• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
Documento
Autor
Nome completo
Vitor de Salles Painelli
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2017
Orientador
Banca examinadora
Lancha Junior, Antonio Herbert (Presidente)
Rosa Neto, José Cesar
Seelaender, Marilia Cerqueira Leite
Artioli, Guilherme Giannini
Oliveira, Edilamar Menezes de
Título em português
Efeitos de 12 semanas de treinamento intermitente de alta intensidade sobre as concentrações intramusculares de carnosina
Palavras-chave em português
Carnosina
Desempenho
Tamponamento
Treinamento
Resumo em português
INTRODUÇÃO: A carnosina é um dipeptídeo com capacidade tamponante presente no músculo esquelético, que pode ser obtido pela ingestão de carnes. Estudos transversais relatam que atletas engajados em exercícios de alta intensidade possuem um maior conteúdo de carnosina muscular (CarnM) comparados a destreinados, sugerindo que o treinamento pode modular a CarnM, apesar da ausência de estudos longitudinais. OBJETIVO: Investigar os efeitos do treinamento intermitente (TI) de alta intensidade sobre a CarnM e seus genes associados. MÉTODOS: Vinte homens saudáveis e vegetarianos (eliminando a influência da dieta) foram pareados pelo consumo máximo de oxigênio (VO2máx), e aleatoriamente designados a um grupo Controle (C, N=10) ou Treinado (T, N=10). O grupo T realizou TI em cicloergômetro 3 dias por semana durante 12 semanas, com progressão do volume (6-12 séries) e intensidade (140-170% do limiar de lactato [LL]). O grupo C manteve a rotina habitual. Antes e após a intervenção, biópsias musculares foram realizadas para a determinação da CarnM, da expressão de genes relacionados à CarnM e da capacidade tamponante muscular in vitro (βΜinvitro). Foram realizados teste de Wingate e VO2máx para a avaliação do trabalho total (TT), do VO2máx, dos limiares ventilatórios (LV) e do LL. Foi conduzido o Modelo Misto para análise dos dados. RESULTADOS: Um efeito de interação foi observado para CarnM (F = 4.72; P=0.04), com aumentos significantes para o grupo T (Pré: 15.8±5.7 e Pós: 20.6±5.3 mmoL/kg músculo seco; +36.0%, P=0.01) e nenhuma alteração no grupo C (Pré: 14.3±5.3 e Pós: 15.0±4.9 mmoL/Kg músculo seco; +6.3%, P=0.99). Houve melhora no TT, LV, LL, VO2máx e βΜinvitro no grupo T (todos P<0.05), mas sem mudanças no grupo C (P>0.05). Não houve alteração na expressão gênica das enzimas e transportadores avaliados nos grupos T ou C. CONCLUSÃO: Este estudo sugere que o TI pode aumentar a CarnM, sem alterar os seus genes. Tal aumento, associado ao da βΜinvitro, pode ajudar a explicar o potente efeito deste tipo de treino sobre a aptidão física e cardiorrespiratória
Título em inglês
Effects of 12 weeks of high-intensity intermittent training on muscle carnosine concentrations
Palavras-chave em inglês
Buffering
Carnosine
Performance
Training
Resumo em inglês
INTRODUCTION: Carnosine is a dipeptide with buffering capacity present within the skeletal muscle, which can be obtained by meat ingestion. Cross-sectional studies report that athletes engaged in high-intensity exercises have a greater muscle carnosine (MCarn) content compared to their untrained counterparts, suggesting that exercise training can modulate MCarn, despite of the absence of longitudinal studies. OBJECTIVE: To investigate the effects of high-intensity intermittent training (HIIT) on CarnM and its associated genes. METHODS: Twenty healthy and vegetarian men (eliminating dietary influences) were matched by maximal oxygen uptake (VO2máx), and randomly assigned to a Control (C, N = 10) or Trained (T, N = 10) group. The T group performed HIIT on cycle ergometer 3 days per week for 12 weeks, with progressive volume (6-12 series) and intensity (140-170% lactate threshold [LT]). The C group kept their usual routine. Prior to the intervention, muscle biopsies were performed for MCarn determination, expression MCarn-related genes and the muscle buffering capacity in vitro (βΜinvitro). Wingate and VO2máx tests were performed to evaluate total work done (TWD), VO2máx, ventilatory thresholds (VT) and LT. The Mixed Model was conducted for data analysis. RESULTS: An interaction effect was observed for MCarn (F = 4.72, P = 0.04), with significant increases for the T group (Pre: 15.8 ± 5.7 and Post: 20.6 ± 5.0 mmoL.kg-1 dry muscle; +36%; P = 0.01), but not in C (Pre: 14.3 ± 5.3 and Post: 15.0 ± 4.9 mmoL.kg-1 dry muscle; +6.3%, P = 0.99). There was no change in the gene expression of the enzymes and transporters evaluated in the T or C groups. There was an improvement in TWD, VT, LT, VO2máx and βΜinvitro in the T group (all P<0.05), but no changes in C (P>0.05). CONCLUSION: This study suggests that HIIT can increase MCarn without altering its genes. This increase, associated with βΜinvitro, may help to explain the potent effect of this type of training on physical and cardiorespiratory fitness
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2017-12-18
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.