• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.44.1978.tde-25082015-134226
Documento
Autor
Nome completo
Jose Renato Morando da Silva
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 1978
Orientador
Banca examinadora
Suguio, Kenitiro (Presidente)
Kawashita, Koji
Melfi, Adolpho Jose
Título em português
Composição isotópica de carbono e oxigênio na determinação de paleoambientes
Palavras-chave em português
Geoquímica Isotópica
Paleoambientais
Resumo em português
A composição isotópica de carbono e oxigênio separa os moluscos de ambientes marinhos dos de ambientes continentais em grupos, isotopicamente distintos. Este fato demonstra que o controle biológico é superado pelo controIe ambiental nos mecanismos de fracionamento isotópico. As amostras de ambientes continentais são mais ricas em 'ANTPOT. 16 O' que as amostras de ambientes marinhos devido ao efeito longitudinal que atua sobre o vapor de água atmosférico, após o fracionamento inicial verificado durante a eva poração da água do mar. O 'ANTPOT. 12 C' também é mais frequente nas amostras de moluscos de ambientes continentais devido a contribuição das plantas terrestres e do decaimento do húmus no bicarbonato da água. A composição isotópica de carbono das amostras de ambientes continentais está situada entre -10-,31 e -4,05 %o (em relação ao padrão PDB), e composição isotópica de oxigênio entre -6,95 e -2,4I %o, relativo ao padrão PDB. Para as amostras de ambientes marinhos o principal mecanismo de fracionamento isotópico de carbono é o efeito do processo de equilíbrio durante a precipitação do carbonato na água do mar. Para as amostras de ambientes marinhos a composição isotópica de carbono está situada entre -2,08 a +2,65%o e composiçao isotópica de oxigênio entre os extremos -2,08 e + 0,45 por mil. O conteúdo isotópico de oxigênio das conchas de moluscos de ambientes marinhos atuais apresenta-se uniforme em toda a extensão do litoral amostrado, exceto na faixa situada entre a região da Ilha Grande (RJ) até a região de Ubatuba (SP). Nesta faixa do litoral, a composição isotópica de oxigênio apresenta-se ligeiramente diferenciada, mais rica em isótopos leves. Nesta região, é provável que a Serra do Mar esteja funcionando como um atenuador do fracionamento isotópico do oxigênio ocorrido durante a evaporação da água do mar. Foram também analisadas conchas de moluscos marinhos antigos e sua composição isotópica permite a formulação de hipóteses acêrca do ambiente na qual viveram.
Título em inglês
Not available.
Palavras-chave em inglês
Not available.
Resumo em inglês
Not available.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Silva_Mestrado.pdf (4.04 Mbytes)
Data de Publicação
2015-08-28
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.