• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.47.2018.tde-17072018-175235
Documento
Autor
Nome completo
Denise Batista Pereira Jorge
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2018
Orientador
Banca examinadora
Massola, Gustavo Martineli (Presidente)
Andriolo, Arley
Atihé, Eliana Braga Aloia
Freitas, Laura Villares de
Tavares, Sandra Maria Greger
Título em português
Jardim, pedra, mar: um olhar arquetípico para a cidade 
Palavras-chave em português
Alma
Alma do lugar
Cidade
Etnografia sensorial
Imagem
Psicologia analítica
Psicologia arquetípica
Resumo em português
Num empenho em levar a psicologia para além da clínica, James Hillman resgatou a ideia platônica de anima mundi (alma do mundo) e a colocou na base de suas reflexões sobre cidade e alma. Nesta perspectiva, não apenas os seres humanos, mas o mundo e as coisas do mundo, inclusive as cidades e os lugares, possuem alma. Dizer que todas coisas possuem alma, significa dizer que, por meio de sua apresentação sensorial, as coisas exibem sua imagem interior, sua presença como realidade psíquica, e se colocam à disposição de nossa imaginação. Com essas ideias em mente esta pesquisadora recebeu um chamado e foi conhecer o Jardim Pedramar, bairro localizado na periferia da cidade de Jacareí (SP), recorte da cidade que foi eleito para a realização desta investigação. Adotando como método a etnografia sensorial, proposta por Sarah Pink, segundo a qual o etnógrafo adquire conhecimento com seu corpo inteiro, experimentando, a pesquisadora conviveu com os moradores do lugar durante três anos e meio, registrando em imagens tudo o que via e experimentava. A investigação culminou na edição do documentário Jardim Pedra MareAlma, em parceria com alguns moradores do lugar, cujo processo de produção acabou se configurando uma intervenção via imagens. Neste trabalho, e no documentário, pode-se ver que, no Jardim Pedramar as pessoas dançam moçambique, compõem músicas e escrevem poesias homenageando o bairro, grafitam muros e cuidam do meio ambiente, desenvolvendo um patrimônio cultural e de resistência que os ajuda a lidar com a falta de saneamento básico, escolas, equipamentos de lazer e unidade básica de saúde. Os moradores do Jardim Pedramar cultivam a alma do lugar, na medida em que se envolvem com ele, prestam atenção àquele território de imagens e procuram dar sentido a elas. Percebe-se, no Jardim Pedramar, que é possível conjugar vulnerabilidade e felicidade, duas qualidades da alma que raramente imaginamos estarem presentes ao mesmo tempo. Refletindo sobre essa experiência, à luz da psicologia analítica e da psicologia arquetípica, constatou-se que as imagens no mundo são um meio privilegiado de acesso à alma de um lugar, pois permitem um olhar poético e metafórico para suas coisas, criando cultura psicológica e formas de viver. Por meio desta investigação, foi possível constatar também, que a etnografia sensorial é uma metodologia que permite estudar e compreender a alma de um lugar
Título em inglês
Garden, Stone, Sea: an archetypal look at the city
Palavras-chave em inglês
Analytical psychology
Archetypal psychology
City
Image
Sensorial ethnography
Soul
Soul of the place
Resumo em inglês
In an effort to take psychology beyond the clinic, James Hillman rescued the platonic idea of anima mundi (soul of the world) and placed it at the base of his reflections on city and soul. In this perspective, not only human beings, but the world and the things of the world, including cities and places, have soul. To say that all things have soul means to say that through their sensorial presentation things exhibit their inner image, their presence as psychic reality, and are put at the disposal of our imagination. With these ideas in mind this researcher received a calling and got to know Jardim Pedramar, a neighborhood located on the outskirts of the city of Jacareí (SP), a part of the city that was chosen to carry out this research. Utilizing as a method the sensory ethnography, proposed by Sarah Pink, according to which the ethnographer acquires knowledge with his/her entire body, experimenting, the researcher lived closely with the local residents for three and a half years, recording via images everything they saw and experienced. The investigation culminated in the edition of the documentary "Jardim Pedra MareAlma" (Stone, Sea and Soul- Garden), in partnership with some local residents, whose production process ended up being an intervention via images. In this work, and in the documentary, one can see that in Jardim Pedramar people dance to Mozambique, compose songs and write poetry honoring the neighborhood, graffiti walls and take care of the environment, developing a cultural and residence heritage that helps them cope with lack of basic sanitation, schools, leisure equipment and a basic health unit. The residents of Jardim Pedramar cultivate the soul of the place, as they become involved with it. They pay attention to that territory of images and try to make sense of them. One can see in Jardim Pedramar that it is possible to combine vulnerability and happiness, two qualities of the soul that we rarely imagine to be present at the same time. Reflecting on this experience, in the light of analytical and archetypal psychology, it has been found that images in the world are a privileged means of accessing the soul of a place, since they allow a poetic and metaphorical look at their things, creating psychological culture and ways of living. Through this research, it was also possible to verify that sensorial ethnography is a methodology that allows us to study and understand the soul of a place
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
jorge_corrigida.pdf (10.42 Mbytes)
Data de Publicação
2018-07-20
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.