• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.47.2012.tde-21052012-154521
Documento
Autor
Nome completo
Lia Vainer Schucman
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2012
Orientador
Banca examinadora
Sato, Leny (Presidente)
Bento, Maria Aparecida
Munanga, Kabengele
Santos, Alessandro de Oliveira dos
Sovik, Liv Rebecca
Título em português
Entre o "encardido", o "branco" e o "branquíssimo": raça, hierarquia e poder na construção da branquitude paulistana
Palavras-chave em português
Brancos
Branquitude
Psicologia social
Raça
Racismo
Resumo em português
O objetivo desta tese é compreender e analisar como a ideia de raça e os significados acerca da branquitude são apropriados e construídos por sujeitos brancos na cidade de São Paulo. A branquitude é entendida aqui como uma construção sócio-histórica produzida pela ideia falaciosa de superioridade racial branca, e que resulta, nas sociedades estruturadas pelo racismo, em uma posição em que os sujeitos identificados como brancos adquirem privilégios simbólicos e materiais em relação aos não brancos. Para a realização deste trabalho apresento uma abordagem conceitual dos estudos sobre branquitude dentro da psicologia social e das ciências humanas. Apresento também seus desdobramentos para o entendimento do racismo contemporâneo, bem como revisão teórica de como o conceito de raça foi produzido a partir do pensamento acadêmico europeu do século XIX e reproduzido no pensamento social paulistano. A pesquisa de campo foi desenvolvida por meio da realização de entrevistas e conversas informais com sujeitos que se auto identi" caram como brancos de diferentes classes sociais, idade e sexo. Nosso intuito era compreender a heterogeneidade da branquitude nesta cidade. As análises demonstraram que há por parte destes sujeitos a insistência em discursos biológicos e culturais hierárquicos do branco sob outras construções racializadas, e, portanto, o racismo ainda faz parte de um dos traços uni" cadores da identidade racial branca paulistana. Percebemos também que os significados construídos sobre a branquitude exercem poder sobre o próprio grupo de indivíduos brancos, marcando diferenças e hierarquias internas. Assim, a branquitude é deslocada dentro das diferenças de origem, regionalidade, gênero, fenótipo e classe, o que demonstra que a categoria branco é uma questão internamente controversa e que alguns tipos de branquitude são marcadores de hierarquias da própria categoria
Título em inglês
Dirty-white, white and super white: race, hierarchy and Power in the construction of paulistano whiteness
Palavras-chave em inglês
Race
Racism
Social Psychology
Whiteness
Resumo em inglês
The goal of this dissertation is to understand and analyze how the ideas of race and whiteness are constructed and given meaning by white inhabitants in the city of São Paulo. Whiteness is understood as a social-historical construction produced by the deceptive notion of white racial supremacy. In societies that are structured by racism, whiteness generates a situation in which individuals that are identified as white are given symbolic and material priviledge in relation to those individuals considered not white. I present a review of references in the field of critical whiteness studies connected to Social Psychology and Social Sciences, pointing out its implications to the understanding of contemporary racism. I also present the history of race as a concept formulated in 19th century European academic thought and its reflections in the paulistano social thought in the present. Field research was conducted through interviews and informal conversation with individuals from diverse social class, age and gender that self-identified themselves as white. Our aim was to understand the heterogen caracter of whiteness in São Paulo. Analyses demonstrated that, for these individuals, biological and hieraquic cultural discourses remain as explanation to racial diferences, and racism is still a structural element of paulistano white racial identity. We also noticed that the social meaning that derives from the notion of whiteness operates in white individuals, indicating internal hieraquical diferences. Whiteness is therefore dislocated and relocated in relation to social origin and class, regional, gender and fenotipical diferences, which demonstrates that the category White is internally controversial and that some kinds of whiteness are indicative of hierarquical power within it
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
schucman_resumida.pdf (1.06 Mbytes)
Data de Publicação
2012-07-11
 
AVISO: O material descrito abaixo refere-se a trabalhos decorrentes desta tese ou dissertação. O conteúdo desses trabalhos é de inteira responsabilidade do autor da tese ou dissertação.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2014. Todos os direitos reservados.