the following variables: gestational age, birth weight, height at birth, mean arterial pressure (MAP), total leukocyte count (LEUCO) and C-reactive protein PCR), the variables heart rate (HR), axillary temperature (TAX), immature leukocytes (IMAT), segmented leukocytes (SEG) and platelets (PLAQ) were not statistically significant between CAM and CAM groups. Discussion: The study showed that the infants born to mothers with CAM are more severe, as they are more likely to be asphyxiated, have severe respiratory insufficiency with need for MVP, early neonatal sepsis and more than death of the infants of mothers without CAM. Conclusion: If the pregnant woman presents clinical signs of infection in labor, one should be aware of the support that will be given to the PTNB, since it is more likely to present complications at birth, such as asphyxia and respiratory failure. Thus the EECP must be done as soon as possible and the result delivered to the Neonatology team of the service so that the antimicrobial therapy is instituted early and does not have to wait for changes in the blood count and PCR and / or in the patient's clinic to have the beginning of the treatment Infection
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2017-10-26
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2014. Todos os direitos reservados.