• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.5.2018.tde-15032018-101048
Documento
Autor
Nome completo
Débora Cristina Nozzella Bordini
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2018
Orientador
Banca examinadora
Benute, Glaucia Rosana Guerra (Presidente)
Brizot, Maria de Lourdes
Cabar, Fábio Roberto
Santos, Niraldo de Oliveira
Título em português
Desesperança e depressão em mulheres com diagnóstico de abortamento
Palavras-chave em português
Aborto espontâneo
Aborto provocado
Depressão
Desesperança
Saúde mental
Suicídio
Resumo em português
Introdução: A desesperança encontra-se amplamente associada com depressão maior e risco de suicídio. O suicídio, por sua vez, é um problema de saúde pública que está associado a uma diversidade de fatores e contextos econômicos, sociais e emocionais. No Brasil, a ocorrência de suicídio parece se relacionar diretamente com situações de perda, frustrações e sofrimento emocional, como a situação de abortamento na vida da mulher. Objetivos: este estudo tem como objetivos identificar desesperança em mulheres que viveram/provocaram abortamento; avaliar depressão maior; verificar a associação entre ocorrência de abortamento espontâneo ou provocado e depressão e desesperança. Método: este estudo foi composto por duas fases. Na primeira fase, foi verificado o prontuário de 162 mulheres que tiveram diagnóstico de abortamento e participaram do projeto anterior "Culpa, ansiedade e depressão na vivência do abortamento provocado", sendo que, destas 144 tinham vivido abortamento espontâneo e 18, abortamentos provocados. Nessa fase foram analisadas entrevista semidirigida; Primary Care Evaluation of Mental Disorders (PRIME-MD) e Escala de Desesperança de Beck (BHS). Após uma média de tempo de 95,75 meses da ocorrência do abortamento, foi realizado contato telefônico com as 162 mulheres, visando convidá-las a participar da segunda fase; 12 mulheres aceitaram retornar. Foram aplicados os seguintes instrumentos: entrevista semidirigida, o PRIME-MD e BHS. Foi realizada análise quantitativa e qualitativa dos dados, os quais foram analisados pela técnica de análise temática e posteriormente foi utilizado o programa IBM SPSS Statistics Standard Edition. O nível de significância utilizado foi p < 0,05. Também foi realizada analise qualitativa dos discursos das mulheres que compareceram na segunda fase deste estudo. Resultados: constatou-se que 14,6%(n=21) das mulheres que sofreram abortamento espontâneo apresentaram alto nível de desesperança (índice <= 9) e 30,6%(n=44) apresentaram diagnóstico de depressão maior. Desta forma, foi observada associação significativa entre alto nível de desesperança e diagnóstico depressivo em mulheres com abortamento espontâneo (p=0,03). Entre as mulheres que relataram abortamento provocado, contatou-se que 27,8% (n=5) apresentaram altos índices de desesperança e 55,6%(n=10) foram diagnosticadas com depressão maior. Ao associar as duas variáveis, não foi encontrada significância estatística (p=0,9). Os resultados da segunda fase revelaram que 2 mulheres encontravam- se com alta desesperança, sendo que uma referiu abortamento espontâneo e a outra, provocado, ambas também tinham diagnóstico de depressão maior. Conclusão: foi constatado alto nível de sofrimento emocional e de desesperança associado com a situação do abortamento independente de sua natureza, se espontânea ou provocada. Foi observada associação estatística significativa entre depressão e desesperança entre as mulheres que vivenciaram abortamento espontâneo. Nas avaliações da segunda fase, constatou-se que o sofrimento de algumas mulheres permanecia atual, independente do tempo decorrido ou do tipo do abortamento
Título em inglês
Hopelessness and depression in women with abortion diagnosis
Palavras-chave em inglês
Abortion induced
Abortion spontaneous
Depression, Hopelessness
Mental health
Suicide
Resumo em inglês
Introduction: Hopelessness is widely associated with Major Depression and suicide risk. The suicide, on the other hand, is a public health problem that may be associated with economic, social and emotional factors. In Brazil, the ocurrence of suicide seems to be directly related to situations involving loss, frustrations and emotional distress, such as the abortion situation in woman's life. Objectives: This study aims to identify hopelessness in women who have received abortions or miscarriage diagnosis; to evaluate major depression; to verify the association between miscarriage, abortion; depression and hopelessness. Method: This study was composed of two phases. In the first phase, it was verified the medical records of 162 women who had a diagnosis of abortion and participated in the previous Project "Guilt, anxiety and depression in the experience of induced abortion". Of these, 144 had a miscarriage and 18 had a induced abortion. For this phase, a semidiriged interwiew; Primary Care Evaluation of Mental Disorders (PRIME-MD) and Beck`s Hopelessness Scale (BHS) was analyzed. In the second phase, after an average time of 95,75 months from the abortion, a telephone call was made to the 162 women in order to invite them to participate at this time; twelve women agreed to return to the second phase of this study. The following instruments were applied: semi-directed interwiew, PRIME-MS and BHS. Quantitative and qualitative analysis was performed. The data were analyzed by the thematic analysis technique and later using the IBM SPSS Statistics Standard Edition. The significance level was p < 0,05. A qualitative analysis of the discourses of the women who attended the second phase was also performed. Results: It was found that 14,6% (n=21) of the women who suffered miscarriage had a high level of hopelessness (índex <= 9) and 30,6% (n=44) presented a diagnosis of major depression. Statistical significance was observed between high level of hopelessness and depressive diagnosis in women with miscarriage (p=0,03). Among women reporting induced abortion, 27,8% (n=5) had high rates of hopelessness and 55,6% (n=10) were diagnosed with major depression. When the two variables were associated, no statistical significance was found (p=0,9). The results of the second phase revealed that 2 women presented a high level of hopelessness, 1 that reported miscarriage and 1 that reported induced abortion. Both had a diagnosis of Major Depression. Conclusion: It was observed a high level of emotional distress associated with the abortion experience regardless of its natures, whether spontaneous or induced. There were There were high rates of hopelessness among women who experienced abortion, whether spontaneous or induced; and a statistically significant association was found between depression and hopelessness among women who experienced spontaneous abortion. In the evaluations of the second phase it was found that the suffering of some women remained current, regardless of the time elapsed or the type of abortion
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-03-15
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.