• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.25.2018.tde-19072018-105455
Documento
Autor
Nome completo
Camilla Fiedler Fonçatti
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Bauru, 2018
Orientador
Banca examinadora
Henriques, Jose Fernando Castanha (Presidente)
Freitas, Karina Maria Salvatore de
Janson, Guilherme dos Reis Pereira
Sanches, Francyle Simões Herrera
Título em inglês
Long-term stability of Class II division 1 treatment with the MARA combined with fixed appliances
Palavras-chave em inglês
Malocclusion, Angle class II
Orthodontic appliances, Functional
Orthodontics, Corrective
Relapse
Resumo em inglês
Introduction: Successful treatment of class II Division 1 malocclusion is also implied to the long-term stability of treatment changes and many are the factors that can influence that. Objective: This research aimed to evaluate the long-term stability of the cephalometric changes obtained during Class II malocclusion correction with the MARA (Mandibular Anterior Repositioning Appliance) associated with fixed appliances. Methods: The treatment group comprised 12 patients who were evaluated at three stages: pretreatment (T1), posttreatment (T2) and long-term posttreatment (T3). The mean initial age of the patients was 12.35 years and the mean final age was 15.65 years. The mean age at the long-term posttreatment stage was 22.53 years and the mean long-term posttreatment period was 6.88 years. The control group comprised 12 subjects with normal occlusion and no orthodontic treatment with ages comparable to the treatment group at the posttreatment and long-term posttreatment stages. Intra-treatment group comparison between the three stages was performed with repeated measures analysis of variance (ANOVA), followed by Tukey tests. Intergroup comparison of posttreatment changes and normal growth changes of the treatment group were performed with t tests. Results: reduction of the maxillary protrusion and improvement of the maxillomandibular relationships remained stable during the long-term posttreatment period. Maxillary incisors inclination and overjet presented a tendency to relapse in relation to the control group Conclusions: Despite the different amount of growth potential, the reduction of the maxillary protrusion and maxillomandibular relationship improvement remained stable with no difference from normal occlusion behavior. Palatal inclination of the maxillary incisors and the overjet improvement showed a slight tendency towards relapse when compared to normal occlusion. Therefore, an increase of active retention time could be recommended to prevent that.
Título em português
Avaliação da estabilidade em longo prazo da correção da Classe II divisão 1 com aparelho MARA associado ao aparelho ortodôntico fixo
Palavras-chave em português
Aparelhos ortodônticos funcionais
Má oclusão de Angle classe II
Ortodontia corretiva
Recidiva
Resumo em português
Introdução: o tratamento bem-sucedido da má oclusão de classe II Divisão 1 está implícito na estabilidade em longo prazo das correções e muitos são os fatores que podem influenciar esta estabilidade. Objetivos: observando que a terapia com o aparelho MARA (Mandibular Anterior Repositioning Appliance) associado ao aparelho ortodôntico fixo mostrou-se eficaz na correção da Classe II, este trabalho estabeleceu como objetivo avaliar cefalometricamente a estabilidade em longo prazo das correções obtidas durante este tratamento. Materiais e métodos: foram analisadas as alterações durante e após o tratamento através das telerradiografias em norma lateral de 12 pacientes (09 meninos e 03 meninas) nas fases: inicial (T1), final (T2) e pós-tratamento (T3), com idade média inicial de 12,35 anos e 15,65 anos ao final do tratamento. A idade media no estágio de pós tratamento em longo prazo foi de 22,53 e o tempo de acompanhamento pós tratamento foi em media 6,88 anos. As alterações foram comparadas a um Grupo Controle com oclusão normal, não tratados ortodonticamente, com idades compatíveis ao grupo experimental nos estágios final e pós tratamento em longo prazo. Os dados obtidos foram analisados através da análise de variância (ANOVA) para medidas repetidas e o teste de comparações múltiplas de Tukey. As alterações ocorridas no período de póstratamento foram comparadas com as alterações do Grupo Controle durante o período correspondente utilizando o teste t independente. Resultados: Observou-se uma redução da protrusão maxilar, assim como, uma melhora das relações maxilomandibulares, as quais, permaneceram estáveis durante o período de póstratamento. A inclinação dos incisivos superiores e o overjet apresentaram tendência à recidiva em relação ao grupo controle. Conclusões: A redução da protrusão maxilar e melhora da relação maxilomandibular mantiveram-se estáveis, sem diferença estatisticamente significante do comportamento na oclusão normal. A retroinclinação dos incisivos superiores e a melhora do overjet mostraram uma ligeira tendência à recidiva quando comparada ao comportamento da oclusão normal. Portanto, um aumento do tempo de retenção ativo pode ser recomendado para evitar essa recidiva.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-07-20
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.