• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.44.1998.tde-12112015-103924
Documento
Autor
Nome completo
Fresia Soledad Ricardi Torres Branco
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 1998
Orientador
Banca examinadora
Rosler, Oscar (Presidente)
Bernardes-de-Oliveira, Mary Elizabeth Cerruti
Davies, Rosemarie Rohn
Harley, Ana Maria Giulietti
Mussa, Diana
Título em português
Tafoflora gondvânica do membro Triunfo Formação Rio Bonito (Eopermiano), no município de Figueira, PR
Palavras-chave em português
Paleobotânica
Resumo em português
No presente trabalho procurou-se obter informações paleoambientais, paleoecológicas e paleoclimáticas por meio do estudo dos aspectos fisionômicos e epidérmicos, presentes nos fitofósseis da tafoflora da região de Figueira (Município de Figueira, PR), pertencente ao Membro Triunfo da Formação Rio Bonito. O material estudado encontra-se carbonificado o que permitiu o estudo das cutículas principalmente de folha e sementes. Os exemplares foram coletados em três etapas de campo nos rejeitos dos campos de lavra da Companhia Carbonífera do Cambuí. As espécies identificadas após o estudo sistemático pertencem ao grupo das licófitas e a gimnospermas da ordem Voltziales. Nas licófitas foi incluída a espécie Cf. Brasilodendron pedroanum Chaloner et al., tendo sido relacionados quatro níveis diferentes de decorticação, partindo com o aqui considerado como o mais externo ou Nível 'beta' até o nível 'épsilon'. Da mesma forma foram estudados micrófilos isolados de licófitas pertencentes, possivelmente, à espécie de caule Cf. Brasilodendron pedroanum. Ainda dentro das licófitas foi possível estudar abundantes exemplares de megásporos pertencentes às espécies Lagenoisporites triunfensis Arai et. Rösler, Lagenoisporites scutiformis Trindade, Sublagenicula cf. S. brasiliensis (Dijkstra) Dybová-Jachowicz et al. e Setosisporites cf. S. furcatus (Dijkstra) Dybová-Jachowicz et al., sendo Lagenoisporites triunfensis amplamente dominante. As gimonospermas da ordem Voltziales encontram-se representadas pelos gêneros endêmicos do Gondvana Paranocladus e Buriadia. Para a espécie Paranocladus dusenii Florin foram descritas pela primeira vez ramos heterófilos e estróbilos femininos, sendo os ramos dessa espécie muito freqüentes na assembléia. Por meio de estudos epidérmicos foi estabelecida a relação entre a semente paltispérmica, aqui denominada Paranospermum cambuiense e Paranocladus dusenii, sendo possível, desta forma, reconstruir a planta. O gênero Buriadia encontra-se representado, na tafoflora da região de Figueira, pela espécie B. figueirensis sp. nov., embora seus fósseis sejam escassos. Com base nos resultados concluiu-se que a tafaflora estudada possui grandes semelhanças com as tafofloras eopermianas encontradas no Estado do Paraná, no Membro Triunfo da Formação Rio Bonito. Assim, floras com as mesmas características da estudada podem ter integrado uma vegetação homogênea ao longo da paleolinha da costa do mar, hoje inferido, pelos depósitos do Membro Triunfo, pelo menos no Estado do Paraná. Na tafoflora estudada encontram-se representadas, de forma muito geral, três comunidades vegetais: uma comunidade de pântano, composta principalmente por Cf. Brasilodendron pedroanum e esfenófitas, uma comunidade localizada na planície de inundação composta, entre outros, por glossopterídeas e uma comunidade de terrenos mais elevados ou menos frequentemente inundados, dominada por coníferas como Paranocladus dusenii eBuriadia figueirensis. A idade da tafoflora da região de Figueira, pode ser considerada dentro do intervalo topo do Sakmariano - Artinskiano, uma vez que nela estão presentes espécies em comum com paleofloras mais antigas, como a de Monte Mor, SP. O regime climático no qual se desenvolveu-se a tafoflora estudada foi sazonal com estações bem marcadas. As comparações com outras tafofloras conhecidas para o Eopermiano no Gondvana mostram maiores afinidades com as das bacias do Paganzo e de Tepuel-Genoa, na Argentina. Para a África do Sul são encontradas semelhanças, em termos de comunidades vegetais presentes, mas que em termos de composição, com as paleofloras do Ecca Médio. As relações com as tafofloras eopermianas da Austrália, Índia e Antárticas são pouco significativas.
Título em inglês
Not available.
Palavras-chave em inglês
Not available.
Resumo em inglês
In these research, we intented to achieve paleoenvironmental, paleoecological and paleoclimatic information, by means of physionomic and epidermical studies of the tafoflora present in the shales of the upper layer of the Triunfo Member coal bed of the Rio Bonito Formation, that outcrops in Figueira Municipality, Paraná State, Brazil. The material here studied were charcoal fossils, that enable the study of cuticles, mainly of leaves and seeds. The samples were collected in the three phases in the field, located in the coal mining fields of the Cambuí Coal-Mining Company. The species that were identified belong the Lycophytes and the Gymnosperms of the order Voltziales. The species Cf. Brasilodendron pedroanum Chaloner et al. was included among the Lycophytes, to which four different levels of decortication were related, from the one considered here the most external layer (Level 'beta'), to the Level 'épsilon'. Isolated Lycophyte microphyles were studied as well; possibly belonging to the stem species previously mentioned. Additionally, a larger number of Lycophyte megaspores were studied, belonging to the following species: Lagenoisporites triunfensis Arai et Rösler, Lagenoisporites scutiformis Trindade, Sublagenicula cf. S. brasiliensis (Dijkstra) Dybová-Jachowicz et al. and Setosisporites cf. S. furcatus (Dijkstra) Dybová-Jachowicz et al., of these, Lagenoisporites triunfensis was the dominating species. The Gymnosperms of the order Voltziales are represented by the endemic Gondwana genera Paranocladus and Buriadia. Numerous heterophylous branches and female strobils are described here for first time for the species Paranocladus dusenii Florin. With the use of anatomical studies, it was also possible to relate the platispermic seed of Paranospermum cambuiense gen. et sp. nov. to Paranocladus dusenii, therefore, it constitutes the first reconstructed genera of the Neopaleozoic Voltziales of Brazil. The genera Buriadia is represented by the species B. figueirensis sp. Nov. with a low frequency of fossils. Based on the paleobotanical studies, it was possible to conclude that the tafoflora of the Figueira region bears great similarities with the tafofloras found in the State of Paraná during the Early Permian, in the Triunfo member, Rio Bonito Formation. Thus, this type of flora may have constituted a homogeneous vegetation during that period, all along the paleoline of the coast of the Paraná Basin. Three basic kinds of vegetation communities can be characterized in the flora there studied: a swamp community, constituted mainly by Cf. Brasilodendron pedroanum and sphenophytes; a community located in the flooded lowland constituted predominantly of glossopterids and a community of more elevated terrains or less frecuently flooded, dominated by Voltziales such as Paranocladus dusenii and Buriadia figueirensis. Concerning the age of the tafoflora of Figueira, it can be placed between the Late Sakmarian - Artinskian interval, due tge presence of species in common with the Late carboniferous tafoflora of Monte Mor, São Paulo State. The tafoflora here studied probably grew in a temperate climate with well marked seasons. Comparisons made with other tafofloras of the same age, known for the Gondwana, indicate close affinities with the Paganzo and the Tepuel-Genoa basins in Argentina. In terms of vegetation communities, there also links between the South of Africa with the paleofloras found in the Middle Ecca. The relationships with the early Permian tafofloras of Australia, India and Antarctica were not very significant.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Branco_Doutorado.pdf (20.37 Mbytes)
Data de Publicação
2015-11-13
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.