• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.31.2018.tde-06112018-110841
Documento
Autor
Nome completo
Conrado Vivacqua Raymundo dos Santos
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2018
Orientador
Banca examinadora
Oliva, Jaime Tadeu (Presidente)
Costa, Ana Luiza Jesus da
Iumatti, Paulo Teixeira
Rubino, Silvana Barbosa
Título em português
Autonomia do fazer. Crítica sobre a obrigatoriedade da formação universitária para o acesso ao trabalho em arquitetura no Brasil
Palavras-chave em português
Arquitetura
Ecologia
Interdisciplinaridade
Profissões
Universidade
Resumo em português
A recepção ambivalente de José Zanine Caldas, arquiteto sem formação universitária e referenciado como autodidata, pelo meio profissional da arquitetura brasileira entre o auge da sua produção arquitetônica, nos anos 1970, e o seu falecimento, no início dos anos 2000, abre caminho nesta pesquisa para que se investigue a relação entre trabalho e ensino de arquitetura no Brasil, permitindo colocar em questão a obrigatoriedade do diploma universitário como recurso único de acesso ao trabalho em arquitetura no país. Com uma trajetória de vida e trabalho marcada pela defesa ecológica e pela aproximação com povos e culturas ameaçados pelo processo de massificação da grande indústria, em que se destaca a cultura do fazer ancorada no trabalho manual, Zanine orienta reflexão teórica sobre modelos de produção de conhecimentos organizados pela autonomia expressa através de saberes adquiridos pela experiência do fazer prático, trazendo aproximações com temas abordados por autores da ecologia política como Ivan Illich e André Gorz sobre ensino emancipado e arquitetura.
Título em inglês
Autonomy of making. Criticism about the obligatory university education to access work in architecture in Brazil
Palavras-chave em inglês
Architecture
Ecology
Interdisciplinarity
Occupations
University
Resumo em inglês
The ambivalent reception of José Zanine Caldas, an architect without university degree and referred to as a self-taught, by the professional Brazilian architecture environment between the peak of his architectural production, in the 1970s, and his death, in the early of 2000s, paves the way for investigating in this research the relationship between work and architecture education in Brazil, allowing for questioning the obligatory necessity of the university degree as a unique resource for accessing work in architecture in the country. With a life and work trajectory marked by the ecological defense and the approach with people and cultures threatened by the process massification of the great industry, in which emphasizes the culture of making anchored in manual work, Zanine guides theoretical reflection on models of nowledgeproduction organized by autonomy expressed through the knowledge acquired by the experience of practical making, bringing approximations with themes approached by authors of ecological politics such as Ivan Illich and André Gorz with regards to theories about emancipated education and architecture.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-11-08
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.