• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.47.2008.tde-06052009-074146
Documento
Autor
Nome completo
Gláucia Faria da Silva
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2008
Orientador
Banca examinadora
Silva Junior, Nelson da (Presidente)
Rosa, Miriam Debieux
Volich, Rubens Marcelo
Título em português
Gravidez: regressão e movimentos representacionais na perspectiva de Freud e Winnicott
Palavras-chave em português
Feto
Freud Sigmund 1856-1939
Gravidez
Pesquisa Científica - Psicanálise
Regressão (Mecanismo de defesa)
Representação mental
Winnicott Donald Woods 1896-1971
Resumo em português
O que quer uma mulher... grávida? Para uma pergunta clássica, uma resposta também clássica: a saúde do bebê. Nesta pesquisa, a representação do corpo do feto foi referência para o exame dos mecanismos regressivos, presentes no discurso de três mulheres, nas últimas semanas de gestação. Foi realizada, com cada uma delas, uma entrevista semidirigida, e o discurso, analisado pelas balizas teóricas fornecidas pelas obras de Freud e Winnicott. Na gestação, à semelhança do estado de sono, parte das excitações psíquicas terá um caminho regrediente. Conceito mutável, de origem múltipla e com diversos pontos de chegada. Desde a Interpretação dos sonhos, Freud proporá inúmeras ordenações: regressão tópica, temporal, formal, da libido do ego versus libidinal, regressão ao narcisismo primário e à alucinação do desejo, regressão aos primeiros objetos versus a toda organização sexual e regressão do eu. Para Winnicott, o mecanismo refere-se à regressão do eu a estados de maior dependência e indiferenciação. A leitura de Soifer e Langer propiciou uma aproximação psicanalítica da experiência gestacional em seus aspectos fantasmáticos, regressivos e estruturantes, e o livro Obstetrícia psicossomática ampliou o campo, na perspectiva médica. Na Psicanálise, orientada pela leitura de Bleichmar, Schneider, Simanke e Gurfinkel, aspectos da obra de Winnicott e Freud ganharam maior relevo e originalidade. Nas leituras realizadas, o foco na representação do corpo do feto apontava para as fantasias gestacionais sobre o bebê que, por sua vez, remetiam a desejos emergentes da elaboração edipiana e ao horror do incesto. Um funcionamento psíquico especial deve estar em ação para que desejos tão primitivos sejam evocados. Nesta configuração especial, a característica discursiva, descrita por Schneider como fala catártica, conjugava a intensidade à convocação de um experimentar com, presente no desdobramento da vontade insaciável de ver o bebê: ver, ver-se, vê-lo, ser vista, ver e não enxergar, não ver, ver a gente... Necessidade universal que parece fazer referência ao gradativo esfumaçamento das fronteiras entre fantasia e realidade. Assim, a preocupação com a saúde, capaz de centrifugar a atenção de uma mulher, parece surgir onde a imaginação, sobrecarregada de imagens e afetos, desiste. Entre o ideal e o real invisível resta, portanto, a saúde, esta abertura, este hiato pleno de sonhos e temores, constituintes de um espaço que sustenta, sob tensão, desejo e mistério. Entre conflitos exuberantes, que envolveram a representação do corpo do feto, a regressão temida pelos obstetras fonte de desorganização do ego mostrou-se fonte de transformação. Quando o psiquismo se volta para suas bases, reencontra um momento de profunda criação. Ao postular a regressão como origem da figurabilidade, Freud apresenta seu aspecto criativo, construtivo. Em Winnicott, a criatividade está na possibilidade de retorno ao estado de não-integração primária que, segundo Gurfinkel, é o precursor do conceito de Informe.
Título em inglês
Pregnancy: regression and representational movements in Freud and Winnicott's perspectives
Palavras-chave em inglês
Fetus
Freud Sigmund 1876-1939
Mental Representation
Pregnancy
Regression
Scientific Research - Psychoanalysis
Winnicott Donald Woods 1896-1971
Resumo em inglês
What does a woman wantwhen pregnant? For such a classic question, an answer of the same nature: the health of the baby. In this research, the representation of the foetus body was the reference for examination of the regressive mechanisms found in the speech of 3 women in their last weeks of pregnancy. A half-guided interview was carried through with each one of them and the speech was analyzed in the light of the theoretical basis established in the works of Freud and Winnicott. During the gestation, as it happens during the sleep state, part of the psychic excitements has the course directed to a regressive way. Changeable concept, with multiple origins and a variety of destinations, Freud, since the Interpretation of the Dreams, had considered the regression as follows: topical, temporal, formal; libido of the ego versus libidinal; to the primary narcissism and the desires hallucination; to first objects versus the whole sexual organization and the regression of Ego. For Winnicott the mechanism is related to the regression of self to fusional states. Regarding the pregnancy, the works of Raquel Soifer and Marie Langer propitiated a psychoanalytical approach of the gestational experience in its fantasmatic, regressive and structuring aspects and the book Psychosomatic Obstetrics extended the field under the medical perspective. In the Psychoanalysis, guided for Bleichmar, Schneider, Simanke and Gurfinkel studies, aspects of the Winnicott and Freud works had gained greater detailing and originality. In those readings, the focus in the representation of the foetus body pointed towards the gestational fantasies, which, in turn, sent to emerging desires of the Edipian elaboration and the horror of the incest. A special psychic functioning must operate so that primitive desires can be evoked. In that special configuration, the discursive characteristic described by Schneider as cathartic speech, link its intensity to the need of one to try with, existing in the desire to see the baby: to see, to see herself, to see it, to be seen, to see and not to see, to see nothing, to see us. Universal necessity, it seems making reference to the gradual reduction of the boundaries between fantasy and reality. Thus, the concern with the health, that capture the attention of a woman, appears when the imagination, overloaded of images and affections, gives up. Between the ideal and the invisible Real, it remains the health, this full hiatus of dreams and fears, where is under tension, desire and mystery. Between exuberant conflicts that had involved the representation of the foetus body, the regression, source of disorganization of the Ego, presented itself as the source of transformation. When the psychms return to its bases, a moment of deep creation is reborn. When claiming the regression as the origin of the figurability, Freud presents its creative and constructive aspect; while in Winnicott the creativity lay down in the possibility of return to the state of primary not-integration, according to Gurfinkel, precursor of the Inform Concept.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
silvagf_me.pdf (1.29 Mbytes)
Data de Publicação
2009-05-11
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.