• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.5.2018.tde-15022018-130509
Documento
Autor
Nome completo
Izadora Nogueira Fonte Bôa
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2017
Orientador
Banca examinadora
Miotto, Eliane Correa (Presidente)
Alvares, Fabricia Quintão Loschiavo
Moretto, Maria Livia Tourinho
Yassuda, Monica Sanches
Título em português
Desempenho de uma amostra de pacientes com esclerose múltipla remitente-recorrente em memória episódica verbal: um estudo longitudinal
Palavras-chave em português
Esclerose múltipla
Estudos longitudinais
Memória episódica
Neuropsicologia
Resumo em português
Introdução: independentemente do grau de incapacidade física, o declínio cognitivo tem sido considerado motivo de maior impacto em importantes aspectos da vida diária dos pacientes com Esclerose Múltipla (EM) como o gerenciamento de tarefas domésticas, participação na sociedade e manutenção do emprego. Alterações de Memória Episódica (ME) em pacientes com EM são comumente descritas na literatura, sendo observadas em 40% a 65% dos casos. Seu impacto já é observado em pacientes com Esclerose Múltipla Remitente-Recorrente (EMRR) incipiente e pode ser um indicador de pior prognóstico para evolução da doença. Adicionalmente, déficits na memória verbal bem como na velocidade de processamento de informação e função executiva predizem condição ocupacional dos portadores da doença. Há vários trabalhos transversais na literatura científica que visam investigar sobre alterações cognitivas encontradas nestes pacientes. Entretanto, os estudos longitudinais são escassos e estes têm revelado resultados inconclusivos e divergentes. Além disso, tanto nos estudos transversais quanto nos estudos longitudinais, não há preocupação em caracterizar de forma aprofundada o declínio da Memória Episódica Verbal (MEV) especificamente. Objetivo: neste estudo, investigamos a MEV de pacientes com EMRR e sua evolução através de avaliação longitudinal. Métodos: vinte e nove pacientes com EMRR foram submetidos a duas avaliações neuropsicológicas realizadas entre um intervalo de tempo médio de 4,5 anos. Vinte e seis controles saudáveis foram submetidos à uma única e idêntica avaliação neuropsicológica. Considerou-se nível de significância p < 0,05 para delinear diferenças estatísticas entre os grupos nas análises Mann Withney e Wilcoxon pareado. Resultados: não houve diferença estatística nos resultados dos testes de MEV entre a primeira e a segunda avaliação neuropsicológica realizada pelos pacientes. Houve discrepância estatística nos resultados dos testes de MEV entre o grupo de controles e grupo de pacientes no momento da avaliação inicial. Em contrapartida, no momento da segunda avaliação o grupo de pacientes não se diferenciou estatisticamente do grupo dos controles. Conclusões: a estabilização ou discreta melhora do desempenho dos pacientes com EMRR entre a avaliação inicial e o follow-up em testes de MEV, pode estar relacionada ao fato de que neste estudo foram incluídos predominantemente jovens adultos na amostra, com a forma clínica mais branda da doença. Possível processo de neuroplasticidade cerebral, ou mesmo inclusão de casos benignos da EM precisam ser considerados. Atrelado a isso, deve-se considerar que o breve período de follow-up pode não ter sido o suficiente para detectar possíveis déficits a longo prazo
Título em inglês
Performance of a sample of patients with Multiple Sclerosis Relapsing-Remitting in verbal episodic memory: a longitudinal study
Palavras-chave em inglês
Episodic memory, Neuropsychology
Longitudinal studies
Multiple sclerosis
Resumo em inglês
Introduction: Regardless of the degree of physical disability, cognitive decline has been considered as having the greatest impact on important aspects of the daily life of Multiple Sclerosis (MS) patients, such as managing household tasks, participation in society and maintaining employment. Changes in Episodic Memory (EM) in MS patients are commonly described in the literature and are observed in 40% to 65% of cases. Its impact is already observed in patients with incipient Relapsing-Remitting Multiple Sclerosis (RRMS) and may be an indicator of a worse prognosis for disease progression. In addition, deficits in verbal memory as well as in the speed of information processing and executive function predict the occupational condition of the patients with the disease. There are several transversal works in the scientific literature that aim to investigate cognitive alterations found in these patients. However, longitudinal studies are scarce and these have revealed inconclusive and divergent results. Moreover, in both crosssectional studies and longitudinal studies, there is no concern to characterize in depth the decline of Verbal Episodic Memory (VEM) specifically. Objective: In this study, we investigated the VEM of patients with RRMS and its evolution through longitudinal evaluation. Methods: Twenty-nine patients with RRMS were submitted to two neuropsychological evaluations performed between a mean time interval of 4.5 years. Twenty-six healthy controls were submitted to a single and identical neuropsychological evaluation. A significance level of p < 0.05 was used to delineate statistical differences between the groups in the Mann Withney and Wilcoxon paired analyzes. Results: There was no statistical difference in the VEM results between the first and second neuropsychological evaluation performed by the patients. There was a statistical discrepancy in the VEM results between the control group and the patient group at the time of the initial evaluation. In contrast, at the time of the second evaluation, the group of patients did not differ statistically from the control group. Conclusions: The stabilization or discrete improvement in the performance of RRMS patients between the initial evaluation and the follow-up in the VEM trials may be related to the fact that in this study, predominantly young adults were included in the sample, with the mildest clinical form of the disease. Possible process of cerebral neuroplasticity, or even inclusion of benign cases of MS need to be considered. Coupled with this, one should consider that the brief follow-up period may not have been enough to detect possible long-term deficits
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-02-16
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.