• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.44.1997.tde-21102015-150620
Documento
Autor
Nome completo
Patricia de Souza Cristalli
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 1997
Orientador
Banca examinadora
Bernardes-de-Oliveira, Mary Elizabeth Cerruti (Presidente)
Davies, Rosemarie Rohn
Fittipaldi, Fernando Cilento
Título em português
Tafoflora das camadas Nova Iorque, depósitos neógenos do Rio Parnaíba, município de Nova Iorque (MA), Brasil
Palavras-chave em português
Paleoclimatologia
Paleoecologia
Paleontologia
Resumo em português
Através de estudos morfológicos, sistemático e tafonômico, acurado de fitofósseis procedentes das camadas Nova Iorque (cobertura cenozóica da bacia sedimentar do Parnaíba, no Estado do Maranhão), é descrita e registrada a única tafoflora neógena documentada do Nordeste Ocidental brasileiro. Tenta-se estabelecer sua composição taxonômica e ambiente deposicional, inferir sua idade e suas possíveis interpretações paleoclimáticas, paleoecológicas e paleogeográficas. Trata-se do resgate de documentário palaeontológico cujo jazigo encontra-se atualmente submerso nas águas da represa formada pela barragem de Boa Esperança. A assembléia consta de 83 espécimes depositados, desde 1936, na Seção de Paleontologia do DNPM - Rio de Janeiro. A maioria foi preservada como compressões carbonosas. Através de análise sistemática, vinte e oito espécimes puderam ser identificados em seis ordens: Fabales (dez folíolos em cinco parataxa e um fruto), Laurales (oito folhas em um parataxon), Sapindales (seis foliolos em dois parataxon), Malvales (uma folha em um parataxon), Ebenales (uma folha em um parataxon) e Liliales (uma folha em um parataxon). Além de 55 espécimes em 17 parataxa e um grupo de restos foliares irreconhecíveis. Através de análise florística detecta-se a presença de floresta pouco fechada, próxima de um corpo aquoso e provavelmente a uma certa altitude que não ultrapassaria os 800 metros, num clima regional de umidade não muito alta. Os dados palinológicos obtidos por Lima (no prelo) sugerem a existência de uma vegetação rasteira, tipo campo, sob condições climáticas quentes e provavelmente secas dada a presença de grande quantidade de gramíneas e compostas. A aparente contradição entre as análises florísticas macro e microfitofossilíferas é interpretada no texto. A análise tafonômica revela que os fitofósseis das camadas Nova Iorque sofreram pequeno transporte e ataque biológico, antes da deposição. A grande maioria das folhas teria atingido direta ou rapidamente um corpo aquoso. Permite estabelecer ainda o ambiente lacustre como o ambiente deposicional mais provável para as camadas Nova Iorque. Através de análise multivariada de caracteres morfológicos e biométricos foliares de quatorze tafofloras da América Neotropical foram realizadas inferências paleoclimáticas. A flora miocena do leste da Colômbia e as pliocenas das camadas Nova Iorque-MA e de Ouriçanguinhas- BA sugerem ter estado sujeitas a maior equabilidade de condições climáticas (Tropical), sendo que a primeira e a última em condições mais úmidas. Infere-se para a tafoflora de Nova Iorque, paleoecologicamente, uma vegetação de caráter não decíduo, de dossel parcialmente fechado e a presença de, no máximo, dois estratos: um arbóreo e outro arbustivo. Do ponto de vista paleogeográfico pode-se inferir que, durante o Plioceno, a Floresta Atlântica se estendesse até o Maranhão. A área hoje é dominada por flora de caatinga mas ocorrem ainda refúgios na forma de flora residual dos "brejos" considerada como dependências mediterrâneas da Floresta Atlântica também denominada de Floresta Tropical Ripária com suas matas de galeria e capões. A idade pliocena é sugerida pelos palinomorfos Striasyncolpites, zwaardi, Psilatricolporites divisus e Echitricolporites mcneillyi, cujas presenças foram detectadas por Lima (no prelo). A associação tafoflorística é compatível com essa idade.
Título em inglês
Not available.
Palavras-chave em inglês
Not available.
Resumo em inglês
The Neogene tafoflora of Nova Iorque beds (06°45'56''S/44°03'00''MA-Brazil) whithin of Parnaiba basin cover, are considered to be the only record of Neogene tafoflora of meridional part of Northeastern Brazil. The purpose of this study is establish its taxonomic composition and environmental deposition, infer its age and the possible palaeoclimatic, palaeoecologic and palaeogeographic interpretations. This work is the ransom of the palaeontologic documentation which has been flooded by the Boa Esperança barrage.The assemblage has 83 speciments deposited, since 1936, at the Departament National of Mineral Production (DNPM-RJ), section of Palaeotology. The most of them has been preserverd as compression. Sistematic analysis detected the presence of Lauraceae, Malvaceae, Ebenaceae, Fabales, Meliaceae and Smilacaceae.This assemblage suggests an open forest, not far from the drainages and situated in slopes which were no more than 800m height. The taphonomic analysis has shown that the leavers of Nova Iorque beds had little transport and biological attack before the deposition. They were quickly deposited in lacustrine sediments. A multivaried analysis of morphological and biometric characters allows paleoclimatic inferences for the Neotropical Area. The comparison of fourteen tafofloras results in a Tropical climate for Nova Iorque, Colombia and Ouriçanguinhas-BA, the last two in more umid conditions. The Nova Iorque's vegetation has a canopy partialy close, without deciduous and two strata: arborescent and the shrubs. This conclusion permits the inference that during the Pliocene, the Atlantic Forest was as far as the Maranhão'State. At the present time, this area is dominated by the Caatinga, but occurs remainders of tropical forest- the "brejos"- considered as Mediterranean dependences of Atlantic Forest. The Pliocene age is infered by the palinomorphs Striasyncolpites zwaardi, Psilatricolporites divisus e Echitricolporites mcneillyi.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Cristalli_Mestrado.pdf (13.12 Mbytes)
Data de Publicação
2015-10-22
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.