• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.46.2002.tde-26102015-150920
Documento
Autor
Nome completo
Fabiana Novais Fonseca
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2002
Orientador
Banca examinadora
Tavares, Marina Franco Maggi (Presidente)
Bacchi, Elfriede Marianne
Bonato, Pierina Sueli
Collins, Carol Hollingworth
Moreno, Paulo Roberto Hrihorowitsch
Título em português
Técnicas modernas de separação e análise de extratos vegetais
Palavras-chave em português
Droga vegetal (Análise química)
Produtos naturais (Análise química)
Química analítica instrumental (Análise química; Avaliação)
Resumo em português
O uso das plantas medicinais confunde-se com a história do ser vivente. Desde a idade da pedra até meados do século XX elas constituíram a principal fonte medicamentosa para a nossa sociedade. Hoje o mercado de fitoterápicos e fitocosméticos vem movimentando bilhões de dólares a cada ano. Apesar de possuir representantes de cerca de 70% de toda a flora mundial, historicamente o Brasil não apresenta tradição cientifica no uso de medicamentos vegetais, sendo a fitoterapia praticada principalmente por caboclos, curandeiros e xamãs. Apenas recentemente, com a "biopirataria" e com o crescimento constante do interesse de grandes multinacionais na Amazônia e Mata Atlântica é que está se observando uma movimentação nacional no sentido da legalização e controle de fitoterápicos e da flora Nacional. Neste contexto o Governo Brasileiro formulou uma Resolução em Fevereiro de 2000, regulamentando a produção de fitoterápicos no País, a qual preconiza o controle de qualidade, tanto da matéria-prima quanto do produto acabado. O presente trabalho propõe metodologias para análise de compostos fenólicos (cumarinas, fenilpropanóides e f1avonóides) em extratos metanólico, glicólico e hidroalcoólico de camomila (Matricaria recutita L.) através das técnicas de cromatografia líquida de alta eficiência (HPLC), cromatografia líquida capilar (µHPLC), eletroforese capilar de zona livre (FSCE), cromatografia eletrocinética micelar (MEKC) e eletrocromatografia capilar (CEC). O desempenho de cada técnica foi avaliado comparativamente em termos de disponibilidade e tipo de coluna, número de pratos, fator de retenção, seletividade, resolução, tempo e custo de análise. Um estudo de pré-purificação dos extratos foi feito utilizando extração em fase sólida (ODS e HLB) e RMN 1H para acompanhamento das substâncias invisíveis no UV. Propõe-se ainda um protocolo para empacotamento de colunas capilares para µHPLC e CEC. Os extratos foram doseados quanto ao teor de apigenina livre e total, utilizando metodologia validada segundo a USP 24.
Título em inglês
Modern techniques of separation and analysis of plant extracts
Palavras-chave em inglês
Instrumental analytical chemistry (Chemical analysis; Evaluation)
Natural products (Chemical analysis)
Plant drug (Chemical analysis)
Resumo em inglês
The use of medicinal plants for the cure of ailments is as old as mankind. From the Stone Ages throughout the first part of last century, they were the main sources of medicines for our society. Today, the commercial markets are investing billions of dollars every year into the research and development of medicinal plants. Despite having about 70% of the whole world flora, historically Brazil does not have a scientific tradition in the use of herbal medicines. Until very recently, mainly mestizos, healers and xamãs have practiced phytotherapy. But now, with the growth of the interest of pharmaceutical companies in the Amazonian and Atlantic rain forests, there has been a national movement in the way of legalization and control of the National flora. In this context, the Brazilian Government formulated a resolution in February 2000, regulating the production of phytomedicines in this country, which requires the quality control of such products. The present work proposes methodologies for the analysis of the phenolic substances (coumarins, phenylpropanoids and flavonoids) present in methanolic, glycolic and ethanolic extracts of chamomile (Matricaria recutita L.) by the use of High Performance Liquid Chromatography (HPLC), micro Liquid Chromatography (µHPLC). Free Solution Capillary Electrophoresis (FSCE), Micellar Electroknetic Chromatography (MEKC) and Capillary Electrochromatography (CEC). These techniques were evaluated comparatively in terms of column performance, plate number, retention factor, selectivity, resolution, time and analysis cost. Pre-purification studies using Solid Phase Extraction (SPE) cartridges (ODS and HLB Oassis) were also carried out and the collected fractions were analyzed by FSCE and RMN 1H. This fatter technique was applied in order to monitor the presence of fat acids on the eluates. A packing procedure for micro columns to use in µHPLC and in CEC is also proposed. Methanolic, glycolic and ethanolic extracts of Matricaria recutita L. were standardized relatively to the total apigenin contents and the CE methodology was thoroughly validated following the United States Pharmacopoea 24 protocol.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2015-10-26
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.