• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
Documento
Autor
Nome completo
Vanessa Clivelaro Bertassi Panes
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Bauru, 2017
Orientador
Banca examinadora
Caldana, Magali de Lourdes (Presidente)
Honório, Heitor Marques
Marin, Maria José Sanches
Otani, Márcia Aparecida Padovan
Título em português
Qualidade de vida e síndrome da fragilidade em idosos
Palavras-chave em português
Idoso fragilizado
Qualidade de vida
Síndrome
Resumo em português
A síndrome da fragilidade surge no cenário do crescente número de idosos na população mundial, acometendo esses indivíduos, agravando suas condições de vida e saúde. Considerando que essa síndrome é multifatorial e multidimensional, que atinge idosos que vivem em diversas realidades, esta pesquisa buscou verificar a percepção de qualidade de vida de idosos residentes na comunidade e em Instituições de Longa Permanência, diante de sua condição de fragilidade. Por meio de um estudo epidemiológico descritivo do tipo transversal, com abordagem quantitativa, foram entrevistados 136 idosos, sendo metade deles residentes da comunidade, e a outra metade, residentes de Instituições de Longa Permanência para Idosos - ILPIs. Para o cálculo adotou-se nível de significância de 5% e poder do teste de 80% para se demonstrar uma correlação mínima de 0,35 são necessários 68 sujeitos para cada tipo de residência. Utilizou-se a Escala de Fragilidade de Edmonton (EFS) para identificar a presença de fragilidade e os questionários Whoqol Bref e Old para mensurar a percepção de qualidade de vida. Foi observado uma diferença notória entre o número de idosos frágeis moradores da comunidade (16,2%) e os residentes de ILPIs (51,5%), com significância estatística (p<0,001). A percepção de qualidade de vida também é melhor entre os domiciliados nos dois questionários, com destaque para os domínios relações sociais, meio ambiente e morte e morrer. O domínio autonomia apresentou a pior percepção, sobretudo entre os idosos institucionalizados. Entre os idosos frágeis estão as piores percepções de qualidade de vida na maioria dos domínios, para ambos os questionários. Os resultados mostram que a condição de fragilidade piora a qualidade de vida dos idosos e não são apenas os domínios relacionados à saúde física e mental que prejudicam a qualidade de vida. Fatores relacionados à intimidade, autonomia e relações sociais também se mostram associados à piora da percepção de qualidade de vida para as duas realidades, sobretudo para os institucionalizados. Assim, identifica-se que distinguir idosos frágeis de não frágeis é fundamental para a assertiva intervenção de saúde física ou mental.
Título em inglês
Quality of life and frailty syndrome in the elderly
Palavras-chave em inglês
Frail elderly
Quality of life
Syndrome
Resumo em inglês
The fragility syndrome appears in the scenario of the growing number of elderly people in the world population, affecting these individuals, aggravating their living conditions and health. Considering that this syndrome is multifactorial and multidimensional, reaching elderly people living in different realities, this research sought to verify the perception of quality of life of elderly residents in the community and in Long Stay Institutions, given their fragility condition. A descriptive epidemiological study of the transversal type, with a quantitative approach, interviewed 136 elderly people, half of whom were residents of the community; and the other half, residents of Long Stay Institutions for the Elderly (ILPIs). For the calculation, a significance level of 5% and 80% test power were used to demonstrate a minimum correlation of 0.35, 68 subjects were required for each type of residence. The Fragility Scale of Edmonton (EFS) was used to identify the presence of fragility and the Whoqol Bref and Old questionnaires to measure the perception of quality of life. A noticeable difference was observed between the number of fragile elderly in the community (16.2%) and the residents of ILPIs (51.5%), with statistical significance (p <0.001). The perception of quality of life is also better among those domiciled in the two questionnaires, especially in the areas of "social relations", "environment" and "death and dying". The domain "autonomy" presented the worst perception, especially among the institutionalized elderly. Among the fragile elderly are the worst perceptions of quality of life in most domains, for both questionnaires. The results show that the fragility condition worsens the quality of life of the elderly and it is not only the domains related to the physical and mental health that impairs the quality of life. Factors related to intimacy, autonomy and social relations are also associated with the deterioration of the perception of quality of life for both realities, especially for the institutionalized ones. Thus, it is identified that distinguishing fragile elderly from non-fragile individuals is fundamental for assertive physical or mental health intervention.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-05-16
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.