• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.3.2016.tde-21032016-102736
Documento
Autor
Nome completo
Mariana Perez de Oliveira
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2015
Orientador
Banca examinadora
Falleiros, Neusa Alonso (Presidente)
Magnabosco, Rodrigo
Ranzini, Darlene Yuko Kobayashi
Título em português
Influência da adição de nióbio sobre as propriedades mecânicas e de resistência à corrosão de aços inoxidáveis supermartensíticos.
Palavras-chave em português
Aço inoxidável supermartensítico
Corrosão
Nióbio
Resistência mecânica
Sensitização
Tratamento térmico
Resumo em português
O aumento na demanda do petróleo tem transformado reservas antes não consideradas exploráveis em fontes economicamente viáveis de óleo e gás. Entretanto, essas reservas exigem soluções específicas para realização da exploração devido suas características particulares, caso das reservas do pré-sal. Elas estão localizadas em águas profundas e em ambientes contendo diferentes níveis de H2S e CO2, que tornam o meio corrosivo, exigindo a aplicação de ligas resistentes à corrosão. Um dos materiais que vem sendo estudado como solução para níveis moderados desses compostos são os aços inoxidáveis supermartensíticos, que contêm de 13 a 16% de cromo e até 5% de molibdênio em sua composição. Além de cromo e molibdênio, alguns projetos de liga podem conter também a adição de elementos estabilizadores de carbono e nitrogênio tais como o nióbio, não só para evitar a precipitação de carbonetos de cromo, que ocasionam queda no desempenho do aço quanto à corrosão, como também para aumentar as propriedades mecânicas através do endurecimento secundário, obtido com tratamentos térmicos posteriores. O presente trabalho visa caracterizar e comparar as propriedades mecânicas e de resistência à corrosão por pite de dois aços inoxidáveis supermartensíticos, com ênfase nos efeitos da adição de Nb. Para tanto foram estudados dois aços supermartensíticos contendo 13%Cr, 5%Ni e 2%Mo, sendo que em um deles foi adicionado nióbio (0,1% Nb). Como esses aços são utilizados na condição revenida, escolheu-se a temperatura de 600oC para o tratamento térmico. Para obter maior detalhe sobre o efeito do revenimento na precipitação de fases e como estas afetam as propriedades mecânicas e a resistência à corrosão desses aços, o revenimento foi realizado em diferentes tempos: 1h, 2h, 4h, e 8h, e, além disso, a condição apenas temperada também foi submetida a ensaios e exames. Após o revenimento foram realizados testes de tração nas amostras submetidas a 600oC por 2 horas, já que este é o tempo de revenimento normalmente utilizado pela indústria. Foram feitas também medidas de dureza, cálculo de equilíbrio termodinâmico e medidas de porcentagem de fase não magnética para o ii entendimento das transformações de fase que ocorrem durante o tratamento térmico desses aços. O aço ao nióbio apresenta valores médios de limite de escoamento e limite de resistência superiores aos valores obtidos para o aço de referência na condição revenida por 2 horas a 600oC. A maior resistência mecânica é atribuída à precipitação de carbonetos de nióbio e fase Chi, e ocorre sem grande prejuízo ao alongamento, indicando um bom compromisso entre a maior resistência mecânica e condições de processamento. A corrosão por pite e o grau de sensitização estão diretamente relacionados com as transformações da microestrutura durante o revenimento. A adição de Nb ao aço melhora o desempenho quanto ao grau de sensitização em todos os intervalos de tempo estudados, essa melhora de desempenho é devida à diminuição da quantidade de regiões pobres em cromo. Pode-se afirmar que, para a corrosão por pite, no tempo de 2 horas, que é o tempo de revenimento mais utilizado industrialmente, os aços apresentam comportamento equivalente. Para tempos inferiores a este, o aço ao nióbio apresenta menores valores de resistência à corrosão por pite, devido ao atraso no alívio de tensões da martensita. Para tempos superiores a 2 horas, o aço ao nióbio apresenta desempenho similar ou superior em relação ao aço de referência, já que para maiores tempos o processo de homogeneização da composição química tem condições de ocorrer.
Título em inglês
The Influence of niobium addition in the mechanical and corrosion resistance properties of supermartensitics stainless steels.
Palavras-chave em inglês
Heat treatment
Mechanical resistance
Niobium
Pitting corrosion Resistance
Sensitization
Supermartenistic stainless steel
Resumo em inglês
The constant increase in oil and gas demand has made reserves, previously not considered economically feasible, to become viable sources. However, such reserves demand specific project solutions since each one of them present unique features. This is the case of the pre-salt reserves in Brazil, they are located in deep waters and can contain different levels of H2S and CO2, which result in a more corrosive environment, and require the use of corrosion resistant alloys. One of the materials under study, as a solution to moderate H2S and CO2 contents, is the supermartensitic stainless steel family, which contains 13 to 16%Cr and up to 5%Mo. Besides chromium and molybdenum, some alloy designs can also contain the addition of carbon and nitrogen stabilizing elements, such as niobium. This is not only to avoid chromium carbide precipitation, which causes a lower corrosion performance of the material, but also to increase mechanical properties through secondary hardening, obtained with the quenching and tempering of the steel. The present work aims to characterize and compare the corrosion and mechanical properties of two supermartenistic stainless steels, focusing on the effect of niobium addition. In order to do that, two supermartensitic steels containing 13%Cr, 5%Ni and 2%Mo, one of them with niobium addition (0.1%), have been studied. Supermartenistic stainless steels are normally used in the 600oC tempered condition, , in order to observe in better detail the tempering effect in the phase precipitation and how this affects the mechanical and corrosion resistance properties, tempering has been done at different times: 1h, 2h, 4h, 8h and the as quenched condition has also been analyzed. After tempering, tensile tests have been performed in the samples treated during 2h at 600oC, as this is the tempering time normally used in industrial practice. Besides tensile tests, hardness measurements, thermodynamic equilibrium calculations and determination of nonmagnetic phases fraction have also been performed in order to understand the phase transformation that occur during heat treatment of such steels. iv The steel containing niobium has average yield and tensile strength values superior to the ones obtained in the reference steel at 600oC for 2h. The higher mechanical properties are attributed to niobium carbide and Chi phase precipitation, and occurs without greatly compromising the elongation, indicating a good relationship between higher strength with processing conditions. Pitting corrosion resistance and the sensitization degree of the steels are directly related with the microstructure transformation that happens during tempering. Niobium addition improves the sensitization performance of the steel as the steel containing niobium showed lower sensitization values in all the conditions studied, this improve in performance is explained by the lower quantity of impoverished chromium regions. For the pitting corrosion resistance, at 2h tempering, which is the time normally used by the industry, the steels presented equivalent behavior. At times lower than 2 h, the niobium bearing steel has lower pitting corrosion resistance, mainly due to the delay in the martensite stress relieving process. At times superior to 2 hours, the niobium bearing steel presented equivalent or superior pitting resistance in relation to the reference steel, since there is time enough for the chemical composition homogenization process to begin.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2016-11-01
 
AVISO: O material descrito abaixo refere-se a trabalhos decorrentes desta tese ou dissertação. O conteúdo desses trabalhos é de inteira responsabilidade do autor da tese ou dissertação.
  • CALDERÓN-HERNÁNDEZ, J. W., OLIVEIRA, M. P., and ALONSO-FALLEIROS, N. Intergranular corrosion in a super-martensitic stainless steel containing 0.06N-0.025Nb-0.1V. In EMCR 2012 10th SYMPOSIUM ON ELECTROCHEMICAL METHODS IN CORROSION RESEARCH, Maragogi, 2012. EMCR 2012 10th SYMPOSIUM ON ELECTROCHEMICAL METHODS IN CORROSION RESEARCH., 2012. Abstract.
  • OLIVEIRA, M. P., et al. Influência da sensitização na corrosão localizada de aços inoxidáveis supermartensíticos. In 68 ABM International Annual Congress, Belo Horizonte, 2013. 68 ABM International Annual Congress.São Paulo : ABM, 2013.
  • ARAÚJO, D. S. M., et al. Influência do tratamento térmico sobre a resistência à corrosão de aço Alta Resistência Baixa Liga. In 18 SIICUSP - Simpósio Internacional de Iniciação Científica da USP, São Paulo, 2010. 18 SIICUSP - Simpósio Internacional de Iniciação Científica da USP.São Paulo : USP, 2010. Resumo. Dispon?vel em: http://www.sistemas.usp.br/siicusp/cdOnlineTrabalhoVisualizarResumo?numeroInscricaoTrabalho=530&numeroEdicao=18.
  • BRANDAO, B. P., et al. Microstructures of API 5L X65 pipeline HIC resistance. In Rio pipeline conference and exposition 2013, Rio de Janeiro, 2013. Rio pipeline conference and exposition 2013-Technical Papers.Rio de Janeiro : IBP, 2013.
  • GONZÁLEZ-RAMÍREZ, M. F., et al. Damages originated by hydrogen in microalloyed steel plate and pipes in agreement to API 5L X65 and X80. In RIO PIPELINE 2011, Transporting Products for a Sustainable Future, Rio de Janeiro, 2011. Rio Pipeline.Rio de Janeiro : IBP - Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis, 2011.
  • HINCAPIÉ-LADINO, Duberney, et al. Inclusion behavior at the corrosion processo f API 5L X65 pipes. In RIO PIPELINE 2011, Transporting Products for a Sustainable Future, Rio de Janeiro, 2011. Rio Pipeline.Rio de Janeiro : IBP - Instituto Brasileiro de Petróleo, 2011.
  • HINCAPIÉ-LADINO, Duberney, et al. Trincamento de tubos API 5L X65 e resistência à corrosão em meio contendo H2S. In 67 Congresso Anual da ABM, Rio de Janeiro, 2012. 67 Congresso Anual da ABM.São Paulo : ABM, 2012.
  • MIGLIACCIO, Rodrigo Inglez, et al. Aspectos da corrosão de um aço alta resistência baixa liga em presença de sulfeto. In Rio Oil & Gas Expo and Conference 2010, Rio de Janeiro, 2010. Rio Oil & Gas Expo and Conference 2010., 2010.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.