• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.47.2002.tde-17112002-120859
Documento
Autor
Nome completo
Mirna Yamazato Koda
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2002
Orientador
Banca examinadora
Fernandes, Maria Ines Assumpcao (Presidente)
Amarante, Paulo Duarte de Carvalho
Spink, Mary Jane Paris
Título em português
Da negação do manicômio à construção de um modelo substitutivo em saúde mental: o discurso de usuários e trabalhadores de um núcleo de atenção psicossocial
Palavras-chave em português
construcionismo social
movimento de luta antimanicomial
psicologia social
reforma psiquiátrica
saúde mental
serviços de saúde mental
Resumo em português
Tendo em vista a passagem do paradigma asilar para um paradima antimanicomial no âmbito da Atenção à Saúde Mental e a necessidade de avaliar aquilo que está a se produzir a partir da implementação de um modelo substitutivo ao Hospital Psiquiátrico, investigou-se, através das práticas discursivas de usuários e trabalhadores de um serviço substitutivo em Saúde Mental, os sentidos que se produzem no que diz respeito à compreensão sobre o projeto antimanicomial, ao trabalho desenvolvido pela instituição, às relações entre profissionais e usuários e à noção de doença mental. Foram realizadas entrevistas em um Núcleo de Atenção Psicossocial (NAPS) do município de Santos. A análise do material foi sustentada a partir da perspectiva do Construcionismo Social. Os sentidos produzidos pelos sujeitos entrevistados revelaram a efetivação de transformações coerentes com o projeto antimanicomial, no que diz respeito às ações desenvolvidas, à relação entre usuários e trabalhadores e à concepção de doença mental. Por outro lado, foram encontrados conflitos e ambigüidades na construção discursiva sobre o tratamento realizado. Tais aspectos são associados às dificuldades enfrentadas pelo desinvestimento nas políticas públicas por parte do poder municipal e ao confronto entre um discurso político (posição de militante) e um discurso clínico (posição de técnico). Se o aprisionamento e medicalização da loucura foram gerados a partir de transformações sobre o significado dado à loucura e àquilo que é da ordem do humano, sua reinserção no campo da cultura implica revisitar tais questões. As transformações no âmbito da Atenção à Saúde Mental, com a efetivação do projeto antimanicomial, deve pressupor a revisão do campo de saberes e fazeres tradicionalmente ligados à assistência (Psiquiatria, Psicanálise, Psicologia), assim como a construção de políticas subordinadas a uma perspectiva ética.
Título em inglês
From the asylum denial to the development of a substitutive model in mental health: the users and workers discursion of a psychosocial care center
Palavras-chave em inglês
anti-asylum movement
mental health
mental health services
psychiatric reform
social constructionism
social psychology
Resumo em inglês
Having in mind the change from an asylum paradigm to anti-asylum paradigm in Mental Health Care arena and the necessity to evaluate the future outcomes of a substitutive model implementation for a Psychiatric Hospital, it was investigated, through users and workers discursive practices of an alternative service in Mental Health Care, the senses generated regarding the understanding of the anti-asylum project, the work performed by the institute, the relationship between professionals and users and the mental disease notion. The interviews were performed in a Psychosocial Care Center at Santos city. The material analysis is sustained by the Social Constructionist perspective. The senses generated by interviewees reveal the implementation of transformations coherent with the anti-asylum project regarding the actions developed, the relationship between users and workers and the conception of mental disease. Nevertheless, conflicts and contradictions were found on the discursive construction about the treatment performed. Such aspects are associated with difficulties due to desinvestment of public policies from the municipal power and confrontation between a political discursion (militant positioning) and a clinical discursion (technical positioning). If the captivity and medication of madness were generated based on transformations of the meaning given to madness and whatever is part human nature, its re-insertion in the culture field implies on revisiting such matters. The transformations in the Mental Health Care arena, with the anti-asylum project implementation, must estimate the revision of areas traditionally related to care (Psychiatry, Psychoanalysis, Psychology), as well as the development of policies subordinated to an ethical perspective.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Mirna1.pdf (611.24 Kbytes)
Data de Publicação
2004-11-19
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.