• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.44.1983.tde-28082015-144848
Documento
Autor
Nome completo
Sebastiao Gomes de Carvalho
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 1983
Orientador
Banca examinadora
Barbour, Aledir Paganelli (Presidente)
Bettencourt, Jorge Silva
Ribeiro Filho, Evaristo
Título em português
Geologia e potencial de mineralização dos arredores de Fortaleza de Minas (MG)
Palavras-chave em português
Fortaleza de Minas (MG)
Geologia
Resumo em português
Os traços geológicos mais gerais das Faixas dobradas proterozóicas (Grupos Araxá, Andrelândia e Canastra), bem como o seu embasamento, na parte sudoeste de Minas Gerais são abordados. Na região de Fortaleza de Minas (MG), essas litologias podem ser grupadas em 3 unidades litoestratigraficamente destintas, denominadas: Embasamento Cristalino, Cinturão Vulcano-Sedimentar, Morro do Ferro e Grupo Araxá. Localmente, as rochas que constituem o embasamento são representadas por anatexitos, migmatitos e gnaisses diversos, que mostram uma evolução estrutural similar aquela aventada - por Fiori (1974) para rochas do Complexo Silvianópolis (Fig. 16). As rochas tidas como pertencentes ao Grupo Araxá, no local, são representadas principalmente por quartzitos da Formação Canastra. Outras litologias consideradas como pertencentes a este Grupo, agora melhor caracterizadas, passam a ser parte integrante do "Cinturão Vulcano Sedimentar Morro do Ferro", modificando-se parcialmente os modelos estratigráficos até agora propostos para a área. O estudo Petrográfico das litologias que compõem o Cinturão vulcano sedimentar "Morro do Ferro" e mais especificamente aqueles que formam a "Unidade Morro do Níquel" sugerem composições originais correspondentes à peridotitos, piroxenitos e subordinadamente basaltos. A complexidade estrutural da área é excepcionalmente grande, levando à um rompimento generalizado dos corpos que constituem as diferentes litologias na área, bem como à formação de diversas xistosidades e fenômenos de transposição. Dados obtidos a partir de prospecção geoquímica na área, e tratados estatisticamente, revelaram a presença de anomalias de Cromo, Níquel, Cobre e Cobalto na unidade Morro do Níquel. Com base nos modelos geotectônicos existentes na literatura para a região, nos trabalhos locais de petrografia, estrutural, estratigrafia, geoquímica, bem como dos vários indícios de mineralizações existentes na área, é tentada uma abordagem metalogenética (Sensu Lato), para a região de Fortaleza de Minas.
Título em inglês
Not available.
Palavras-chave em inglês
Not available.
Resumo em inglês
Not available.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Carvalho_Mestrado.pdf (34.69 Mbytes)
Data de Publicação
2015-08-31
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.