• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.5.2008.tde-10072008-161825
Documento
Autor
Nome completo
Patrícia Tempski Fiedler
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2008
Orientador
Banca examinadora
Schraiber, Lilia Blima (Presidente)
Basile, Maria Aparecida
Batista, Nildo Alves
Martins, Luiz Antonio Nogueira
Zeferino, Angélica Maria Bicudo
Título em português
Avaliação da qualidade de vida do estudante de medicina e da influência exercida pela formação acadêmica
Palavras-chave em português
Educação médica
Qualidade de vida
Sono
Resumo em português
Introdução: o curso de medicina é marcado por inúmeros fatores geradores de estresse que podem influenciar a qualidade de vida do estudante, exigindo dele adaptação e mudança de estilo de vida. É necessário conhecer esses fatores para poder prevenir e intervir sobre eles, visando à melhoria da qualidade de vida no curso de medicina. Objetivo: conhecer a qualidade de vida do estudante de medicina e os fatores interrelacionados que a influenciam. Métodos: o estudo foi realizado em duas fases. Na primeira fase foi realizada a modalidade de pesquisa qualitativa com grupos focais em seis escolas médicas, com grupos de estudantes heterogêneos em relação ao sexo e ano do curso. Os dados assim coletados nortearam a construção de um inventário de avaliação da qualidade de vida no curso de medicina (IQVEM), utilizado na segunda fase do estudo. Na segunda fase, realizada na modalidade de pesquisa quantitativa, foram estudados 800 estudantes oriundos de 75 escolas médicas brasileiras, públicas e privadas, matriculados entre o 1º e 6º anos, presentes ao Encontro Científico dos Estudantes de Medicina, no ano de 2004. Estes estudantes responderam a um caderno de respostas contendo os seguintes instrumentos de avaliação: auto-avaliação, WHOQOL - abreviado, escala de sonolência diurna de Epworth e IQVEM. Resultados: a nota atribuída à QV no curso foi mais baixa que a nota da QV geral, sendo inferior no sexo feminino e no grupo de estudantes do 3º e 4º anos. Também nesse grupo foram encontrados os piores escores no domínio psicológico e de relações sociais do WHOQOL - abreviado, quando comparados aos outros anos do curso. Muitos estudantes apresentaram escores altos de sonolência diurna (>10, 48,1%), sendo que a porcentagem de estudantes do sexo feminino com escores elevados (54,9%) foi maior do que no sexo masculino (42,5%, p = 0,002). A presença de sonolência diurna esteve associada à queda dos escores físico, psicológico e ambiental do WHOQOL - abreviado no grupo de estudante como um todo. Não foram encontradas diferenças entre estudantes de escolas públicas e privadas na nota de autoavaliação, nos domínios do WHOQOL - abreviado e no escore de sonolência diurna. No IQVEM foi observado que 45,4% dos estudantes estão insatisfeitos com o curso. Afirmaram que não aproveitam a vida como poderiam, não se alimentam bem e não cuidam da sua saúde. São comuns os sentimentos de tristeza e desânimo, insatisfação com a vida afetiva e sexual, principalmente nas mulheres e nos estudantes do 3º e 4º anos. Os estudantes de medicina afirmaram que ter supervisão em atividades práticas, participar de projetos de desenvolvimento social, boas aulas, professores com didática e o contato com o paciente melhoram a qualidade de vida no curso. Estudantes do 5º e 6º anos têm melhor relação com os professores, enxergam o curso como muito competitivo e apresentaram melhores escores no domínio de relação social do WHOQOL. A falta de tempo livre para estudo, lazer, relacionamentos e repouso foi expressa como um dos principais fatores de diminuição da qualidade de vida no curso. A análise fatorial mostrou como importantes fatores determinantes da qualidade de vida no curso os aspectos de qualidade de vida geral, gestão de tempo, interação social, satisfação com o curso, insegurança quanto ao futuro profissional e saúde mental. O grupo do 3º e 4º anos apresentou os piores escores de qualidade de vida no curso e nos domínios do IQVEM, o que sugere ser este um momento de crise durante o curso, notado principalmente no sexo feminino. Conclusão: melhorar a qualidade de vida no curso de medicina depende de medidas como ensinar o estudante a valorizar a vida, cuidar da sua saúde física e mental, estabelecer e manter relacionamentos e desenvolver resiliência, além de medidas institucionais como desenvolvimento docente, supervisão em atividades práticas, oferecer oportunidade de participar de projetos de desenvolvimento social e iniciação científica, garantir tempo livre para estudo, diminuir a competitividade, estabelecer programas de exercícios físicos, promoção de saúde, serviços de apoio e suporte ao estudante. Oferecer melhores condições de aprendizado resulta em melhoria na qualidade de vida no curso, possibilitando ao estudante amadurecer sem prejudicar a saúde física e mental no processo de vir a ser médico.
Título em inglês
Evaluation of quality of life of medical students and the influence of the medical graduation
Palavras-chave em inglês
Medical education
Quality of life
Sleep
Resumo em inglês
Introduction: medical course has several factors that generate stress and can influence quality of life of medical students. It is necessary to know better these factors in order to improve the quality of life of students during the medical course. Objective: To study quality of life of medical students in Brazil and the factors that influence quality of life. Methods: the study was developed in two phases. In the first study a qualitative approach was used, with focus groups in six medical schools, with groups that were heterogeneous considering gender and year of medical school. Data obtained in the focus groups was used to develop a questionnaire to evaluate the quality of life of medical student (QOLMS) that was used in the second phase of the study. In the second phase of the study 800 medical students, from 75 medical schools in Brazil, that were present in a medical students meeting (Encontro Científico de Estudantes de Medicina), in 2004, were interviewed. They filled the following questionnaires: self-evaluation of quality of life, WHOQOL - bref, Epworth daytime sleepiness scale and QOLMS. Results: The score attributed to quality of life in medical course was significantly lower than the score attributed to quality of life in general, and was lower in female students and in the students from the third and forth years of medical course. These students had also lower scores in the psychological and social relationship domains of WHOQOL - bref, when compared to students from the other years. Many students presented high scores of daytime sleepiness (>10, 48.1%), and the percentage of female students with high scores of daytime sleepiness (54.9%) was higher than male students (42.5%, p = 0.002). The presence of daytime sleepiness was associated to lower scores of physical health, psychological and environment domains of WHOQOL - bref, considering all medical students. There were no significant differences between students from public and private medical schools concerning self-evaluation of quality of life, domains of WHOQOL - bref and daytime sleepiness scores. In the QOLMS questionnaire it was shown that 45.4% medical students are not satisfied with medical course. They said that they did not enjoy life the way they wanted, did not have a healthy diet and did not take care of their health. Feelings of sadness and dissatisfaction with affective and sexual life were present, mainly in females and in students from the third and forth years. Factors that improve quality of life of medical students were the presence of a good supervision in practical activities, participation in projects of social development, good classes, good teachers and the contact with patients. Medial students from the fifth and sixty years have a better relationship with the teachers, see the medical course as very competitive and have better scores in the social relationships domain of WHOQOL - brief. The lack of free time to study, leisure, relationships and rest was considered a major factor in decreasing quality of life in medical course. Factor analysis of QOLMS showed that the following factors are important concerning quality of life in medical course: quality of life in general, management of time, social interaction, satisfaction with medical course, uncertainty concerning professional future and mental health. The group of medical students from the third and forth years showed the lowest scores of quality of life in medical course and in the domains of QOLMS, and these values were lower in females. Conclusion: In order to improve quality of life during medical course it is important to teach medical students how take care of their physical and mental health, establish and maintain relationships and develop resilience. It is also important to make changes in educational environment such as training of teachers, improvement in supervision of practical activities, offer opportunities of engagement in social projects and research and protected time to study, establish programs of health promotion and services of student support. Better learning environment results in an improvement of quality of life of students in medical course and allows the student to learn the medical profession without decreasing his/her physical and mental health.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2008-07-29
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.