• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.41.2018.tde-20092018-145433
Documento
Autor
Nome completo
Lygia Aguiar Del Matto
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2018
Orientador
Banca examinadora
Santos, Eduardo da Silva Alves dos (Presidente)
Silva, Danilo Germano Muniz da
Sousa, Laura Carolina Leal de
Título em inglês
Sperm competition games between majors and minors: a meta-regression of fishes with alternative mating tactics
Palavras-chave em inglês
Alternative reproductive tactics
GSI
Sneaks and guards
Sperm competition
Sperm quality
Resumo em inglês
Theory predicts that in species with a greater risk of sperm competition, males will invest more in ejaculate traits. In species with alternative mating tactics (AMTs), males of different phenotypes will be under different sperm competition risk. Because minors sneak inside other males' territories to mate they should always face sperm competition. Major males, on the other hand, defend territories and have more chance of mating exclusively with females. For majors, the risk of sperm competition is theoretically lower. The main prediction from game theory models for species with AMTs is that majors invest less in ejaculate traits than minors. However, when the proportion of minors in the population increases, majors should invest more in ejaculate traits, reaching a similar level of ejaculate expenditure to minors. In this study, we tested these predictions with a meta-regression analysis of 29 fish species with AMTs. As a proxy for the risk of sperm competition, we ranked each species according to a sperm competition rank with five levels, from 1 (low risk of sperm competition) to 5 (high risk of sperm competition). Overall, we found that minors invest more in ejaculate traits than majors. We also categorized the ejaculate expenditure of males, according to the original variables quantified in the studies that were included in our analysis and found that minors invest more energy in the production of gonads than majors. Additionally, minors and majors have a similar investment in sperm number and sperm quality, but majors allocate more sperm to females. Overall, the sperm competition rank did not influence the magnitude of the difference in investment of majors and minors. The differential investment in gonad mass between majors and minors should represent an increase in sperm numbers, but our data showed that majors and minors are not producing different amount of sperm. Therefore, the higher investment in gonad mass can be related to minors mating more frequently than majors. minors are not able to produce sperm in greater quantities than majors, but they probably can replenish sperm faster than majors. Against theoretical predictions, sperm quality does not respond to differences of sperm competition, probably because sperm quality is not under such strong selection as gonad mass. Our findings suggest that, in fishes with alternative mating tactics, both majors and minors are under strong selection from sperm competition, even when the risk of polyandry is low
Título em português
Competição espermática entre majors e minors: uma meta-regressão em peixes com táticas alternativas de acasalamento
Palavras-chave em português
Competição espermática
GSI
Machos furtivos e guardiões
Qualidade espermática
Táticas alternativas de reprodução
Resumo em português
A teoria prevê que em espécies sob maior risco de competição espermática, os machos irão investir mais em características do ejaculado. Em espécies com táticas alternativas de acasalamento (AMTs), machos de fenótipos diferentes estão sob diferentes riscos de competição espermática. Uma vez que machos minors (i.e., machos furtivos) se esgueiram para dentro do território de outros machos para acasalar, eles provavelmente sempre enfrentam competição espermática. Machos major, por outro lado, defendem territórios e possuem uma chance maior de acasalar exclusivamente com fêmeas. Para os majors, o risco de competição espermática é teoricamente menor. A principal previsão de modelos de teoria dos jogos para espécies com AMTs é que majors investem menos em características de ejaculado do que minors. Entretanto, quando a proporção de minors em uma população aumenta, os majors devem investir mais em características do ejaculado, alcançando um nível similar de investimento em ejaculado que os minors. Neste estudo, nós testamos essas previsões com uma meta-regressão de 29 espécies de peixes com AMTs. Como proxy para o risco de competição espermática, nós classificamos cada espécie de acordo com um ranking de competição espermática. Esse ranking utiliza características de história de vida e demografia de cada espécie, e possui cinco níveis, de 1 (baixo risco de competição espermática) até 5 (alto risco de competição espermática). De maneira geral, nós encontramos que minors investem mais em características de ejaculado do que majors. Nós também categorizamos o investimento em ejaculado dos machos de acordo com as variáveis originais quantificadas nos estudos que foram incluídos na nossa análise e encontramos o resultado de que minors investem mais na produção de gônadas para seu próprio tamanho do que majors. Além disso, minors e majors apresentam investimento similar em número de espermatozoides e qualidade espermática, mas majors alocam mais esperma para as fêmeas. Em geral, o ranking de competição espermática não influenciou a magnitude da diferença de investimento entre majors e minors. O investimento diferencial em massa gonadal entre majors e minors deveria representar um aumento no número de espermatozoides, porém nossos dados mostraram que majors e minors não estão produzindo quantidades diferentes de esperma. Assim, um investimento maior em massa gonadal pode estar relacionado aos minors acasalarem mais frequentemente que os majors. minors não conseguem produzir esperma em maiores quantidades que os majors, mas eles provavelmente conseguem repor seu estoque de esperma mais rápido que os majors. Contrário às previsões teóricas, a qualidade espermática não responde às variações de competição espermática, provavelmente porque a qualidade espermática não está sob forte seleção como a massa gonadal. Nossos resultados sugerem que, em peixes com táticas alternativas de acasalamento, tanto os majors como os minors estão sob forte seleção da competição espermática, mesmo quando o risco de poliandria é baixo
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
LygiaMattoErrata.pdf (1.40 Mbytes)
Há arquivos retidos devido a solicitação (publicação de dados, patentes ou diretos autorais).
Data de Liberação
2020-09-19
Data de Publicação
2018-10-04
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.