• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.44.2008.tde-15082008-153447
Documento
Autor
Nome completo
Juliana Braga Silva
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2008
Orientador
Banca examinadora
Duleba, Wânia (Presidente)
Mahiques, Michel Michaelovitch de
Petri, Setembrino
Título em português
Reconstituição paleoambiental das enseadas do Flamengo e da Fortaleza, Ubatuba, S.P., durante o Holoceno, inferida a partir da variação das associações de foraminíferos
Palavras-chave em português
Foraminífero
Reconstituição paleoambiental
Ubatuba
Resumo em português
A partir do padrão de distribuição das associações de foraminíferos ao longo de dois testemunhos e da sua correlação com características abióticas do sedimento, detectaram-se variações ambientais holocênicas ocorridas em dois embaiamentos marinhos rasos: as enseadas do Flamengo (Testemunho UB1) e da Fortaleza (Testemunho UB3), em Ubatuba, SP. Posteriormente, correlações foram estabelecidas entre as mudanças da composição faunística e curvas de variação do nível do mar existentes na literatura. O testemunho UB1 possui 222 cm de profundidade e foi coletado no Saco da Ribeira sob lâmina de água de 3,10 m. É constituído predominantemente por sedimentos sílticos que contêm fragmentos vegetais e biodetríticos. Camadas arenosas são encontradas em sua base, datada em 7290 + 40 anos A.P., e à profundidade compreendida entre 32 e 12 cm. O testemunho UB3 tem 342 cm de profundidade e foi coletado na Praia do Lázaro sob lâmina de água de 3,80 m. Seus sedimentos são predominantemente sílticos, contendo fragmentos vegetais, fragmentos vegetais oxidados e fragmentos biodetríticos. Seqüências arenosas e arenosiltosas são encontradas em sua base, datada em 7.530 + 40 anos A.P., e entre 32 e 12 cm de profundidade. Foram identificados 76 espécies e 40 gêneros de foraminíferos bentônicos e uma espécie de foraminífero planctônico nas 58 amostras analisadas, a cada 10 cm, ao longo dos dois testemunhos (23 amostras em UB1 e 35 em UB3). As associações observadas são típicas de ambiente marinho normal, de plataforma interna, com tendência redutora. Foraminíferos de testas hialinas predominam sobre foraminíferos de testas porcelanosas. Somente uma espécie de testa aglutinante foi encontrada em cinco amostras dispersas ao longo do testemunho UB3. As espécies bioindicadoras indicam ambientes com predominância da massa de Água Costeira, com energia de fundo moderada, alta acumulação de matéria orgânica e baixas concentrações de oxigênio, tanto para a Praia do Lázaro quanto para o Saco da Ribeira, nos últimos 7.500 anos A.P. Evidenciam, também, que a circulação de fundo no Saco da Ribeira se tornou cada vez mais restrita, enquanto na Praia do Lázaro a circulação hidrodinâmica não sofreu forte alteração. Os dados tafonômicos indicam que não houve processos post mortem capazes de alterar por completo as associações de foraminíferos analisadas ao longo de ambos os testemunhos. Todas as evidências microfaunísticas sugerem que houve, pelo menos, duas fases distintas de comportamento marinho para as duas enseadas ao longo dos últimos 7.500 anos A.P.: uma primeira, transgressiva, que teria durado até a, aproximadamente, 5.100 anos A.P., durante a qual as enseadas se encontravam conectadas; e outra de caráter geral regressivo, que se estendeu até a, pelo menos, 32 cm de profundidade em ambos os testemunhos, durante a qual teria surgido o Tômbolo do Saco da Ribeira, que passou a impedir a circulação entre a Praia do Lázaro e o Saco da Ribeira.
Título em inglês
Paleoenvironmental reconstitution of Flamengo and Fortaleza bays, Ubatuba, SP, during the Holocene, inferred from the variations of Benthic foraminifera associations
Palavras-chave em inglês
Foraminifera
Paleoenvironmental reconstitution
Ubatuba
Resumo em inglês
Variations in Holocene environments in the marine bays of Flamengo and Fortaleza at Ubatuba, State of São Paulo, southeast Brazil, were detected in cores UB1 and UB3, respectively, on the basis of the distribution pattern of foraminiferal associations and their correlation with abiotic characteristics of the sediments. Correlations were then established between changes in faunistic composition and existing sea-level variation curves. The UB1 Core measures 222 cm and was collected at Saco da Ribeira at a water depth of 3.1 m. This core is predominantly made up of silty sediments with biodetritus and plant fragments. Arenaceous layers at its base were dated by radiocarbon at 7.290 + 40 years B.P., and also occur between 32 and12 cm depth. The UB3 Core measures 342 cm and was collected at Praia do Lázaro at a water depth of 3.8 m. It is predominantly silty and contains fragments of plants, oxidized plants and biodetritus. Sandy and muddy sand layers were encountered at its base, with a radiocarbon age of 7.530 + 40 years B.P., and between 32 and 12 cm of depth. 76 species and 40 genera of benthic foraminifera and one species of planktonic foraminifera were identified in the cores. The observed associations are typical of normal marine, inner shelf environments, with low oxygen. Hyaline foraminifera predominate over porcelaneous species. Only one species of agglutinated test was found within the five samples of the UB3 Core. The bioindicator species indicate environments with a predominance of Coastal Water (CA), moderate hydrodynamic energy, high organic matter accumulation and low oxygen concentrations for both Praia do Lázaro and Saco da Ribeira since early on. They also show that the deep marine circulation in Saco da Ribeira has become ever more restricted from approximately 7.500 years B.P. until the present, while in Praia do Lázaro, deep circulation has not suffered any strong alteration. Taphonomical data suggest that there is no post mortem process capable of completely modifying the foraminiferal associations analyzed in the cores. All the microfaunistic evidence suggests at least two distinct phases of marine behavior for the two bays over the past 7.500 years: a former transgressive phase, that lasted until approximately 5.100 years B.P., during which the bays were connected; and a latter generally regressive phase, that would have extended itself until, at least, the depth of 32 cm in both cores, during which the appearance of the Tômbolo do Saco da Ribeira would have begun to hinder circulation between Praia do Lázaro and Saco da Ribeira.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
JBS.pdf (5.24 Mbytes)
Data de Publicação
2008-08-18
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.