• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.44.2008.tde-19122008-160829
Documento
Autor
Nome completo
Paula Garcia Carvalho do Amaral
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2008
Orientador
Banca examinadora
Giannini, Paulo Cesar Fonseca (Presidente)
Moro, Rosemeri Segecin
Oliveira, Paulo Eduardo de
Pessenda, Luiz Carlos Ruiz
Rossetti, Dilce de Fátima
Título em português
Evolução da sedimentação lagunar holocênica na região de Jaguaruna, Estado de Santa Catarina: uma abordagem sedimentológica-micropaleontológica integrada
Palavras-chave em português
Diatomáceas
Geoquímica
Micropaleontologia
Palinologia
Sedimento
Resumo em português
O estudo de três testemunhos rasos (até 2,5m de profundidade) coletados na região de Jaguaruna, litoral centro-sul de Santa Catarina, permitiu reconstituir parte da história de evolução sedimentar holocênica na área. Para isso, foi feita a análise integrada de quatro tipos de variáveis: sedimentológicas, diatomológicas, palinológicas e geoquímicas (Ctotal, Ntotal, 13C e 15N). Os dados de micropaleontologia foram tratados por métodos de estatística mutivariada (análise fatorial de correspondência, análise de componentes principais e classificação ascendente hierárquica), que evidenciaram agrupamentos significativos entre os microfósseis e, desse modo, auxiliaram nas interpretações. A ca. 5000 anos AP, a área de estudo deveria ser ocupada por um conjunto de lagunas interconectadas, cuja existência pôde ser atestada pelos sedimentos de fundo lagunar, na base de um dos testemunhos, em zona atualmente colonizada por mata de restinga. A ligação da laguna com o mar, nesta época, é verificada pela presença de diatomáceas marinhas e pelo sinal isotópico e elementar da matéria orgânica preservada nos sedimentos, indicativo de origem algácea, com valores de 13C de fitoplâncton marinho. A perda da conexão da laguna com o oceano ocorreu em diferentes momentos nos três testemunhos, sendo o último registro de desconexão da laguna observado a ca. 2740-2370 anos cal AP. Variações nas assembléis de diatomáceas no registro da fase lagunar (de 5500 até 2740-2370 anos cal AP) indicaram pelo menos dois períodos de mudanças maiores na salinidade da paleolaguna. Estes períodos puderam ser comparados a dados de paleoprecipitação, publicados em trabalhos anteriores, obtidos para o Estado de Santa Catarina. Observou-se boa correlação entre períodos com maior precipitação e períodos de diminuição na salinidade das águas da laguna, o que seria relacionado à sua diluição por maior aporte fluvial, sem excluir, no entanto, a possibilidade de menor influência marinha devido a dinâmica de abertura e fechamento das conexões da laguna com o oceano. O registro da vegetação através da analise palinológica auxiliou na elaboração do modelo evolutivo da área e permitiu reconstituir parte da história da vegetação no contexto de preenchimento da bacia lagunar. O desenvolvimento da vegetação de restinga em áreas antes ocupadas por vegetação característica de borda lagunar reforçaria a idéia de progradação das fácies costeiras assoreando por completo a paleolaguna na área. A síntese dos dados palinológicos entre os três testemunhos permite interpretar que, pelo menos desde 4000 anos cal AP, a vegetação na área de estudo não sofreu grandes modificações, o que sugere clima semelhante ao presente. A análise integrada dos diferentes indicadores paloambientais sugere que a dinâmica sedimentar deve ser a maior responsável pelas mudanças observadas nos três testemunhos, com evolução dos ecossistemas ligada, principalmente, a variações no regime e substrato deposicionais, relacionadas à progradação costeira.
Título em inglês
Evolution of holocene lagunar sedimentation in Jaguaruna, Santa Catarina State, Brazil: a sedimentary and micropaleontological approach
Palavras-chave em inglês
Diatom analysis
Geochemistry
Palynology
Sedimentary dynamics process
Resumo em inglês
Sediments from three cores collected in Jaguaruna (south Brazilian coast, Santa Catarina state) were analyzed, in order to reconstruct the Holocene sedimentary evolution of the area. The palaeoenvironmental reconstruction was based on microfossil proxies (diatoms, pollen and spores), analysis of sedimentary organic matter (13C, 15N and C/N ratios), and sedimentological analysis. From at least 5000 cal yr AP, the site was occupied by a system of interconnected lagoons, whose existence is verified in the core sediments by the record of paleolagoon sediments in area occupied by restinga forest nowadays. The existence of this lagoon and of its connection with the sea is indicated by the presence of marine diatoms and by the isotopic and elementary composition of the sedimentary organic matter, which is indicative of algal origin, with 13C values of marine phytoplankton. The end of the connection between sea and lagoon was registered in different moments in the three cores and the last record of disconnection is found in ca. 2740-2370 cal yr AP. The variations of the diatom assemblages from the lagoonal phase (between 5000 and 2740-2370 cal yr AP) indicated at least two periods of major changes in the paleolagoon salinity. These periods could be compared with the published paleoprecipitation data for the Santa Catarina state, which showed a good correlation between higher precipitation and reduction in the lagoon water salinity. This correlation would be related to dilution of water salinity by the greater fluvial discharges. However, it can not be exclude the possibility of a lower sea influence related with the dynamics of opening and closing connections between lagoon and ocean. The pollen analysis allowed the reconstruction of part of the vegetation history in the context of lagoon basin sedimentary filling. The development of the restinga forest in areas previously colonized by open vegetation around the lagoon suggested the progradation of coastal facies that completely filled paleolagoon in the area. The synthesis of the palinological data showed that no major changes of the mainland vegetation ecosystem took place at least since 4000 cal yr AP. The vegetation in the study area did not suffer great modifications; with no record of climatic changes. The multi-proxies analysis suggests that the sedimentary dynamics must be responsible for the greater changes observed in the core sediments. The evolution of ecosystems could be related to variations of the depositional process and modification in the character of the substratum, related to the coastal progradation.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
PGCA.pdf (16.45 Mbytes)
Data de Publicação
2009-02-03
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.